Cães
ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ
Affenpinscher
Originalmente usado como cão de companhia na região do Sul da Alemanha, o Affenpinscher recebeu este nome, que em alemão significa “Pinscher-macaco” porque, além da pequena cabeça, possui um colar de pelos ásperos enfatizando a expressão do macaco da raça.
A raça é muito antiga, conforme provam quadros anteriores ao século XVII onde figuram cães de aspecto semelhante. Seus ancestrais foram descritos por Albrecht Dürer em suas xilogravuras. Acredita-se que a raça descenda do Pinscher Alemão de Pelo Duro. A primeira aparição de um Affenpinscher em exposição foi no ano de 1879, tornando-se bastante popular.
Caracterizado por uma mistura de exuberância e serenidade, este pequeno cão é vivo, esperto, leal, afetuoso, teimoso, bom vigia e guardião, assim como um excelente caçador de roedores.
Adapta-se bem à vida em apartamento, mas requer cuidados diários de escovação.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Alemanha
  • Utilização: Companhia e Guarda.
  • Tamanho: 25 a 30 cm
  • Peso: 4 a 6 quilos
  • Aspectos gerais: O Affenpinscher é um cão de pelo duro, pequeno e compacto , com uma expressão de macaco. A cauda é natural. O ideal é que seja portada em forma de sabre ou foice.
  • Pelagem: A pelagem sobre o corpo deve ser áspera e densa. A cabeça é tipicamente adornada por sombrancelhas espessas, cerdosas e por pelos em forma de coroa ao redor dos olhos; por uma barba expressiva, pelo topete e por pelos nas bochechas. A pelagem da cabeça deve ser a mais dura, espalhadae mais reta possível. Isto contribui essencialmente para a expressão de macaco. A cor é preto puro com subpelo preto.
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Pequena
  • Temperamento: Sem medo, alerta, persistente e fiel, ele é um agradável cão de família.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Afghan Hound
A origem dessa antiga raça é um mistério. Sabe-se apenas que surgiu nas montanhas do Afeganistão, onde era muito utilizada para auxiliar na caça e pastoreio. Sua exportação foi proibida durante muito tempo, tanto que a primeira aparição desse cão na Europa ocorreu no século XIX, quando foi levado por soldados britânicos que retornavam das guerras Afegãs. Dos tempos antigos até hoje, o Afghan pouco mudou em suas características marcantes, como sua adaptação a qualquer tipo de temperatura-isso porque, além de invernos gelados, o Afeganistão possui verões muito quentes. A elegância e a beleza da raça fizeram com que sua criação fosse muito difundida em vários países do mundo. O Afghan ficou conhecido também devido á sua afetuosidade com os donos. Apesar de ter um olhar indiferente e sempre distante, é digno, corajoso e muito determinado. Dotado de excelente visão e grande velocidade, o Afghan é o cão mais indicado na caça a leopardos e na perseguição a gazelas e coelhos selvagens. Quando criado como companhia, merece atenção especial porque pode fugir em disparada durante qualquer distração do dono.
Também chamado de Galgo Afegão, o Afghan nem sempre teve essa linda e longa pelagem. Nos últimos 60 anos, criadores apostaram numa seleção criteriosa para desenvolver cães com enorme e sedosa pelagem, o que confere um visual sem igual aos exemplares quando estão em movimento.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Afeganistão
  • Utilização: Corrida
  • Tamanho: 68 a 74 cm para machos e 63 a 69 cm para fêmeas
  • Peso: 23 a 28 quilos.
  • Aspectos gerais: Porte altivo, forte e ágil, apresentando muita dignidade e nobreza tendo um olhar distante e aristocrático.
  • Pelagem: Compacta, sedosa, longa, de textura fina e cobrindo todo o corpo. Apresenta um topete de pelagem sedosa no lato da cabeça. Todas as cores são permitidas, desde as sólidas até em combinações de duas ou três, mas a presença de marcas brancas, especialmente na cabeça, não é desejável.
  • Longevidade: 12 a 14 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: Afetuoso, imponente, digno e fiel.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Airedale Terrier
O maior dos terriers, o Airedale foi desenvolvido no século passado, na região do rio Aire, em Yorkshire, na Inglaterra.
O objetivo era obter um cão próprio para caça de ratos e outros pequenos animais, especialmente nútrias (roedor típico da região), nos campos, tocas e pântanos. A pelagem densa e à prova d água, em combinação com a enorme agilidade, olfato muito aguçado, atenção e coragem, torna a raça excelente para o trabalho e caça de animais de grande porte, como javalis e ursos.
Os primeiros exemplares foram resultados de cruzamento entre Working Terrier (um cão comum na região) com o Otterhound (raça de excelentes nadadores e caçadores de roedores).
Tem o temperamento típico dos terriers, se mostrando inquieto, bastante atento, arisco com desconhecidos e devotado ao dono.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Caça e companhia
  • Tamanho: 58 a 61 cm para machos e 56 a 59 cm fêmeas.
  • Peso: Em torno de 20 quilos
  • Aspectos gerais: Na aparência geral é bem proporcionado e simétrico, mostrando força e agilidade, particularmente nos membros posteriores , muito musculosos e com forte angulação, o que lhe confere potência nos arranques.
  • Pelagem: O pelo é duro, denso e de arame, não tão longo.Deitado reto e fechado, cobrindo o corpo e as pernas.O pelo de cobertura é duro, de arame e rígido, enquanto o subpelo é mais curto e macio.Os pelos mais duros são encaracolados, ou apenas ligeiramente ondulados. A pelagem crespa ou macia é altamente indesejável. A parte superior do tronco( sela) é preta ou grisalha, assim como o topo do pescoço e da superfície de cauda.Todas as outras partes são marrons. Frequentemente, as orelhas são da cor marrom escura, e um sombreado pode ocorrer em torno do pescoço e nas laterais do crânio.Alguns pelos brancos entre os membros dianteiros são aceitáveis.
  • Longevidade: 10 A 12 Anos.
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: Inteligente, corajoso, inquieto, atento, devotado ao dono e arisco com desconhecidos.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://www.completedogsguide.com Akita
Akita
Ele já foi um cão pequeno nos primórdios. E os cruzamentos realizados com Mastifes, São Bernardo e outros com o intuito de aumentar o tamanho quase levaram a raça á extinção. Os exemplares ganharam porte, mas perderam suas características originais. Somente a partir de 1979, a raça passou a ser desenvolvida com o apoio de cinófilos. No final da Segunda Guerra Mundial, esforços foram feitos para eliminar o sangue de Mastifes e de outras raças estranhas dos poucos exemplares remanescentes. Dessa forma, conseguiu-se chegar ao Akita puro, de grande porte, conhecido atualmente. Originários da província de Akita, no Japão. os cães da raça foram muito utilizados na caça de animais de grande porte, como ursos.
O cão é muito afetivo com a família e amigos e há muitas histórias antigas sobre o costume das mães japonesas em deixar seus filhos sob seus cuidados. Muito resservado e com isntinto de proteção, esse cão está sempre pronto para defender seus familiares contra pessoas ou animais ameaçadores. Essas características, aliadas á sua afetuosidade com os donos, tornaram-no um ótimo cão de guarda e companhia.
De temperamento forte, extrema coragem e robustez, chegaram a ser empregados em rinhas durante o período Tokugawa( 1603 a 1925).

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Japão
  • Utilização: Companhia
  • Tamanho: 61 cm para fêmeas e 67 cm para machos.
  • Peso: 25 a 40 Kg
  • Aspectos gerais: Porte grande, de construção sólida, musculoso, com boa ossatura, bem proporcionado e substancioso, de expressão alerta, tendo a cabeça forte, olhos pequenos e orelhas eretas. A cauda tem inserção alta e é portada enrolada sobre o dorso.
  • Pelagem: Dupla, com pelo duro e reto e subpelo macio e denso. A cernelha e a garupa são revestidas com pelagem ligeiramente mais longa. Os pelos da cauda são um pouco mais longo. A cor é vermelhofulvo, sésamo(gergelim), tigrado e branca. Com exceção da branca, todas essas cores deverão ter pelagem esbranquiçada nas laterais do focinho, bochechas, sob o queixo, pescoço, peito, toda a linha inferior e face medial dos membros.
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: Reservado, protetor, carinhoso, companheiro, inteligente e fiel.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Akita Americano (Grande Cão Japonês)
A raça descende diretamente do Akita Japonês e, durante o período da Segunda Guerra Mundial, foi ordenada a captura e o confisco de cães de pelagem farta e densa, para a confecção de roupas militares. Com o intuito de burlar a lei, criadores de Akita cruzaram seus animais com os da raça Pastor Alemão, a única que não estava na mira dos invasores. O Akita Dewa, uma das variedades da raça, foi levado aos Estados Unidos, ficando famoso pela inteligência e facilidade de adptação. Lá, passou a ser chamado de Grande Cão Japonês ou Akita Americano. Excelente cão de guarda, o Akita reúne características nobres: ele é alerta, corajoso, que sabe diferenciar o dono e os amigos dele dos estranhos. No ambiente familiar é amistoso, dócil e receptivo.
A partir de 2006, o nome oficial passou a ser Akita Americano. Do grupo que reúne cães do tipo Pinscher e Schnauzer, Molossos e Boiadeiros Suiços, passou a fazer parte do grupo que engloba os Spitz e cães do tipo primitivo.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Japão
  • Utilização: Companhia
  • Tamanho: 66 a 71 cm para machos e 61 a 66cm para fêmeas.
  • Peso: 35 a 50 quilos
  • Aspectos gerais: Grande porte, bem balanceado, com muita substância, construção robusta e ossatura pesada. A cabeça é larga e triangular, os olhos relativamente pequenos e as orelhas, eretas e projetadas para frente. A cauda é grossa, portada alta, enrolada por sobre o dorso ou contra o flanco e bem revestida de pelos.
  • Pelagem: Dupla, com subpelo grosso, macio, denso e mais curto que o pelo externo que é reto, rígido, duro e ligeiramente afastado do corpo. O pelo da cabeça, na parte anterior dos membros e nas orelhas, é mais curto. O comprimento do pelo na cernelha e sobre a garupa é de aproximadamente 5 cm, o que ligeiramente mais longo que no resto do corpo, exceto na cauda, onde a pelagem é a mais longa e mais abundante. Podem ter qualquer cor como vermelho, fulvo, branco, como também malhado ou tigrado. As cores são brilhantes e claras e as manchas são bem balanceadas com ou sem máscara ou faixa branca. Cães brancos ( sólido) não têm máscara. Os malhados apresentam sobre o fundo branco grandes manchas igualmente distribuídas que cobrem a cabeça e mais de 1/3 do corpo. O subpelo pode ter uma cor diferente do pelo externo (cobertura).
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: Inteligente, corajoso, dócil, amistoso, fiel e receptivo.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
American Bully
O que faz do BULLY uma das melhores raças é o seu temperamento e a sua interação com as pessoas. Mesmo sendo originários dos TERRIERS, ou seja, cães de temperamento dominante, os BULLIES são dóceis, brincalhões e divertidos, e o principal, a maior satisfação para um BULLY é estar junto das pessoas, de preferência sempre próximo a seu dono. Eles têm energia, mas pelo seu porte compacto convivem bem em lugares pequenos, desde que junto da família.
Quando você anda na rua com um BULLY as pessoas literalmente param o que estão fazendo para olhar o cão. O AMERICAN BULLY é um cão muito exótico.
Por ser uma raça ainda desconhecida fora dos Estados Unidos, com uma cabeça enorme, mandíbula de crocodilo e olhar penetrante, poucas pessoas possuem coragem suficiente para colocar a mão ou entrar em um local onde tem um AMERICAN BULLY. Portanto, também os consideramos bons cães para a sua segurança.
Em resumo, ter um AMERICAM BULLY é ter muito mais que um cão. Com ele você ganha uma ótima companhia para ter dentro de casa. Ele pode viver tranquilamente no apartamento, no quintal ou no sítio, desde que protegido do calor e do frio extremo. Com o BULLY você também ganha um cão divertido, brincalhão e obediente.
Outra grande virtude do AMERICAN BULLY é que latem pouco, quando um BULLY latir vá ver o que está acontecendo, pois esses cães não fazem alarde por qualquer coisa, eles observam atentamente cada movimento da casa e percebem a intenção de acordo com a atitude das pessoas estranhas.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Estados Unidos
  • Utilização: Companhia e exposições
  • Tamanho: Os machos em torno de 43cm e as fêmeas em torno de 40cm
  • Peso: 28 a 38 Kg
  • Aspectos gerais: Cão de aspecto sólido, maciço, atarracado, mas dando impressão de grande agilidade.
  • Pelagem: A pelagem é brilhante e lisa, deitada no corpo e moderadamente áspera ao toque.Qualquer cor ou distribuição de cores, bem como qualquer combinação de cores são aceitas.
  • Longevidade: 10 a 14 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Pelo seu porte compacto convivem bem em lugares pequenos, desde que junto da família.
  • Temperamento: Amável
  • Atividade física: Alta
Fonte: Fonte - internet Imagem: fonte - http://www.primepittz.com/king_moto
American Pit Bull Terrier
O American Pit Bull Terrier tem sua história ligada ao combate em rinhas entre cães e touros, ‘ esporte’ muito apreciado na Inglaterra no século 18. A raça é o resultado de cruzamentos entre os antigos Buldogues
(diferentes dos de hoje) e Terriers. Durante a guerra, europeus imigraram para os estados Unidos levando consigo seus cães de combate e lá passaram a selecioná-los até chegar ao tipo atual do American Pit Bull Terrier. No Brasil, estes cães chegaram há pouco mais de 15 anos. Ganhou fama de cão assasino, dividiu a opinião pública e houve até quem quisesse banir a criação da raça em alguns Estados. Mas, aos poucos, ele foi garantindo espaço nos lares brasileiros e revelando suas múltiplas qualidades. Esportes caninos para a raça foram organizados, novos criadores surgiram e hoje o Pit Bull está entre as dez raças mais registradas anualmente na Confederação Brasileira de Cinofilia ( CBKC). Apesar de muito forte, os cães da raça apresentam temperamento equilibrado, desde que sejam criados com responsabilidade e me grandes áreas para se exercitar. Além disso, são dóceis, resistentes e muito dedicado ao dono, mas ariscos com outros animais e pessoas estranhas.
SEMELHANÇAS: Na verdade, o American Staffordshire Terrier e o American Pit Bull Terrier são o mesmo cão. As restrições quanto ao comportamento e a rigidez do padrão, exigidos no American Staffordshire Terrier, é o que basicamente difere as duas raças. O Staffordshire é o resultado obtido por criadores mais interessados em aperfeiçoar a estrutura física e obter maior controle de comportamento.
No Pit Bull, a beleza ou a perfeição estrutural é bem menos importante. Seu porte físico é que conta.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: EUA
  • Utilização: Guarda e companhia
  • Tamanho: não há limite determinado
  • Peso: 15,87 a 27,21 quilos para machos e 13,60 a 22,67 quilos para fêmeas.
  • Aspectos gerais: Forte, resistente, musculoso, de estatura mediana, valente e determinado, qualidades vitais para um cão de defesa e vigilância. O tronco é potente, os ombros largos, fortes e musculados. A cabeça é de tamanho médio e de formato retangular. A cauda é curta em relação ao corpo e portada baixa, não podendo ser curvada.
  • Pelagem: curta, dura ao toque e lustrosa.Todas as cores são permitidas, como também suas marcações e conbinações.
  • Longevidade: 10 a 13 anos.
  • Agressividade: Alta
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: Dócil, fiel e dedicado ao dono, mas arisco com outros animais e pessoas estranhas.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://www.pitbullterrier.com.br/
American Staffordshire Terrier
Desenvolvida em meados do século 19, na Inglaterra, a raça tem como descendentes os antigos Buldogues Ingleses e os Terriers. Criada com a intenção de ser imbatível nas rinhas contra touros e outros cães, muito comuns naquela época, recebeu diferentes nomes até ser oficialmente reconhecida. Inicialmente os exemplares foram chamados por Bull-and-Terrier (Meio-a Meio), Pit Dog e até Pit Bull Terrier.
Aproximadamente em 1870, alguns desses cães foram levados para os Estados Unidos, onde foi desenvolvido um tipo mais pesado do que o Staffordshire Bull Terrier. Lá, ganhou também um novo nome. American Bull Terrier e mais, tarde,Yankee Terrier.
Em 1936, os exemplares começaram a ser registrados American Kennel Clube (AKC). Apenas, em 1972, o nome foi revisado e os cães foram rebatizados de American Staffordshire Terrier.
Pouquíssimos exemplares guardam ainda as características de combate devido aos sistemáticos cruzamentos que visaram adequar o comportamento da raça para as exposições. O American Staffordshire é um cão ativo, inteligente, apegado ao dono e dócil com as pessoas da casa.Se bem adestrado, pode exercer a função de guarda com bastante desenvoltura e conviver pacificamente com outros cães. Mas é preciso criá-los em áreas grandes para que possa se exercitar e extravasar toda a sua energia.
Força e Agilidade: Devido á força e valentia, comuns na raça, este cão foi usado durante muito tempo em rinhas e até hoje há muitas polêmicas em relação a isso. Mas, ao contrário do que se prega, ele tem inúmeras qualidades, quando criado com responsabilidade.
Apesar de a tendência comercial apontar para cães mais robustos, o American Sttafordshire Terrier deve ter uma movimentação leve e típica de cães ágeis, pois está inserido no grupo dos Terriers.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: EUA
  • Utilização: Companhia
  • Tamanho: 46 a 48 cm para machos e 43 a 46 para fêmeas.
  • Peso: Proporcional ao tamanho
  • Aspectos gerais: Porte médio, compacto, mas com muita força para seu tamanho, musculoso, ágil e profundamente ligado a tudo que o cerca.
  • Pelagem: Curta, cerrada, dura ao toque e brilhante, sendo que qualquer cor sólida,particolor ou malhada é permitida.É indesejável o preto, o castanho, o fígado, o branco puro ou com mais de 80% de branco.
  • Longevidade: 10 A 12 Anos.
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: Inteligente, atencioso, excelente protetor e devoto ao dono.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Australian Cattle Dog
Originário da Austrália, o Boiadeiro Australiano – como também é chamado – foi desenvolvido a partir de cruzamentos do Dingo (Lobo Australiano) com cães domésticos tipo Dálmata e Kelpie Australiano. O resultado foi um cão forte, massudo e extremamente resistente, ideal para desenvolver a função de boiadeiro, tarefa que realiza muito bem, sendo capaz de conduzir o rebanho por longas distâncias.
O Australian é um animal compacto, ágil e com capacidade excepcional para o trabalho de pastoreio. Foi muito utilizado em seu país de origem para conduzir rebanhos em longas e perigosas jornadas até o mercado, é de rara inteligência, alerta, corajoso, atento e confiável. Tem a marcante característica de trabalhar em silêncio para não estressar o rebanho, sabendo distinguir e punir os animais que causam problemas. Seu instinto protetor e sua lealdade o tornaram um guardião nato dos fazendeiros, seus rebanhos e da propriedade.
CÃO DE GRANDES PROPRIEDADES
Trata-se de uma raça muito ativa, que precisa gastar energia o dia todo. Portanto é ideal para pessoas que tenham espaço suficiente na propriedade, ainda que o exemplar não seja voltado a desempenhar e função de boiadeiro. A pelagem curta e densa do Australian Cattle Dog é diferente de todas as outras raças existentes, sendo muito resistente à chuva. Esse cão é também conhecido como Blue Heeler (azul) ou Red Heeler (vermelho).
Um fato que tem chamado atenção dos criadores no Brasil, em que a raça vem conquistando seu espaço, principalmente, entre os apreciadores de esporte rurais, é a longevidade: os exemplares chegam a viver cerca de 26 anos.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Austrália
  • Utilização: Boiadeiro
  • Tamanho: 43 a 48 cm para fêmeas e 46 a 51 cm para machos
  • Peso: 16 a 20
  • Aspectos gerais: Porte médio, musculatura denotando agilidade, força e resistência
  • Pelagem: Dupla com subpelo curto e denso e o pelo reto, duro e assentado e bem resistente à chuva. Na linha inferior do corpo, é mais longa e forma uma franja próximo à coxa.
  • Longevidade: em média, 26 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: Inteligente, protetor e confiável.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://www.eurooscar.com
Australian Shepperd
A teoria mais aceita sobre a origem da raça é que ela tenha se desenvolvido no oeste dos Estados Unidos, no início do século XIX, com a mistura dos velhos cães ingleses, os Collies, e cães brancos trazidos da Espanha através da Austrália com os rebanhos. Inicialmente estes cães trabalhavam apenas em ranchos e fazendas. Hoje além de continuarem a realizar suas tarefas pastoreiras, adaptaram-se facilmente a outras tarefas como busca e resgate, farejamento de drogas, obediência, Agility, assistência hospitalar, condução de cegos, além de serem excelentes cães de companhia.
O Australian Shepperd ou Aussie como é carinhosamente chamado, é um cão de grande versatilidade, podendo ser utilizado, também em serviços humanitários: é um excelente guia para cegos, farejador de drogas, cão de busca, resgate, além de poder ser usado em terapias e no auxílio de deficientes auditivos.
Ligados aos Donos: São cães muito inteligentes, facilmente treináveis e extremamente leais ao dono. No entanto, o Australian Shepperd não deve ser deixado sozinho, pois o isolamento lhes altera o caráter, podendo ter conseqüências desastrosas. Reservados com estranhos e altamente territoriais, cuidam dos bens de seu dono e de sua família. Quando criados com crianças, são excelentes companheiros para brincar.
Sua pelagem é fácil de se manter limpa e deve ser escovada semanalmente. Os banhos não precisam ter essa freqüência, mas requer atenção especial para a secagem ou dos cuidados de um profissional.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: EUA
  • Utilização: Cão de trabalho, esporte e companhia
  • Tamanho: 46 a 59 cm (18 a 21 polegadas para fêmeas e 20 a 23 polegadas par machos).
  • Peso: 23 a 30
  • Aspectos gerais: porte médio, mais longo que alto (retangular, não quadrado), musculoso e atlético. Sua estrutura é moderada e é extremamente ágil e veloz.
  • Pelagem: Textura média, lisa ou levemente ondulada e de comprimento mediano. As cores aceitas são preta, azul-merle, vermelha e vermelho- merle, com ou sem manchas brancas e ou manchas cor de cobre
  • Longevidade: de 12 a 15 anos
  • Agressividade: Média. Altamente cuidadoso com seus donos e seus pertences.
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: enérgico, inteligente, altamente treinável, carinhoso e brincalhão.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Basenji
O Basenji é uma raça bem antiga e nas suas origem se funde em mitos e história. Consta que o primeiro exemplar foi trazido da região da nascente do Nilo e presenteado a um faraó do Antigo Egito. Apesar do declínio da civilização egípcia, o cão continuou a ser preservado e valorizado em sua terra natal, na África Central, especialmente por possuir características como inteligência, velocidade, habilidade para caça e silêncio. Os nativos ainda o utilizam para apontar ( pointing), buscar e trazer (retrieving),procurar e encontrar presas feridas ( hunting). Também é empregado na caça de uma espécie de ratão do campo que chega a pesar até 9 quilos. O cão tem qualidades ímpares para os apreciadores de caçadas: um faro apuradíssimo ( fareja a distância de até 550 metros) aliado a uma visão excepcional e o presente do seu silêncio. Além de inteligente, gentil, incansável nas brincadeiras e de ser apaixonado por crianças, sendo arredio com estranhos.
O Basenji é o melhor cão que uma dona da casa meticulosa pode ter. Entre suas principais características está o fato de não soltar pelos e o hábito de se limpar como um gato. Além disso, é famoso por ser um cão que não late.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: África Central
  • Utilização: Caça e Companhia
  • Tamanho: 40 a 43 cm
  • Peso: 9,5 a 11 quilos
  • Aspectos gerais: Aristocrático, de constituição leve, membros longos, orelhas eretas e crânio enrugado. Muito alerta e inteligente, não late, mas faz um ruído muito particular e especial.
  • Pelagem: Curta, com textura fina e sedosa, que brilha ao sol como cobre polido. A cor pode ser preta, preta e branca, vermelha e branca, castanho e branca. O branco está nas patas, peito e ponta da cauda, que é enrolada e caída sobre um dos lados das costas.
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: Inteligente, gentil, incansável nas brincadeiras, apaixonado por crianças.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Basset Fulvo da Bretanha
O Griffon Fulvo da Bretanha é o cão que deu origem a este pequeno Basset criado em meados do século XIX, a partir do cruzamento da versão grande do Griffon Fulvo da Bretanha com hounds de pernas curtas da região da Vendeia, que eram usados para caça de pequenos animais. Inicialmente, os Bassets da Bretanha caçavam em grupo de quatro cães, perseguindo presas como coelhos, lebres e porcos selvagens. Sua peculiaridade é caçar tanto farejando, seguindo a pista, como levantando a presa para que o caçador possa atingi-la om um tiro. Atualmente, é mais comum encontrar esses cães caçando individualmente ou com um único parceiro. Muito popular no século XIX na sua região de origem, ganhou uma reputação nacional no curso dos últimos 30 anos. Sua atitude excepcional para a caça o permitiu ser vencedor de vários troféus nas Copas Francesas de caça ao coelho, tornando a raça muito popular. Os exemplares da raça são inteligentes, amistosos, valentes e bastante ativos.
Convivem bem com outros animais de estimação e se mostram afetivos com crianças.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: França
  • Utilização: faro e caça.
  • Tamanho: 32 a 38 cm (tolerância de 2 cm para exemplares excepcionas).
  • Peso: Padrão não comenta
  • Aspectos gerais: o Basset Fulvo da Bretanha é um cão pequeno, troncudo, vivaz, e rápido para seu tamanho . Ele é dotado de uma notável energia associada à excelente rusticidade, a cauda é portada ligeiramente em foice, de comprimento médio, grossa em sua base, frequentemente coberta com pelos espetados e afiada em direção à ponta. Em ação, a cauda é portada acima da linha do dorso e descreve movimentos laterais regulares.
  • Pelagem: possui pelo muito duro, seco, bastante curto, nunca lanoso ou encaracolado. A face não deve ser muito emaranhada. A cor é fulvo, desde o trigo dourado até o vermelho tijolo. Alguns pelos escuros dispersos ao nível do dorso e nas orelhas são toleradas.
  • Longevidade: 10 a 12 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: são cães de caça apaixonados, mas também são excelentes companheiros para o homem, sociáveis, afetuosos e equilibrados. Eles se adaptam facilmente aos vários terrenos de trabalho, mesmo os mais difíceis, e a todos os tipos de caça. Durante a caça eles se revelam corajosos, ardilosos e obstinados, o que os tornam muito eficazes.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2011 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://thecompletestoryofvernon.com/
Basset Hound
Os primeiros Basset Hounds surgiram provavelmente no século VI, mas não tinham as características atuais. Na verdade a origem da raça é um tanto obscura e o que se tem até hoje são suposições sobre sua descendência. Alguns historiadores acreditam que ele tenha surgido na França, a partir de cruzamentos de raças variadas, uma delas o Basset DF0;Artois. Da França, teria sido levado à Inglaterra, onde passou por novos cruzamentos com Bloodhounds (Cão de Santo Humberto) e Beagles.
O fato é que, em 1800, dois criadores franceses desenvolveram duas linhagens puras de sangue, F0;LaneF0; e F0;Le CoulteuxF0;. Na primeira, os cães têm como características olhos maiores e crânio mais pesado, enquanto a F0;Le CoulteuxF0; apresentava expressão mais triste em função dos olhos profundos. Esta última conquistou o publico e foi considerada como padrão ideal para a caça.
O Basset Hound foi visto pela primeira vez em uma exposição canina em 1863, em Paris. Na Inglaterra, ele apareceu ao público alguns anos mais tarde, em 1875, levado por Sir Everett Millais, responsável por introduzir a raça no país. Depois disso, a raça foi levada aos Estados Unidos, onde alcançou enorme sucesso e chegou ao Brasil no final da década de 1960.
Cães Tranqüilos e de Boa Convivência: Excelente farejador, de temperamento calmo é amável, o Basset Hound é extremamente manso, apegado ao dono e carinhoso. Muito resistente ao trabalho de campo, este cão é capaz de fazer grandes caminhadas.
Acostumado a viver em matilha, não é um cão agitado, agressivo ou tímido. Gosta de uma boa soneca e não precisa de grandes doses de exercício. Pequenas caminhadas diárias são suficientes para não torná-lo obeso.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Caça
  • Tamanho: 33 a 38 cm
  • Peso: 18 a 27 kg
  • Aspectos gerais: possuí pernas curtas e fortes, ossatura sólida e pesada, boa musculatura, e, apesar da aparência, é bastante ágil, tendo grande resistência física, características que permitem ao cão seguir pistas mesmo em terrenos difíceis.
  • Pelagem: apresenta pelo macio, curto e fechado, sem ser muito fino. Todos os contornos são lisos e sem franjas. Os pelos longos e pelos macios, com franja são altamente indesejáveis. As cores podem ser geralmente preta, branca e marrom (tricolor) limão e branca (bicolor); mas qualquer cor reconhecida de hound é aceitável.
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: amável, apegado ao dono e carinhoso.
  • Atividade física: Baixa
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Beagle-Harrier
O Beagle-Harrier teve origem na França e, como o próprio nome indica, é resultado de cruzamentos entre o Beagle e o Harrier, realizados no final do século XIX pelo Barão Gerard, da França. De porte médio, o Beagle-Harrier é muito versátil na caça: é eficaz tanto na caça de lebres e coelhos como o Beagle, quanto na de raposas, veados e javali, como o Harrier. Apesar da semelhança com o Beagle o Beagle-Harrier é um pouco mais pesado, o que contribui com a sua versatilidade na caça. Raramente é criado como cão de companhia, e fora da Inglaterra e da França, onde é utilizado especificamente na caça, em pequenas matilhas, dificilmente é encontrado.
Os cães da raça apresentam temperamento calmo e afetuoso. Além disso, são incansáveis para o trabalho, demonstrando grande resistência física . Adoram atividades e grandes espaços onde possam correr e gastar a energia.
Uma das principais qualidades do Beagle-Harrier é o faro apuradíssimo. Durante o trabalho, é capaz de seguir a pista de uma presa por horas com grande persistência, sendo muito difícil convencê-lo a abandonar seu objetivo.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: França
  • Utilização: Caça
  • Tamanho: 45 a 50 cm
  • Peso: 20 a 25 kg
  • Aspectos gerais: é um cão harmonioso, equilibrado, distinto, lépido e vigoroso.
  • Pelagem: possui pelo bastante espesso, não muito curto e bem assente. Todas as cores são aceitas, podendo ser tricolor (fulvo com manto preto e branco), sem dar importância ao manto, com marcações em castanho mais ou menos vivas, pálidas ou encarvoadas. Existem Harriers cinza, tricolores cinza e branco e cinza.
  • Longevidade: 13 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: é calmo e gentil, ótima companhia em casa, raramente rosna ou morde, não é difícil de ser treinado e, se lhe for dada a oportunidade, é um trabalhador incansável e muito entusiasmado. Ele convive muito bem com crianças e com outros cães.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://www.greatdogsite.com
Bearded Collie
Acredita-se que este cão seja um dos mais antigos da Grã-Bretanha. Há pelo menos três séculos os Berdies, como são chamados, são encontrados no Reino Unido. Descendem de vários pastores da Europa Central, que foram cruzados ao longo do tempo até dar origem às diversas raças de pastores originarias desse continente.
Os exemplares da raça tiveram papel importante em pastoreio e nas travessias de gado das Terras Altas para os mercados, nos séculos 17 e 18. Eram utilizados especialmente por trabalhadores rurais, que valorizavam muito a capacidade de trabalho desses cães. A beleza da raça tinha um papel secundário na criação.
Atualmente o Bearded Collie já não é tão utilizado como cão de trabalho, sendo, porém, apreciado por sua versatilidade. É excelente cão de companhia, atuando também com sucesso em exposições de beleza, pastoreio, obediência, Agility e outros esporte caninos.
No Brasil raça é pouco difundida.
Facilidade no convívio: Cães dóceis e confiáveis, os Beardies não demonstram traços de timidez exagerada ou agressividade. Equilíbrio é uma característica marcante na raça, além da expressão alerta e curiosa. Possuem um admirável senso de humor e parecem sempre de bem com a vida.
Precisam de exercícios físicos e mentais moderados, já que são cães ativos e inteligentes, embora não sejam agitados.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Pastoreio
  • Tamanho: 51 a 53 cm para fêmeas e 53 a 56 para machos
  • Peso: 18 a 27
  • Aspectos gerais: porte médio, constituição forte, com tronco longo. As orelha são de tamanho médio e a cauda é baixa.
  • Pelagem: longa, áspera e eriçada. No focinho, os pelos são mais ralos e mais longos dos lados, encobrindo os lábios. As cores existentes são preta, azul, marrom e areia, com ou sem marcas brancas.
  • Longevidade: 12 a 14 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: esperto, alerta, responsável, inteligente, ágil, estável, nunca tímido.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://www.ariionkathleenbrindley.com Bedlington Terrier
Bedlington Terrier
Originário das colinas de Hannhs, onde era conhecido como Rothbury Terrier, esta cão era utilizado por fazendeiros que gostavam de praticar o esporte da caça com terriers.
Apesar da aparência de cordeiro, o Bedlington é bom de briga. Em 1820, Mr. Joseph Ainsley, morador de Bedlington (Inglaterra) adquiriu uma cadela de nome “”Coates Phoebe”".
Cinco nos mais tarde ela foi acasalada com um macho chamado “AndersonF0;s Piper” e o resultado desta união foi o cão “AinsleyF0;s Piper”, considerado o primeiro exemplar a ser chamado de Bedlington Terrier, em função do nome da colônia. Aos oito meses de idade, Piper já caçava texugos, raposas e lontras.
Com a formação do clube da raça, em 1877, alguns criadores se dedicaram ao melhoramento da raça. Inicialmente, foram promovidas rinhas entre os cães da raça, em que os exemplares combatiam até a morte. Mas, felizmente, com a proibição desses combates, a raça continuou a desenvolver a caça como principal função.
Aos poucos, este cão caiu nas graças da elite européia, se transformando também num excelente companheiro, fiel e carinhoso com seus donos.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Caça e companhia
  • Tamanho: 38 a 41 cm
  • Peso: 8,2 a 10,4 quilos
  • Aspectos gerais: É ágil, musculoso e elegante. Seu dorso é arqueado na região lombar. A cabeça é cuneiforme, estreita, profunda e arredondada com o focinho mais longo que o crânio.
  • Pelagem: É uma mistura de pelos macios e duros, não assentados. É áspera ao toque com tendência a cachear, principalmente na cabeça e na região das faces. Ele deve ser tosado e o pelo deve ficar com no máximo 2,5 cm e na cabeça e patas os pelos ficam mais longos. Sua cor é fígado, areia azul, com ou sem marcação castanho.
  • Longevidade: 10 A 12 Anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Pequena
  • Temperamento: Companheiro, fiel e amável.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Bernese Mountain Dog
Um dos cães montanheses mais conhecidos e apreciados da Suíça, o Bernese Mountain Dog é também chamado de Boiadeiro Bêrnes ou Bouvier Bernesiano. Mas o primeiro nome dado a esses cães de aparência aristocrática foi Dürrbächler, o mesmo nome do albergue Dürrbach, local em que foram difundidos e onde eram utilizados para as funções de guarda, tração e rebanho.
Acredita-se que seus antepassados tinham sido levados à Suíça há mais de dois mil anos por soldados romanos invasores, e lá teriam cruzado com pastores nativos, originando a raça.
Originalmente foi muito utilizado como cão de tração e de guarda nas fazendas.
Até pouco antes da Primeira Guerra Mundial, a raça foi quase extinta, mas alguns criadores, liderados por Franz Schertenleib, a recuperaram.
A raça passou a participar de esposições no início do século XX. Em 1907, com a fundação do Clube Suíço de Dürrbächler, os padrões da raça passaram a ser fixadas e os suíços começaram a tê-la como cães de companhia em casa. Apesar disso, a sua funçãode cão boiadeiro nas fazendas ainda persiste.
Grande Coração
O porte pode até colocar medo à primeira vista, mas a verdade é que um Bernese tem a índole tão bela quanto a aparência. Dócil e sempre bem disposto, é um cão que se apega muito ao dono. Por isso, geralmente é mantido dentro de casa, criado como membro da família. Com crianças, apesar do tamanho, é amável, brincalhão e companheiro.
Vive em harmonia também com outros animais, sejam de outra ou da mesma espécie.
Mesmo com todas essas qualidades, a raça não é muito difundida no mundo. Poucos são os exemplares que vivem fora da Suíça.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Suíça
  • Utilização: Tração, pastoreio, guarda e companhia.
  • Tamanho: 64 a 70 cm para machos e 58 a 66 cm para fêmeas.
  • Peso: propocional ao tamanho e estrutura.
  • Aspectos gerais: Porte grande, forte e balanceado. Apresenta agilidade tanto para pastoreio quanto para tração em regiões montanhosas.
  • Pelagem: Grossa e de tamanho médio, podendo ser lisa ou levemente ondulada. É um cão tricolor, com predominância da cor preta e manchas ruivas e brancas.
  • Longevidade: 12 a 13 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: Inteligente, dócil, companheiro e exige muito a presença dos donos.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Bichon Bolonhês
A raça descende dos Malteses e Bichon Frisé e surgiu por volta dos séculos XII e XIII, na Bolonha, região norte da Itália. Quase não há dados históricos que revelam detalhes sobre a origem deste pequeno e gracioso cãozinho de luxo. O que se sabe é que a raça era muito apreciada entre os aristocratas da Itália Renascentista. Em 1668, Cosme de Médicis enviou à Bélgica oito pequenos cães bolonheses.
Encarregado pelos exemplares, o coronel Alamanni os ofereceu a algum diplomata de Bruxelas, já que o valor destes cães naqueles tempos era um presente refinado e de bom gosto. Alguns poucos exemplares da raça foram também levados à Inglaterra, através das Ilhas Canárias.
Hoje, são poucos os exemplares no mundo, embora os criadores europeus tenham se esforçado para tornar a raça mais popular. O Bichon Bolonhês é um cão que vive bem em apartamento, já que é pequeno e bastante ligado ao dono.
Apresenta ainda um bom temperamento. É inteligente, ativo e convive bem com crianças e outros animais. Com estranhos costuma ser um tanto reservado, mas nunca agressivo.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Itália
  • Utilização: Companhia.
  • Tamanho: 27 a 30 cm para machos e 25 a 28 cm para fêmeas.
  • Peso: 2,5 a 4 quilos.
  • Aspectos gerais: É im cão de pequeno porte, bem musculoso, compacto. A bela pelagem encobre todo o corpo. As orelhas são longas, predentes e separadas, fazendo com que a cabeça pareça ser mais larga do que é. A cauda é portada curvada sobre o dorso.
  • Pelagem: Apresenta pelos longos, preferencialmente rebeldes, não assentados e em tufos, jamais formando franjas. A cor é branca.
  • Longevidade: 14 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Pequena
  • Temperamento: É um cão inteligente, amistoso e muito apegado aos donos. Convive bem com crianças e outros cães.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://www.flickr.com/photos/agata4you
Bichon Frisé
Pequeno e simpático, o Bichon Frisé teve sua origem a partir de cães muito antigos que habitavam o antigo Egito e Fenícia há cerca de 1.400 a. C.. Acredita-se que foram os fenícios que espalharam estes cães de pelagem longa e muito branca por várias partes do mundo como Índia, África e Europa. França e Bélgica foram os países responsáveis pelo melhoramento destes cães, mas a popularização do Bichon Frisé se deu mesmo nos Estados Unidos, país em que os exemplares, já com as características atuais, se tornaram moda entre a elite. A raça só foi reconhecida oficialmente em 1973 e os cães passaram a ser vendidos a preços muito altos.
Um cão altivo e alegre, o Bichon é muito semelhante so Poodle Miniatura. Perfeito como cão de companhia, se mostra extremamente carinhoso com o dono. Uma de suas principais características é o andar rápido e ágil. Por ser muito fofinho, com pelagem lisa, sedoda e com cachos, precisa de cuidados constantes. Mas apesar do seu aspecto frágil e de brinquedo, assume perfeitamente o papel de desportista, ganhando reconhecimento em competições como o Agility e o flyball.
O Bichon tem também um especial talento para travessuras, o que poderá surpreender quem adquiriu o cão apenas pela sua aparência. Por isso, deve ser educado desde muito cedo por forma a que perceba facilmente os limites para as suas brincadeiras. Se for preciso deixá-los longos períodos sozinhos, os donos devem acostumá-los desde pequenos a não latir enquanto estiverem sós. Procure não o mimar demasiado, e assuma a posição de líder da matilha. O principal elemento para o sucesso de uma boa educação será a postura dos donos que não devem se deixar levar pelo aspecto frágil do filhote, mimando excessivamente o cão.
Embora tenha sido bastante popular entre os nobres da corte européia no passado, o Bichon Frisé foi visto em circos do século XIX, onde caompanhava tocadores de realejo.
Pequeno e simpático, o Bichon Frisé teve sua origem a partir de cães muito antigos que habitavam o antigo Egito e Fenícia há cerca de 1.400 a. C.. Acredita-se que foram os fenícios que espalharam estes cães de pelagem longa e muito branca por várias partes do mundo como Índia, África e Europa. França e Bélgica foram os países responsáveis pelo melhoramento destes cães, mas a popularização do Bichon Frisé se deu mesmo nos Estados Unidos, país em que os exemplares, já com as características atuais, se tornaram moda entre a elite. A raça só foi reconhecida oficialmente em 1973 e os cães passaram a ser vendidos a preços muito altos.
Um cão altivo e alegre, o Bichon é muito semelhante so Poodle Miniatura. Perfeito como cão de companhia, se mostra extremamente carinhoso com o dono. Uma de suas principais características é o andar rápido e ágil. Por ser muito fofinho, com pelagem lisa, sedoda e com cachos, precisa de cuidados constantes. Mas apesar do seu aspecto frágil e de brinquedo, assume perfeitamente o papel de desportista, ganhando reconhecimento em competições como o Agility e o flyball.
O Bichon tem também um especial talento para travessuras, o que poderá surpreender quem adquiriu o cão apenas pela sua aparência. Por isso, deve ser educado desde muito cedo por forma a que perceba facilmente os limites para as suas brincadeiras. Se for preciso deixá-los longos períodos sozinhos, os donos devem acostumá-los desde pequenos a não latir enquanto estiverem sós. Procure não o mimar demasiado, e assuma a posição de líder da matilha. O principal elemento para o sucesso de uma boa educação será a postura dos donos que não devem se deixar levar pelo aspecto frágil do filhote, mimando excessivamente o cão.
Embora tenha sido bastante popular entre os nobres da corte européia no passado, o Bichon Frisé foi visto em circos do século XIX, onde caompanhava tocadores de realejo.
É uma raça muito usada em terapias humanas que envolvem a presença de animais, já que o seu tamanho e aspecto contribuem favoravelmente no relacionamento com os doentes, que se sentem estimulados pela sua docilidade.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: França
  • Utilização: Companhia.
  • Tamanho: 23 a 30 cm.
  • Peso: 3 a 6 quilos.
  • Aspectos gerais: É um cão pequeno, mas proporcional, alegre e afetuoso, de andadura rápida e atento.
  • Pelagem: É fina e sedosa, ligeiramente crespa em aspirais amplas com cachos longos e espiralados que medem até 10 cm de comprimento, devendo ser preferencialmente branco uniforme, embora se toleram manchas apricot em exemplares jovens.
  • Longevidade: 14 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Pequena
  • Temperamento: É ativo, alegre e muito carinhoso com o dono.
  • Atividade física: Baixa
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Bichon Havanês
Todos os Bichons, inclusive o Havanês, descendem da mesma linha de sangue que produziu cães como Barbet, o Spaniel dF0;água e o Poodle. É provável que a raça tenha se originado na Ilha de Malta. Da família dos Bichons, o Havanês atual tem referências ancestrais muito antigas, que datam de 79 anos a.C., na região do Mediterrâneo. Dados históricos revelam que alguns exemplares criados na Espanha e Itália foram levados a Cuba, onde se tornaram bem populares e passaram por melhoramentos através de cães de origem cubana. Transportados pelo mar até Cuba, os Bichons eram oferecidos como presentes às mulheres da alta sociedade.
Com seu comportamento ativo e vivaz, o Bichon Havanês é um excelente cão de companhia, se mostrando sempre alegre e extrovertido.
No Brasil, o primeiro Bichon Havanês chegou de Doetinchem, na Holanda, em 1997. Satisfeitos com as qualidades da raça, os proprietários do canil deram andamento a criação, importando em seguida um casal da Alemanha e uma fêmea de Cuba.
Uma característica marcante da raça é o interesse em aprender e obedecer aos comandos do dono.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Cuba
  • Utilização: Companhia.
  • Tamanho: 21 a 29 cm.
  • Peso: 3 a 5,5 quilos.
  • Aspectos gerais: É um cão pequeno, forte, de membros curtos, e longa e bela pelagem que não deve ser tosada. A cauda é bem franjada e portada alta curvada sobre as costas. Seu andar é saltitante, o que acentua ainda mais o seu jeito feliz, altivo e vivaz.
  • Pelagem: É dupla e tanto o pelo como subpelosão macios. O pelo é bem longo e profuso variando do liso a encaracolado, sendo que o ondulado é o preferível. O comprimento do pelo em um animal adulto varia de 15 a 20 cm. É permitido trançar o pelo de cada lado da cabeça acima dos olhos. As cores podem ser todas, variando de puro branco até tons de creme, champanhe, dourado, preto, azul, prata, chocolate ou qualquer combinação dessas cores, incluindo particolores e tricolores.
  • Longevidade: 14 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Pequena
  • Temperamento: É um cão alegre, extrovertido e de fácil treino.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://www.flickr.com/photos/a_reneby
Billy
Criada na França, no século XIX, o Billy é o último descendente dos F0;Cães Brancos do ReiF0; – grandes sabujos preferidos dos reis Francisco I a Luís XVI. Seu nome é proveniente do Castelo de Billy localizado na região de Piotou. Foi lá que o Sr. Hubolt du Rivault deu início ao desenvolvimento da raça. Os cães de sua matilha eram então denominados Cães do Alto Poitou. Através de cruzamentos de várias raças hoje desaparecidas como o Ceris, caçador de lebres e lobos, o Montemboeuf, caçador de javalis, e o Larye, de faro muito apurado, surgiu o Billy. A raça foi definitivamente em 1886. Uma das raças mais representadas no conjunto de cães da matilha de caça grossa, este cão é resistente e de grande velocidade. É um cão de caça, em matilha ou com cavalos, notável, sobretudo para a caça do veado e ao cabrito-montês.
Quando não está em trabalho de caça, tende a entrar facilmente em conflito com outros cães. Uma de suas características marcantes é a voz melodiosa.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: França
  • Utilização: Faro
  • Tamanho: 60 a 70 cm para machos e 58 a 62 cm para fêmeas.
  • Peso: entre 30 e 35 kg
  • Aspectos gerais: é um cão bem construído, forte e leve, de membros anteriores um pouco mais poderosos que os posteriores. A cauda é longa, forte e, às vezes, levemente peluda.
  • Pelagem: o pelo é raso, duro ao toque e um pouco grosso. As cores são completamente branca ou branca-café com leite ou ainda branca com manchas ou manto laranja claro ou limão.
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: os exemplares da raça são calmos e facilmente treináveis para obediência. Gostam de crianças, se apegam ao dono, mas não desempenham as funções de cão de guarda.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Boerboel
Desenvolvido pelos ‘Boers’, colonizadores protestantes brancos, de origens dinamarquesa, francesa e alemã, o Boerboel, também chamado de Mastife dos Fazendeiros da África do Sul, esses colonizadores levaram não só os mastifes, como seus cães lebréis e farejadores. A vida rural, nos campos e nas matas fechadas da África do Sul, não era nada fácil. Somente os cães extremamente fortes eram capazes de sobreviver aos constantes ataques de animais selvagens, cobras venenosas e ás condições climáticas árduas. Por isso, o povo Boer desenvolveu ainda mais o instinto de defesa, a percepção e ainteligência de seus cães de guarda, desenvolvendo o Boerboel conhecido como o Defensor Africano. Ele protegia as fazendas e os colonos da população nativa hostil e de animais selvagens. Ficou famoso por derrrotar leopardos, hienas, babuínos e até mesmo cobras, graças á sua extrema agilidade. O antigo Bullenbeisser ( semelhante ao Bulldog) foi um dos formadores da raça, juntamente com o Dinamarquês e o Mastile Belga ( hoje extinto)
Temperamento Controlado: É muito ajustado, de temperamento constante e possuidor de qualidades como paciência, complacência e calma, além de conhecer seu dono a ponto de distinguir seus sentimentos.
Ele sabe quem é bem-vindo ou não na casa, deixando claro aos invasores que manter distância é a atitude mais adequada.
Ele sabe quem é bem-vindo ou não na casa, deixando claro aos invasores que manter distância é a atitude mais adequada.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Africa do Sul
  • Utilização: Guarda e boiadeiro
  • Tamanho: 60 a 70 cm para machos e 55 a 65 cm para fêmeas.
  • Peso: 60a 75 quilos para machos e 50 a 65 quilos para fêmeas
  • Aspectos gerais: Na aparência geral, o Boerboel é um cão de grande porte. O pescoço é largo, a cabeça massiva e simétrica, com orelhas pendentes e cauda sempre cortada.
  • Pelagem: A pelagem é curta, macia e sedosa. A cor pode ser qualquer uma, com ou sem marcações em branco no peito e com ou sem máscara preta na cabeça.
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: é um cão de bom temperamento e com agresssividade controlada, inteligente, de natureza firme e equilibrada, o Borboel é fiel ao seu dono até a morte. Possui as características de um bom cão de guarda, é afetuoso com seu dono e especialmente com as crianças. Além disso, apresenta enorme autoconfiança.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Boiadeiro de Entlebuch
O Boiadeiro de Entlebuch é o menor das três raças de boideiros Suíços. É originário de Entlebuch, vale situada na região de Lucerne e de Berne.
Além de suas capacidades ancestrais de boiadeiro ativo e incansável, descobriu-se e colocou-se em evidência suas notáveis aptidões para cão de utilidade.
Ainda hoje, o efetivo permanece modesto, porém este cão tricolor, de aspecto atraente encontrou seus admiradores e desfruta de uma crescente popularidade como cão de família.
Muito territoriais, são protetores, mas nunca agressivos.
Trabalhadores obedientes, amam o que fazem, sendo, além de boa companhia, muito amigáveis com as pessoas e outros cães, e ainda de fácil manutenção, mas têm uma certa tendência à obesidade.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Suíça
  • Utilização: Cão de conduzir gado, de pastoreio, de guarda e de fazenda. Hoje também é um versátil cão de trabalho e agradável cão de família.
  • Tamanho: 44 até 52 cm para machos e 42 até 50 cm para fêmeas
  • Peso: 23 a 30 quilos
  • Aspectos gerais: Cão compacto, de tamanho médio, de forma ligeiramente alongada, tricolor como todos os boiadeiros suíços, muito ágil e ativo. Sua expressão é alerta, inteligente e doce.
  • Pelagem: Pelagem dupla (Stockhaar). Pelo de cobertura curto, bem assentado, duro e brilhante. Subpelo denso. Pelo ligeiramente ondulado na cernelha ou sobre o dorso é tolerado, mas não desejado.
  • Longevidade: 11 a 13 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: Vivo, temperamental, seguro de si, sem medo; gentil e fiel a pessoas conhecidas., ligeiramente desconfiado com estranhos. Cão de guarda incorruptível; alegre e receptivo.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Border Collie
Nomeado o cão mais inteligente do mundo, o Border Collie reúne uma série de boas qualidades: é ágil, incansável, afetivo com os donos, atleta e pastor nato.
Sua origem é antiga: trabalhos gravados em madeira e datados de antes de 1800 mostram cães que lembram o Border Collie atual. Sabe-se porém, que os ancestrais do Border Collie tiveram origem na fronteira entre a Inglaterra e Escócia.
Em 1876, R.J. Lloyd Price testou a habilidade de trabalho dos Borders. De 100 ovelhas levadas a um Palácio em Londres, três foram separadas do rebanho e levadas a uma área remota de um parque, mas os espertos Borders trouxeram-nas de volta, com a orientação de seus donos.
É ainda, um animal capaz de atuar de forma independente no rebanho, já que possui um instinto nato para a apartação. Admirado pela maneira peculiar de trabalho o Border costuma deitar-se ao redor do rebanho, olhando-o fixamente e cercando-o constantemente para evitar fugas.
Esse comportamento alerta e responsável remete à astúcia dos lobos durante a caça. Sempre pronto para o trabalho, ele segue comandos mesmo distante, sejam com o apito, assovio ou palavras.
No Brasil, a raça já está bem difundida, além da criação em fazendas de gado, é uma das preferidas para a prática do Agility, esporte que consiste em fazer com que o cão percorra um circuito de obstáculos.
Nos últimos anos, têm chegado ao país Border Collies não só com aptidão para o Agility, mas também destinados a exposições de beleza, provando cada vez mais a versatilidade da raça, que é utilizada para companhia e pastoreio.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Pastoreio
  • Tamanho: 53 cm, as fêmeas podem ser ligeiramente menores.
  • Peso: 14 a 22
  • Aspectos gerais: porte médio, bem proporcionado, de aparência atlética, apresentando graça, habilidade e resistência.
  • Pelagem: duas pelagens e ambas densas, de textura média, subpelo macio e denso que os protege contra intempéries. A cor pode variar, desde que a branca não seja predominante. A mais comum é a preta com colar, meias (parte inferior dos membros) e ponta da cauda brancas.
  • Longevidade: 12 a 14 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: inteligente, responsável, alerta e dócil.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Border Terrier
O Border Terrier é originário da fronteira entre a Escócia e Inglaterra, o que lhe deu nome Border (fronteira) Terrier. Esta raça é conhecida no Reino Unido desde o século XVIII. Estes cães foram utilizados como cães de caça à raposa, capazes de acompanhar o passo de um cavalo e também de perseguir os animais de pequeno porte nas suas tocas.
Nos dias de hoje, fazem muito sucesso nos campeonatos de Agility, de perseguição ao rato e nas provas de Earthdog.
Para conseguir caçar e matar as poderosas raposas da montanha, os caçadores necessitavam de cães que tivessem a altura necessária para seguir um cavalo, sendo pequeno suficientes para seguir pelo faro a trilha do chão.
Por serem puros terriers de trabalho, os fazendeiros pastores e caçadores da região preservaram cuidadosamente uma linhagem particular desse cão, que podia ser encontrada em quase toda área de fronteira.
Podemos concluir que o Border Terrier foi desenvolvido através de um criterioso processo de seleção, que resultou num cão incansável, trabalhador árduo e dono de uma grande impulsão, sendo capaz de ultrapassar quase qualquer tipo de barreira física para alcançar seu objetivo.
É considerada uma das raças menos modificadas pelo homem, pois foi a mais esquecida nos concursos de beleza canina. Isto fez com que estes cães tenham sido criados pela capacidade de trabalho, tornando-os resistentes e sem graves problemas de saúde de características genéticas.
Seu bom temperamento é o de um típico terrier, afetivo, obediente e de fácil treinamento.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Caça e companhia
  • Tamanho: 30 a 45 cm
  • Peso: 5 a 7 quilos.
  • Aspectos gerais: Um terrier essencialmente de trabalho, capaz de seguir um cavalo, combinando atividade e coragem.
  • Pelagem: Pelo duro e denso com subpelo cerrado. A pele deve ser grossa.
  • Longevidade: 13 a 14 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Pequeno
  • Temperamento: Ativo e repleto de energia
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Borzoi
De porte elegante e aristocrático, este cão tem sido utilizado na Rússia para a caça de lobos, lebres e outros aniamis desde o século 17, perseguindo, capturando e imobilizando-os até a chegada dos cavaleiros. O Borzoi é um cão ágil, elegante, inteligente e muito afetuoso. Foi provavelmente desenvolvido a partir de Greyhounds importados da Arábia por um duque russo, que foram cruzados com um cão nativo semelhante ao Collie. Nos últimos 100 anos, ele quase não passou por mudanças em suas características. Em função das guerras ocorridas no século 18, a raça quase foi extinta. Por sorte Mr. Joseph B. Thomas conseguiu importar diretamente da Rússia, dos canis Perchina (do grande Duque Nicholas of Romanoff) e Woronzova (do Sr.Arten Balderott) o tipo antigo que os interessados na criação procuravam.
O nome do Borzoi tem origem na palavra russa que significa "rápido". Ao contrário da maioria dos cães, que usa o faro para rastrear, o Borzoi usa a visão como principal sentido.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Rússia
  • Utilização: Caça e corrida
  • Tamanho: 75 a 85 cm para machos e 68 a 78 cm para fêmeas
  • Peso: 30 a 48 quilos
  • Aspectos gerais: Na aparência geral, a incontestável nobreza é aliada á elegância dos movimentos e expressão de agilidade.
  • Pelagem: Apresenta pelo sedoso, macio e flexível, ondulado ou formando cachos curtos, mas nunca cachos apertados pequenos. Na cabeça, nas orelhas e nos membros, o pelo é acetinado( sedoso, porém mais pesado), curto e bem assentado. No corpo, o pelo é bastante longo e ondulado; nas regiões das escápulas e da garupa, ele forma cachos mais finos;nas costelas e coxas, o pelo é mais curto, os pelos que formam as franjas, os culotes e o penacho da cauda são mais longos. O pelo do pescoço é denso e abundante. Todas as conbinações de cores são aceitas, mas nunca com azul, marrom (chocolate) e nenhuma derivação dessas cores. Todas as cores podem ser sólidas ou manchadas. As franjas, os culotes e o penacho da cauda são consideravelmente mais claros do que fundo. Para as cores encarvoadas, a máscara preta é típica.
  • Longevidade: 12 a 13 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: fiel,afetuoso e atencioso com crianças.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Boston Terrier
O Boston Terrier é o resultado de cruzamentos de Bulldogues Ingleses e Terriers Ingleses brancos, realizados na cidade de Boston no século XIX. Em 1870, um desses cães chamado Judge, de propriedade de Mr. Rober C. Hooper, foi acasalado com Gyp, uma fêmea branca e quadrada. Dessa ninhada, um dos filhotes de estrutura baixa e forte foi acasalado com uma fêmea de cabeça curta, o que formou a base para chegar ao tipo atual da raça. No entanto, a denominação oficial veio apenas a partir da criação do Clube Americano do Boston Terrier, em 1891. Antes disso, eram chamados de Round Head (cabeça arredondada) ou Bull Terrier. O Kennel Clube Americano passou a reconhecer a raça dois anos depois da fundação do Clube.
É uma raça extremamente inteligente e obediente. Interage bem crianças e outros animais. Tem muita energia para brincadeiras e quando bem disciplinado é muito educado. É muito sensível e tem uma capacidade enorme de dar amor e carinho para seus donos.
Não precisa de muitos cuidados. É um cão muito resistente e como tem pelagem curta, os banhos podem ser dados a cada 15 dias ou mais. Come, em média, 150 g de ração por dia, mas, como com qualquer outro animal, deve ser acompanhado por um veterinário periodicamente, ser vacinado e vermifugado.
Apesar de descenderem dos Terriers e dos bulldogs, o Boston não tem nada da agressividade característica dos Terriers nem da teimosia dos bulldogs. Pelo contrário, são pacientes, obedientes e se adaptam com muita facilidade a qualquer estilo de vida. Eles herdaram somente a determinação e valentia.
Como cão de companhia, o Boston Terrier é especial por ser amistoso, inteligente e se mostrar sempre bem disposto a brincadeiras. Além disso, seu porte pequeno a médio não requer grandes áreas para criação.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: EUA
  • Utilização: Companhia.
  • Tamanho: Pequeno a médio (de 38 a 43 cm).
  • Peso: É dividido por classe. Abaixo de 6,8 quilos, de 6,8 a 9 quilos e de 9 a 11,35 quilos.
  • Aspectos gerais: O Boston Terrier é um cão cheio de vida e muito inteligente. Ele deve dar impressão de determinação, força e atividade com muita classe. Apresenta porte fácil e gracioso. Uma combinação proporcional de "Cor e Marcação em Branco" é uma característica particular de um exemplar representativo. A cauda é inserida baixa, curta, fina e afinando, reta ou em parafuso, não devendo ser portada acima da horizontal. Segundo o padrão da raça , prefere-se a cauda que não exceda em cumprimento em mais de um quarto a distância da inserção da cauda à ponta do jarrete.
  • Pelagem: Possui pelo curto, liso, brilhante e de textura fina. As cores admitidas são tigrado, cor de foca ou preta com marcação em branco. Tigrado é preferido apenas se todas as outras qualidades forem iguais (cor de foca
  • Longevidade: 10 a 12 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Pequena
  • Temperamento: É um cão afetuoso e gentil. A raça tem excelente disposição e um alto grau de inteligência, o que faz do Boston Terrier um cão de companhia especial.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Bouvier de Flandres
Este cão teve origem na região de Flandres. Acredita-se que os ancestrais do Bouvier sejam os griffons e o antigo Beauceron.
Com grande capacidade para os trabalhos de guarda e condução de rebanhos, os cães da raça eram os preferidos dos açougueiros, fazendeiros e comerciantes de gado.
Em 1922, um clube da raça foi fundado na Bélgica . O animal chegou até a participar da Primeira Guerra Mundial, encarregado de levar mensagens e resgatar soldados feridos. Hoje, além da função de pastoreio, é utilizado para guardar propriedades, desempenhar tarefas de policiamento e defesa.
O Bouvier é tranquilo, corajoso, leal aos donos. É um excelente cão de companhia, se mostrando paciente com crianças e sempre alerta. No entanto, pode se tornar um pouco agressivo com estranhos.
O Bouvier é tranquilo, corajoso, leal aos donos. É um excelente cão de companhia, se mostrando paciente com crianças e sempre alerta. No entanto, pode se tornar um pouco agressivo com estranhos.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: França
  • Utilização: Pastoreio, guarda de propriedade e defesa policial
  • Tamanho: 62 a 68 cm para os machos e de 59 a 65 cm para as fêmeas.
  • Peso: 35 a 40 machos/ 27 a 35 fêmeas
  • Aspectos gerais: porte grande, com tronco curto, atarracado e membros fortes e musculosos. A cabeça é massuda e as orelhas têm inserção alta, normalmente cortadas em triângulo para ficarem eretas.
  • Pelagem: dupla, com subpelo protetor e impermeável. O pelo é levemente eriçado, sem ser lanoso nem encaracolado, e tem cerca de 6 cm de comprimento. A cor é cinza tigrada ou cor de carvão.
  • Longevidade: 11 a 13 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: inteligente, tranquilo, corajoso, leal e protetor.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Boxer
O ano de 1984 marca a chegada do Boxer na Bavária, Alemanha.
Alguns historiadores acreditam que a raça resulta de cruzamento entre o Bulldog Inglês e o Mastim Bullenbeisser. Outros citam o já extinto Brahanter Bullenbeiser sua origem.
O desenvolvimento dos cães da raça mesclava, características anatômicas elegantes e equilibradas com potência muscular, inteligência e coragem.
No início da primeira Guerra Mundial, os antigos Boxers foram recrutados na Alemanha como mensageiros e cães carteiros. Um exemplar tigrado, chamado Rolf Von Vogelsberg, sobreviveu à guerra e foi tido como um dos pilares da raça.
É utilizado em vários países como policial. Sua dedicação e docilidade com a família é uma de suas principais características, além de possuir índole leal, equilíbrio emocional, ousadia, inteligência, porte elegante e atlético.
O hábito de levantar as patas dianteiras e movimentá-las como se estivesse dando socos no ar, provavelmente tenha originado o nome do Boxer.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Alemanha
  • Utilização: Guarda, trabalho e companhia.
  • Tamanho: 57 a 63 cm para machos e 53 a 59 cm para fêmeas
  • Peso: acima de 30 quilos para machos e de 25 quilos para fêmeas
  • Aspectos gerais: Robusto, de estrutura quadrada, ossatura forte e músculos definidos finos e bem aparentes. Movimentos ágeis, indicando força e nobreza.
  • Pelagem: Curta, aderente e brilhante. A cor pode ser castanho-amarelada, avermelhada ou mosqueada, com manchas brancas bem definidas no peito, pernas e cabeça e a máscara preta não deve passar do focinho.
  • Longevidade: 8 a 12 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: Leal, ousado, inteligente, dócil com os donos, atencioso, brincalhão e protetor.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Braco Alemão Pelo Curto
Conhecido também como Pointer de Pelo Curto, o Braco foi desenvolvido na região da atual Alemanha por criadores que buscavam um cão que pudesse ser usado em diversos tipos de caçadas, tanto a animais de penas quanto de pelos, fosse hábil apontador e rápido. Extremamente hábil na caça de patos, gansos e faisões, pode ser usado também na caça de animais de pelo e atua bem tanto na terra quabto na água. Os cães da raça se tornaram um dos mais procurados pelos aficionados da caça esportiva em todo mundo, pois une uma linda aparência com habilidade no trabalho, excelente temperamento e longevidade. Cães rústicos, quase não apresentam problemas de saúde. No entanto, alguns exemplares, especialmente aqueles que não têm alto nível de atividade, podem apresentar tendência à obesidade. Isso normalmente acontece quando o cão tem espaço suficiente para se exercitar e extravasar toda sua energia.
Como todos os cães da raça Pointer, é muito altivo, tem um grande vigor físico, agiliadadee disposição, além de ser um farejador nato. Esta característica fez com que as polícias de várias partes do mundo passassem a empregá-lo na busca de drogas em aeroportos de diversos países.
Típico cão de caça com inteligência aguçada e faro excepcional, o Braco é um cão bastante dócil, muito ligado ao dono e a sua família, além de ser um excelente companheiro em casa e no campo.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Alemanha
  • Utilização: Caça.
  • Tamanho: 62 a 66 cm para machos e 58 a 63 cm para fêmeas.
  • Peso: 20 a 32 quilos.
  • Aspectos gerais: Cão simétrico, com conformação que demonstre agilidade, força, animação e um olhar inteligente, tendo a cauda amputada pela metade.
  • Pelagem: Curta, densa, macio e brilhante, naturalmente repelente à água e patas dotadasde membranas entre os dedos, o que facilita muito sua movimentaçãona água, mesmo gelada, e em àreas pantanosase difíceis. A cor pode ser marrom ou preta, sólido ou ruão, com manchas ou salpicos de branco.
  • Longevidade: 12 a 14 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: Dócil, disposto, fiel, inteligentee companheiro.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Braco Italiano
Afrescos do século 14 já retratam esses cães de aponte. A raça é conhecida desde a Idade Média e foi muito difundida no período da Renascença, sendo apreciada pela nobreza da época, que tinha como hobby a caça de aves.
Chamado também de Pointer Italiano, é uma raça originária da Itália e sempre foi usado na caça de pássaros. Seu desenvolvimento se deu a partir de animais selecionados, principalmente na região norte da península. Acredita-se que a variedade branco-e-laranja tenha se originado em Piemonte e a ruão-e-marrom na Lombardia. Na verdade, as pessoas conheciam e chamavam o cão branco-e-laranja de Pointer Piemontês e o ouro, de Pointer da Lombardia ou Lombardo. Ele foi difundido por pequenos criadores e os filhotes desses canis eram muito procurados por nobres e famílias reais.
Os cães da raça são resistentes e adequados a qualquer gênero da caça, além de serem excelentes para companhia. São sérios em seu trabalho, dóceis, inteligentes e com grande capacidade de aprendizado.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Itália
  • Utilização: Caça de aponte.
  • Tamanho: 55 e 67 cm.
  • Peso: 25 a 40 quilos.
  • Aspectos gerais: Porte médio para grande, robusto, aspecto vigoroso, musculatura forte, marcada e linhas bem definidas. A cabeça escultural e angulosa é uma das características da raça. As orelhas têm inserção baixa, são pedentes e bem compridas. A cauda é portada quase horizontalmente e é amputada de modo que fique em torno de 15 a 25 cm de comprimento.
  • Pelagem: É constituída por pelo curto, cerrado e brilhante. A cor deve ser
  • Longevidade: 10 a 12 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: Resistentes, dóceis, inteligentes e com grande capaciade de aprendizado.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://commons.wikimedia.org
Bretão Espanhol ou Mastim Espanhol
Esse Mastim, conhecido por Bretão ou Mastim Espanhol descende dos cães levados à Peninsula Ibérica pelos Fenícios e Gregos há 2 mil anos e embora seja antiga, até hoje exemplares da raça podem ser encontrados cuidando do gado e ovelhas nas regiões montanhosas da Espanha.
Um cão muito forte e alerta, o Mastim Espanhol tem um jeito característico de trabalho: ele dá o alarme ao pastor e permanece quieto e atento, sem atacar.
Apesar do tamanho, é calmo e muito gentil com outros animais. É também inteligente e gosta de estar perto da família, se mostrando sempre disposto ao trabalho.
Além de servir excepcionalmente como cão de pastoreio, o Matim Espanhol também é usado com sucesso em outras funções, entre elas a de guarda da família, propriedade e como cão de busca e resgate.
No Brasil, é considerada uma raça raríssima, sendo visto apenas em exposições internacionais.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Espanha
  • Utilização: Guarda e defesa.
  • Tamanho: 72 cm para fêmeas e 77 cm para machos.
  • Peso: 55 a 70 quilos
  • Aspectos gerais: Cão de grande porte, bem balanceado, muito forte, musculoso e robusto. A cabeça é sólida e pesada, e as orelhas de tamanho médio são pendentes.
  • Pelagem: É formada por pelo denso, grosso, de comprimento médio, reto e distribuído por todo o corpo.
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: É um cão calmo, porém sempre alerta. É inteligente, aprendendo com faciliade, e é muito apegado à família.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Buldogue Serrano
A história do desenvolvimento da raça confunde-se, muitas vezes, com a do Buldogue Campeiro, embora a versão oficial diga que o Buldogue Serrando é uma raça distinta. Acredita-se que ele tenha sua origem em cães do tipo buldogue, trazidos para o Brasil no século 19 por imigrantes europeus. Assim, alemães e poloneses contribuíram com o Bullenbeisser, enquanto os italianos com o Buldogue Maltês e i antigo Buldogue Inglês, um tipo diferente do atual. Outras raças que podem ter colaborado para a formação do Buldogue Serrano são o Buldogue Espanhol e o Alano, cães que provavelmente atravessaram a fronteira com o Brasil e auxiliaram no trabalho com o gado. Com o objetivo de selecionar os cães mais aptos para a lida com o gado, surgiram duas raças distintas: o Buldogue Campeiro, um tipo mais pesado e comum nas regiões do Mato Grosso do Sul, Paraná e Santa Catarina e nos campos do Rio Grande do Sul, próximos às fronteiras com Argentina e Uruguai, e o Buldogue Serrano, um cão mais leve e comum nas encostas das serras e nas serras gaúchas. Utilizados na função de pastoreiro estes cães auxiliavam os peões a levar o gado ao seu destino. Além disso foram usados para arrastar porcos e bois ao abate. Com a proibição do uso de cães na atividade e o desenvolvimento da pecuária no país, tanto o tipo leve quanto o pesado foi quase extinto. O regaste das raças se deu no final da década de 1970, pelas mãos do cinófilo Ralf Schein Bender. Em 2001, o Buldogue Campeiro foi reconhecido oficialmente pela Confederação Brasileira de Cinofilia – CBKC. Alguns criadores insatisfeitos com o tipo pesado do descrito no padrão solicitaram o reconhecimento do tipo mais leve. Assim, em meados de 2009, o Buldogue Serrano também ganhava seu reconhecimento junto a CBKC. Entre os criadores que lutaram e colaboraram para o reconhecimento da raça, destacam-se o cinófilo Pedro Pessoa Ribeiro Dantas e o criador Ivanor Oliviecki.
Utilizados na função de pastoreiro estes cães auxiliavam os peões a levar o gado ao seu destino.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Brasil
  • Utilização: guarda, pastoreio e companhia.
  • Tamanho: 50 a 56 cm para machos e 48 a 53 cm para fêmeas
  • Peso: 31 a 40 quilos para machos e 25 a 35 quilos para fêmeas.
  • Aspectos gerais: cão de aspecto sólido, maciço, atarracado, mas dando impressão de grande agilidade. Miúsculos longos que detonem a agiligade do cão. Cauda em sacarolha ou enroscada. Não devendo ser penalizados cães cujas caudas nasçam longas que, neste caso, devem se apresentar reta e com porte baixo, caso, devem se apresentar reta e com porte baixo, caso não sejam operadas. Inserção média.
  • Pelagem: lisa, de textura média (nen muito macia nen muito dura). Pelo curto.
  • Longevidade: 10 a 13 anos.
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: cão dócil e meigo com as pessoas de casa. Guardião equilibrado, atento e versátil. Deve possuir extrema coragem e mostrar submissão à diciplina ante seu dono. Não deve dar demontrações gratuitas de agressividade a pessoas ou cães. Mas, deve ser destemido quando provocado ou sob comando.
  • Atividade física: Moderada.
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2011 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://buldogueserrano.blogspot.com/
Bull Terrier
O Bull Terrier teve origem na Inglaterra, a partir de cruzamento entre o Buldogue com o hoje extinto Terrier Inglês Branco. Mais tarde, para aumentar o tamanho, foi usado o Spanish Pointer.
Em 1941, estabeleceu-se um tamanho mínimo para raça, sendo que os cães abaixo deste limite passaram a ser registrados com Bull Terrier Miniatura.
Houve um tempo em que o Bull era utilizado em combates sangrentos entre cães. Hoje faz sucesso como animal de estimação, devido à sua devoção ao dono, afetividade e alegria, estando sempre pronto para uma boa brincadeira.
Na década de 80, a raça quase foi extinta, por problemas sérios de coração, rins e PLL, mas em 1989, a solução veio através do acasalamento de miniaturas com Standard saudáveis.
Quanto ao temperamento, são um pouco mais agitados em relação ao Standard e infelizmente ainda apresentam muitos problemas de saúde.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Caça e Companhia
  • Tamanho: Não há limites para altura e o peso, mas o cão deve dar a impressão de máxima substância para seu tamanho, em coerência com suas qualidades e sexo.
  • Peso: 23 a 28 quilos
  • Aspectos gerais: Compacto, fortemente musculado, ágil e cauteloso como um gladiador canino. O peito é profundo e o antepeito é largo. A cabeça tem formato oval e a pele é bem aderida.
  • Pelagem: Curta, rente, áspera ao toque e brilhante. A cor na variação é branca é 100% branco, sendo permitida alguma marcação na cabeça. Na colorida, todas as cores, menos a branca, são permitidas, ou qualquer cor com marcação branca. A cor preferencial é a tigrada.
  • Longevidade: 11 a 13anos
  • Agressividade: Alta
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: Afetivo, atencioso, brincalhão, protetor e devoto ao dono.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Bulldog Americano
O Bulldog Americano é tão apreciado quanto seu antecessor- o antigo Bulldog Inglês usado em combates com touros. A raça foi ganhando popularidade devido ás suas caracteristicas de guarda e caça. Tanto que foi preservado por imigrantes da classe trabalhadora que levaram seus cães de trabalho com eles para o sul dos Estados Unidos, onde pequenos fazendeiros os empregavam nas mais diversas tarefas. Devido aos muitos diferentes tipos de trabalho que esses cães exercem, várias linhagens distintas foram desenvolvidas, cada uma dando ênfase aos traços necessários para um determinado trabalho. Hoje, cada vez mais procuras-se miscigenações ideiais para torná-los ainda mais homogêneos. A raça só foi reconhecida em 1999, pela United Kennel Club ( UKC).
Ele continua a ser um cão de múltiplas funções:destemido e resoluto como cão de guarda, excelente ajudante nos trabalhos rurais e também um fiel companheiro da família.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: EUA
  • Utilização: Guarda
  • Tamanho: 51 a 69 cm
  • Peso: 34 a 57 quilos
  • Aspectos gerais: Porte grande, ligeiramente mais longo que alto, com boa ossatura e musculatura denotando força e resitência. A cabeça é grande com crânio e focinho largos. As orelhas são pequenas a médias, pendentes, semieretas ou ainda podem ser cortadas. A cauda pode ser ou não cortada.
  • Pelagem: Curta e dura ao toque. A cor pode ser a branca com marcações, rajada ou qualquer cor sólida exceto a preta ou azul.
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Alta
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: Fiel, companheiro, inteligente e dócil com seus donos.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Bulldog Inglês
Criado na Inglaterra, no século 16, para combates sagrentos com touros, o Bulldog era mais alto e musculoso em sua origem. A mandíbula bem desenvolvida foi um fator importantes para que os exemplares da época ganhassem as lutas prendendo o pescoço e as narinas dos touros. Com a proibição das lutas, no século 19, passaram a ser utilizados em rinhas entre cães.
Até chegar ao tipo atual, o Bulldog passou por muitos cruzamentos. Especialistas acreditam que o Mastiff e o Pug foram algumas das raças que contribuíram para o desenvolvimento do Bulldog de hoje.
Em 1877, a raça participou da primeira competição de beleza. A partir daí a criação do Bulldog como animal de estimação teve um amplo crescimento, principalmente nos Estados Unidos. Nesta época, a raça já tinha suas características físicas e comportamentais bem definidas, sem qualquer traço de agressividade.
É um cão quieto, dificilmente late, e seria silencioso se não fossem os roncos e barulhinhos esquisitos que ele faz ao repirar.
Embora goste muito de colo e da proximidade do dono, não é um cão ativo. Aliás, é um tanto preguiçoso, independente e teimoso: faz sempre o que quer e na hora que quer.
Com crianças o comportamento de um Bulldog é ainda mais especial, passando tranquilidade e confiança, sem nunca colocá-las em situação de perigo.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Companhia.
  • Tamanho: 31 a 36 cm.
  • Peso: 25 quilos para machos e 23 quilos para fêmeas.
  • Aspectos gerais: Corpo compacto, sólido, baixo e quadrado, dado impressão de força e decisão. Quando anda, seus movimentos são semelhantes a um rebolado.
  • Pelagem: Pelo baixo e rente ao corpo, curto, brilhante e liso. Apresenta tonalidades de vermelho, tigrado, branco ou com manchas brancas em qualquer uma das cores. A máscara e o focinho podem ser pretos.
  • Longevidade: 8 a 10 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Pequena
  • Temperamento: Dócil, tranquilo, fiel e companheiro.
  • Atividade física: Baixa
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Bulldogue Campeiro
A raça era relativamente comum na região sul do BRASIL até o fim da década de 1960. Este cão teve sua origem a partir do antigo Bulldog Inglês, introduzido naquela área por imigrantes europeus, no século 19. A função principal desse animal era acompanhar os tropeiros que levavam o gado das fazendas aos matadouros, pastoreando e agarrando o boi que se desgarrava. Com o tempo, foi selecionado naturalmente, visando a funcionalidade. Isso porque os pequenos tinham dificuldade para percorrer grandes distâncias e segurar o boi. E os altos levavam desvantagens na precisão de movimentos, ficando vulneráveis ás investidas dos bois e perdendo o instinto de pegador. Ainda hoje é muito empregado em fazendas e matadouros do interior. Mas, também é um excelente cão de guarda e companhia. Seu temperamento calmo e determinado faz dele um cão útil e de fácil manejo. É dócil com crianças, fiel com os donos e reservado com estranhos.
Apesar de ser proporcionalmente um pouco pesado, graças á sua força e agilidade consegue agarrar pelo focinho e dominar animais com mais de 400 quilos.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Brasil
  • Utilização: Guarda e Pastoreio
  • Tamanho: 48 a 58 cm
  • Peso: 35 a 45 quilos
  • Aspectos gerais: Porte médio, robusto, forte e rústico. Apresenta membros um pouco mais curtos, mas estruturados e com musculatura bem desenvolvida. A cabeça é grande, chata, com focinho ereto e mandibula inferior maior que a superior. As orelhas são pequenas , implantadas altas e pendentes ou voltadas para trás. A cauda, em geral, é curta e torta.
  • Pelagem: Curta, lisa e de textura média. A cor pode ser qualquer uma, sendo que a predominância é dourado ou tígrado, sólido ou com branco. Existem os totalmente pretos, e aqueles integralmente brancos (estes ruins para a lida ao sol)
  • Longevidade: 10 a 13 anos.
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: Aprende com facilidade, fiel, disposto e dócil com donos e crianças, ma reservado com adultos.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://images01.olx.com.br/ui/3/45/86/
Bulldogue Francês
De origem francesa, a raça descende do antigo Bulldog Inglês, provavelmente da variedade Toy, que existia em grandes quantidade por volta de 1860. Esses pequenos Bulldogues Ingleses não eram muito apreciados na Inglaterra e foram enviados em larga escala para a França. Lá, foram cruzados com vários outras raças e finalmente se tornaram moda nos círculos femininos, no mundo dos artistas e na alta sociedade. O primeiro clube da raça foi fundado em 1880, em Paris. Em 1885, ocorreu o primeiro registro de inscrição e, em 1898, foi redigido o padrão oficial pela Sociedade Canina Central, que reconheceu a raça do Bulldog Francês. O Bulldogue Francês é um cão de boa índole, afetuoso, inteligente e bem disposto. Não costuma estranhar outros animais e se mostra muito carinhoso com crianças. Além disso, é comportado, ativo, alerta, brincalhão, sem ser excessivamente turbulento.
Para fazer dele um cão saudável, é preciso evitar exercícios pesados em épocas de calor intenso.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: França
  • Utilização: Companhia, guarda e lazer.
  • Tamanho: 30 cm.
  • Peso: 8 a 14 quilos.
  • Aspectos gerais: Porte pequeno, de estrutura compacta, sólida estrutura e bem musculado. É possante para o tamanho, atarracado em suas proporções, de focinho curto e trufa achatada, de orelhas empinadas, abertas na base e arredondadas e a cauda é naturalmente curta.
  • Pelagem: Moderadamente fina, brilhante, curta e macia. As cores podem ser fulvo, fulvo e tigrado, com todas as nuances de fulvo, do vermelho ao café com leite. Os brancos são classificados dentro dos fulvos tigrados, com nuances brancas esmaecidas, desde que tenham trufa, olhos e pálpebras escuras.
  • Longevidade: 11 a 12 anos.
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Pequena
  • Temperamento: Boa índole, afetuoso, inteligente, disposto, brincalhão e carinhoso com crianças. No entanto, os exemplares da raça costumam ser agressivos entre si.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Bullmastiff
Apesar dos rumores sobre a existência mais antiga da raça, dados históricos revelam que tenha se originado em torno de 1860, na Inglaterra.
No final do século 19, as invasões de terras eram constantes e, apesar de leis severas, a questão persistia. Dessa forma, proprietários fizeram a opção pela defesa mais simples, barata e eficiente que o homem conhece: através do uso de cães.
O Mastiff embora corajoso e forte, não era rápido o suficiente nem tão agressivo, e o Bulldog não era o grande o bastante para isso. Havia a necessidade de animais valentes e silenciosos durante a aproximação de intrusos, mas controladas o suficiente para atacarem só mediante voz de comando.
Para atender a esses propósitos foi realizado um cruzamento entre Bulldog e Mastiff, surgindo o Bullmastiff. É um cão que, apesar de sua pouca visão, possui faro excelente, sendo capaz de seguir a pista de um homem com facilidade.
O Bullmastiff foi reconhecido oficialmente como raça pura em 1924 , e rapidamente se popularizou em muitos países. Da Inglaterra foi exportado para Sião, Índia, Malásia, África e América.
Cão Rústico O Bullmastiff suporta tanto as temperaturas elevadas como convive muito bem em regiões de frio intenso, apesar da pelagem curta.
A máscara preta e as orelhas mais escuras que a pelagem dominante são essenciais para caracterizar a raça.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Guarda.
  • Tamanho: 63,5 a 68,5 para machos; 61 a 66 para fêmeas.
  • Peso: 49,9 a 59 quilos para machos e 41 a 49,9 quilos para fêmeas.
  • Aspectos gerais: Simétrico, de constituição poderosa e forte.
  • Pelagem: Curta e densa, adequada a climas quentes, mas não pode viver bem em locais desabrigados sob climas severo. As cores podem ser vermelha, castanho ou tigrada, de preferência com máscara (focinho e orelhas escuras).
  • Longevidade: 12 a 13 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: Confiável, inteligente, corajoso, dócil, companheiro e protetor. É um cão de guarda, mas também pode ser utilizado como cão de companhia.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Dálmata
Há controvérsias sobre a verdadeira origem da raça, mas é certo que seu desenvolvimento tenha ocorrido na Dalmácia, antiga Iugoslávia, província que lhe deu o nome. Esse cão tornou-se bastante popular na Europa, participando de trabalhos até em circos.
Forte, musculoso, ativo, resistente e veloz, o Dálmata demonstra grande beleza e equilíbrio estético. Durante algum tempo, por possuir bom olfato, foi utilizado como cão de caça, embora sem grande destaque. Além disso, é uma raça muito apreciada por sua típica pelagem manchada que é sua marca registrada e faz com que seus exemplares sejam especiais no gosto dos amantes de cachorros. O fato de ter maior ou menor numero de manchas não tem qualquer relevância, desde que não sejam juntas. As orelhas são predominantemente pretas e o focinho branco. A cauda apresenta com freqüência um movimento.
Os Dálmatas são muito fiéis, dóceis, amorosos e dedicados aos donos, tanto que, se houver alguma oportunidade, têm o hábito de segui-los independente do meio de transporte.
É um cão resistente e que se adapta bem a qualquer temperatura, mas, por vezes, são submissos a problemas de pele e pelo, tendo de andar bem vigiados nesse sentido. Uma escovação por semana é o necessário já que o pelo é forte e curto.
Popularidade na Mídia: A raça teve uma grande explosão de popularidade com o desenho de Walt Disney ” Os 101 Dálmatas” ; onde a vilã queria a pele dos filhotes para um casaco.
Na Inglaterra, os Dálmatas foram apelidados de "Cães de Carruagem", pois era elegante ter o veículo seguido por um ou mais dálmatas. Já nos Estados Unidos, o Corpo de Bombeiros os elegeram como mascote, podendo até hoje ser encontrados em vários quartéis.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Croácia
  • Utilização: Companhia
  • Tamanho: 46 a 61 cm para machos e 54 a 59 cm para fêmeas
  • Peso: 27 a 32 kg para machos e 24 a 29 kg para fêmeas.
  • Aspectos gerais: forte, de linhas harmoniosas e simétricas, alegre, tendo a cauda longa que vai chicoteando de lado a lado.
  • Pelagem: os pelos são curtos, duros, densos, lisos e brilhantes. A cor básica é branca pura. Variedade manchada de preto, com manchas pretas; variedade manchada de fígado, com manchas marrons. Essas manchas não podem se misturar, são redondas, bem definidas e tão bem distribuídas quanto possível. Tamanho de 2 cm a 3 cm de diâmetro. As manchas da cabeça, cauda e extremidades devem ser menores em relação ao corpo.
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: brincalhão, muito ativo e com expressão inteligente.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Dandie Dinmont Terrier
É provável que a raça tenha se originado a partir dos terriers nativos que viviam na divisa da Inglaterra com a Escócia. No entanto, há controvérsias entre especialistas sobre a raça que teriam contribuído para a formação deste cão.
Alguns acreditam que a raça tenha se desenvolvido a partir do cruzamento do Otterhound com o Scottish antigo. Já outros defendem a teoria de que as raças Skye e Bedlington teriam originado o Dandie. Todos concordam, porém, sobre a participação do Sabujo de Flandres na formação da raça.
Uma antiga lenda escocesa diz que o corpo do Dandie Dinmont Terrier nasceu do nevoeiro cinzento do sopé das montanhas da região onde surgiu.
No Brasil, a raça é considerada muito rara, sendo mais fácil encontrar alguns exemplares em exposição internacionais.
Bom companheiro embora esta cão tenha sido criado para a caça de texugos e doninhas, suas qualidades como caçador não são tão fortes. No entanto, quando o assunto é companhia, o Dandie não deixa nada a desejar, já que costuma ser bastante afetivo com a família.
Alegre, simpático, inteligente, determinado e alerta, é um cão que, às vezes, se mostra quieto e reservado, ao contrário de outros Terriers.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Caça e Companhia
  • Tamanho: 20 A 27 cm
  • Peso: 8 a 11 quilos
  • Aspectos gerais: É um cão diferente dos outros Terrier. Não apresenta linhas retas, a cabeça é bem grande e o tronco levemente curvado e baixo. Os membros anteriores são curtos e bem separados, enquanto os posteriores são ligeiramente mais altos, bem separados e com coxas bem desenvolvidas.
  • Pelagem: Apresenta pelagem dupla, com cerca de 5 cm de comprimento. Do crânio até a raiz da cauda, a pelagem é uma mescla de pelos duros e suaves, sendo áspero ao tato. Na linha inferior, os pelos são mais macios. As cores podem ser
  • Longevidade: 12 a 13 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Pequena
  • Temperamento: é um cão independente, determinado e reservado. É afetivo com a família e perseverante no trabalho.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Dobermann
Os primeiros relatos com as características atuais datam a partir de 1900, mas a raça começou a ser desenvolvida na Alemanha em meados do século 19.
Os alemães sustentam que a origem tenha sido na Turíngia, onde a origem um senhor chamado Dobermann, porteiro de um palácio na aldeia de Apold, teria feito cruzamentos com diversas raças, como Pastor Alemão, Pinscher, Rottweiler e o Braco de Weimar, para desenvolver os exemplares.
A raça chegou ao Brasil antes da década 20, mas a criação nacional teve início efetivamente no anos 50.
O Dobermann é um cão muito inteligente, forte, leal, com facilidade para o aprendizado e treinamento, além de ser bastante equilibrado emocionalmente, valente e com aptidão natural para guarda.
Tem ótimo olfato e está sempre atento e disposto a se sacrificar pelos donos ou na defesa de seu lar.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Alemanha
  • Utilização: Guarda, trabalho e companhia.
  • Tamanho: 68 a 72 cm para machos e 63 a 68 cm para fêmeas.
  • Peso: 40 a 45 quilos para machos e 32 a 35 quilos para fêmeas.
  • Aspectos gerais: Cão quadrado, bem proporcionado, de estrutura forte, musculoso, elegante e altivo, com expressão alerta e decidida.
  • Pelagem: Pelo curto, duro, espesso e liso nas cores preta, castanho-escuro e azul, sempre com manchas de cor fogo.
  • Longevidade: 12 anos.
  • Agressividade: Alta
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: Fiel, companheiro e protetor.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Dogo Argentino
A única raça de cães reconhecida com origem Argentina, foi reconhecido oficialmente pela Federação Cinófila Argentina em 1965, tendo o padrão estabelecido em 1928.
Inicialmente, sua formação foi baseada em cães das raças Bull Terrier, Mastim Espanhol e Bull Dog Inglês, buscando estabelecer uma raça apta para a caça de javalis, pumas e raposas.
O primeiro tipo de cão obtido através desses cruzamentos era forte e valente, porém lento e olfato não muito apurado. Além disso, era extremamente feroz, o que acaba prejudicando os trabalhos de caça, pois não raro lutavam entre si de forma violenta.
Para melhoria dos exemplares, que deveriam ser mateiros silenciosos (para não alertar a caça), terem capacidade de farejar no alto e disporem de muita agilidade, foram feitas mais intervenções por meio de diversas cruzas com Boxer, Dinamarquês, Mastim dos Pirineus, Mastim, Dogue de Bordeaux, Pointer e Galgo Irlândes, em diferentes proporções, até atingir as características da raça atual. Dessa forma, chegou-se um cão fiel, amigo, dócil e tolerante com as crianças.
Também é bom cão de guarda e excelente para a caça de animais de grande porte.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Argentina
  • Utilização: Caça.
  • Tamanho: 62 a 68 cm para machos e 60 a 65 cm para fêmeas.
  • Peso: 37 a 43 quilos.
  • Aspectos gerais: Cão imponente, forte e sólido, com expressão atenta e corpo bem musculado.
  • Pelagem: Curta e lisa, grossa e lustrosa, devendo ser totalmente branca.
  • Longevidade: 10 a 12 anos.
  • Agressividade: Alta
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: Protetor, fiel e tolerante com crianças.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Dogo Canário
Batizado inicialmente de “Cão de Presa Canário” ou simplesmente “Presa Canário”, originou-se nas ilhas de Tenerife e Grande Canária.
A raça é o resultado do cruzamento do Bardino o Majorero e de alguns molossos, que chegaram a essas ilhas vindos do continente no século 19.
Várias décadas se passariam para que o processo de recriação do Dogo Canário se iniciasse de forma ininterrupta por alguns criadores que conheciam sua tradição e existência.
A partir desse momento, o trabalho incessante de reconstituição fez com que o Dogo Canário fosse difundido por todo o Arquipélago, onde existe hoje em grande número de exemplares, sendo criados e selecionados dentro de um conceito da raça e sem esquecer suas funções iniciais.
Com olhar severo, é especialmente bem dotado para a função de guarda, defesa e condução de gado.
Devido à sua força descomunal, agilidade, equilíbrio e devoção total ao dono, obteve recentemente o título de melhor cão de guarda do mundo, concedido pelo Dr. Carl Semencic, especialista em cães de guarda, tratando-se por isso de uma raça em ascenção no mundo.
É ainda impetuoso, hábil, dono de um latido grave, manso, nobre com a família, mas muito desconfiado com estranhos.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Ilhas Canárias
  • Utilização: guarda e proteção de gado.
  • Tamanho: 56 a 61 cm para fêmeas e 60 a 65 cm para machos.
  • Peso: mínimo de 40 quilos para fêmeas e de 50 quilos para machos.
  • Aspectos gerais: Porte médio, simétrico, de perfil reto, aspecto rústico, bem proporcional e ligeiramente mais longo do que alto. A cauda tem inserção alta e em movimento, elevando-se em forma de sabre, sem enroscar. As orelhas são pedentes ou dobradas. Se cortadas ficam eratas.
  • Pelagem: Curta, assentada, de aspecto rústico e levemente áspera ao tato. A cor é o tigrado (em toda a sua gama). Manchas podem ocorrer no peito, base do pescoço ou garganta e nos dedos. Máscara preta, desde que não ultrapasse a altura dos olhos.
  • Longevidade: 10 a 12 anos.
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: Equilibrado, corajoso, fiel e companheiro. Desconfiado com estranhos.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Dogue Alemão
Acredita-se que o Dogue Alemão descende dos antigos “Bullenbeisser”, cães usados na caça ao javali. Tudo indica que a conformação atual seja resultado de cruzamentos de Mastim e Lebrel, levados à Galia por mercadores fenícios.
Houve uma época em que a dominação “Dogge” era aplicada a todos os cães grandes e fortes, independente da raça. Mais tarde, os nomes sofreram variações como “Ulmer Dogge”, “Dogue Inglês”, “Dinamarquês”, que definia diferentes tipos de cães de acordo com a cor e tamanho.
Em 1878, um comitê formado por cinófilos, em Berlim, decidiu classificar todas as variedades como “Deutsche Doggen” (Dogue Alemão), iniciando-se assim a criação de uma raça independente. Dois anos mais tarde, foi criado o primeiro padrão da raça.
Gigante e dócil, o cão foi utilizado originalmente para caçar javalis selvagens. Atualmente desempenha a função de guarda e proteção. É ainda emocionalmente equilibrado, forte, amistoso, fiel e afetuoso com a família. Porém, é arredio e desconfiado com estranhos. Necessita de muito espaço para ser criado com saúde.
Facilmente treinável, a raça ficou famosa por se dar muito bem com crianças.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Alemanha
  • Utilização: Escolta, guarda e proteção.
  • Tamanho: Mínimo de 72 cm para fêmeas e de 80 cm para machos.
  • Peso: 75 quilos.
  • Aspectos gerais: Agigantado, mas esbelto, elegante e ágil, com musculatura possante, bem delineada e proposcional ao seu tamanho. Possui nobreza e uma cabeça expressiva, mostrando segurança e força. As orelhas podem ser cortadas para permanecerem eretas, o que aumenta sua expressividade.
  • Pelagem: Curto, grosso, liso e brilhante, nas cores azul, preta, dourada, arlequim (branca pintada de preta), mantado ou tigrado.
  • Longevidade: 8 a 9 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: Dócil, protetor, inteligente, amistoso, fiel e muito tolerante com crianças.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Dogue Brasileiro
Resultado do cruzamento das raças Bull Terrier e Boxer, a raça se destacou rapidamente como excelente guardiã, já que além do instinto de defesa possui grande equilíbrio psíquico, coragem, inteligência e exímia capacidade de aprendizado e obediência. Inicialmente os cães da raça foram chamados de Bull Boxer e a denominação só foi modificada para Dogue Brasileiro quando passou a ser reconhecida pela CBKC (Confederação Brasileira de Cinofilia). É um cão de guarda compacto, confiável e corajoso, sem ser desconfiado. De seus ancestrais herdou docilidade e coragem. Sua função principal é proteger as pessoas e lares, particularmente em zonas urbanas, em que seu porte meciano auxilia. Mostra-se sempre atento e observador, sério com estranhos meigo os donos, mas nunca gratuitamente agressivo. Hoje, é a raça mais criada em Caxias do Sul - RS, segundo registro do Kennel Clube. Para homologação de títulos, é obrigatória a avaliação de caráter.
Origem de um trabalho quase acidental, realizado em 1978 pelo árbitro e cinófilo Pedro Ribeiro Dantas, que cruzou cães das raças Boxer e Bull Terrier, surgiu o Dogue Brasileiro no sul do Brasil. Atualmente, a raça conta, em menor proporção, com sangue de American Staffordshire Terrier.
Além do instinto de defesa possui grande equilíbrio psíquico, coragem, inteligência e exímia capacidade de aprendizado e obediência.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Brasil
  • Utilização: Guarda
  • Tamanho: Machos, de 54 a 60 cm (preferencialmente 58 cm); fêmeas, de 50 a 58 cm (preferencialmente 56 cm).
  • Peso: machos, de 29 a 43 quilos, preferencialmente, 39 quilos; fêmeas de 23 a 39 quilos, preferencialmente, 33 quilos.
  • Aspectos gerais: cão de aspecto sólido maciço e não esgaldado, se parecer, no entanto, atarracado ou desproporcionalmente pesado. É um cão ágil e robusto, de ossatura forte, com músculos longos e marcados, dando-lhe grande potência e impulsão.
  • Pelagem: curta, densa, luzidia e áspera. Qualquer cor, variação ou combinação de cores são aceitas sem qualquer restrição.
  • Longevidade: 10 a 13 anos.
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: cão ativo, atento e observador, de expressão séria para estranhos e meiga para com o dono. Equilibrado, apto à diciplina, porém destemido quando procado ou sob comando. Não deve dar demonstrações gratuitas de agressividade.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2011 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://4.bp.blogspot.com/
Dogue de Bordeaux
A origem deste antigo cão é desconhecida, mas há os que acreditam que a raça seja descente dos Alanos, cães molossos de origem indo-européia e há também os que seguem a linha de que eles sejam originários de cruzamentos entre Mastiffs Bulldogues Ingleses.
Também conhecido como Mastim Francês, o Dogue de Bordeaux é um dos mais antigos cães da França. Inicialmente era conhecido como Dogue da Aquitânia, já que era comum por lá, onde foi utilizado como cão de guarda, caça de animais de grande porte e combate. Sua primeira aparição em público ocorreu em 1863, mas os padrões da raça só foram propostos em 1890. Em 1926 reduziu-se dois tipos físicos: os Dogues e um tipo menor denominado Doguim. Mas no ano de 1970, o tipo Doguim foi excluído, restando somente o Dogue de Bordeaux, que foi reconhecido exclusivamente pela FCI – Federação Cinológica Internacional.
De grande porte e comportamento nato de guarda, é tranquilo e equilibrado – diferente de quando era usado em rinhas sangrentas entre cães.
É guardião, um adorável companheiro, mas também arredio e não muito sociável com estranhos.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: França
  • Utilização: Guarda e defesa.
  • Tamanho: 60 a 68 cm para machose 58 a 66 para fêmeas.
  • Peso: Mínimo de 50 quilos para 45 para fêmeas.
  • Aspectos gerais: Na aparência geral ele é um cão de grande porte de aspecto feroz e impotente, bem musculado, mais massudo do que alto, mas muito harmonioso. A cabeça com pele cheia de pregas é grande, com focinho curto e quadrado.
  • Pelagem: Possui pelo fino, curto e suave. As cores vão de isabela (quase creme) à vermelha intensa (mogno). As manchas permitidas são brancas e muito moderadas, no peito e nas pontas das patas. Cães calçados estão fora do padrão. O que varia são os tons da máscara. O Dogue pode ser uma cor só (sem máscara), com máscara vermelha ou negra.
  • Longevidade: 10 anos.
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: Companheiro, Fiel, dócil, tranquilo, mas arredio com estranhos.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Dogue do Tibete
O Dogue do Tibete, também chamado de Mastim do Tibete é o descendente direto dos grandes Molossos asiáticos que foram os ancestrais de muitas raças de Molossos europeus.
Este molosso asiático, foi aquele que acompanhou as tropas de Alexandre o Grande quando estas retornavam da Ásia e seus descendentes se espalharam pela Europa. Contudo, os que permaneceram no Tibete deram origem ao Dogue do Tibete de hoje, de tamanho menor que seus ancestrais, mas ainda assim um cão imponente e poderoso.
Em seu livro sobre a Ásia, Marco Polo relata a existência de cães “grandes como burros” que protegiam aldeias inteiras nos Himalaias.
De fato, o Dogue do Tibete é um guardião nato, eles eram deixados para proteger as aldeias, as mulheres e as crianças quando os homens precisavam sair para cuidar dos rebanhos ou caçar.
Além de seu porte, seu latido, considerado um dos mais poderosos entre os cães, é comparável a um rugido e contribui para tornar este cão um dos melhores guardiões entre as raças caninas.
Devido ao grande isolamento geográfico de sua região de origem o dogue do Tibete apresenta algumas características próprias da raça, como por exemplo seu amadurecimento psíquico mais lento, cães desta raça só atingem a maturidade entre 3 e 4 anos de idade, e as fêmeas só entram no cio uma única vez ao ano como os lobos, enquanto os outros cães domésticos passam por esta fase semestralmente.
Os Dogues do Tibete não gostam de estranhos e são bastantes apegados e gentis com sua família.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Companhia e guarda.
  • Tamanho: Macho
  • Peso: De 55kg a 80kg.
  • Aspectos gerais: Poderoso, rústico, bem construído, dotado de boa ossatura.
  • Pelagem: Pelo longo, espesso, reto, nunca sedoso nem ondulado ou encaracolado. Sub-pelo denso espesso e lanoso Cor
  • Longevidade: 15 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: Forte, independente e respeita sua família.
  • Atividade física: Moderado a baixo.
Fonte: Texto: fonte - Internet. Imagem: fonte - http://www.dogsbreedsinfo.com
Drever
Descendente de cães bastante antigos, como os Dachsbracos da Westphalia e hounds suíços, oficialmente, é uma das raças suecas mais recentes. Exímio farejador, caçador de coelhos, raposas e cervos, este cão é praticamente restrito aos caçadores, sendo dificilmente criado como cão de companhia. É capaz de perseguir por horas sua presa e assim que se aproxima, sinaliza ao caçador que ela está próxima. Ao ser localizada, o Drever mantém certa distância para que o caçador possa abatê-la.
Possui um fácil aprendizado, por ser muito alerta é também um bom cão de alarme.
É um cão bastante ativo e precisa de exercícios diários.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Suécia
  • Utilização: Caça e Rastreador
  • Tamanho: 32 a 38 cm para machos e 30 a 36 cm para fêmeas
  • Peso: proporcional ao tamanho (entre 10 e 20 quilos)
  • Aspectos gerais: é um cão baixo em estatura com a escápula relativamente longa, mais forte e robusto que nobre e veloz. Bem constituído, com musculatura bem desenvolvida, deve estar sempre alerta. A cabeça é grande, longa, mas proporcional, com orelhas longas e pendentes. Seu olhar é alerta. A cauda é portada a meia altura com uma leve curvatura.
  • Pelagem: o pelo é áspero, liso e rente. Na cabeça, orelhas e parte inferior das extremidades, é mais curto. No pescoço, ombros e parte posterior das coxas deve ser mais longo. Debaixo da cauda é sedoso, porém sem formar pluma. Com exceção do fígado e o branco permite-se todas as cores em combinação com marcas brancas. As manchas brancas devem ser visíveis, visto de frente, de lado e de trás. Devem aparecer como listra e colar completo assim nas extremidades, patas e ponta da cauda.
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: é um cão alerta, tranqüilo, não deve demonstrar agressividade, nervosismo nem timidez.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://www.dkimages.com
Dunker – Sabujo Norueguês
O Dunker ou Dunker Sabujo Norueguês, é uma raça de cão sabujo, desenvolvido no século XIX, pelo criador de cães norueguês W. Dunker. O Sr. W. Dunker, importou da Rússia para a Noruega vários cães de coloração alerquim e realizou cruzamentos entre eles e diversos cães sabujos de faro apurado. Sua intenção era a de produzir um excelente cão de caça ao coelho e à lebre, que encontrasse a presa pelo faro e não pela visão.
O Dunker, como foi batizado em homenagem ao seu criador, é uma das raças de cães farejadores mais populares na Noruega, e nos demais países Nórdicos, mas ainda são muito raros fora da penísula Nórdica. Cães desta raça são excelentes caçadores e retrievers, capazes de perseguir a presa por muito tempo em qualquer tipo de terreno, além disto estão muito bem adaptados ao frio de sua terra natal e suportam bem invernos rigorosos apesar de seu pêlo curto.
O Dunker é um dos únicos cães sabujos a possuir a coloração arlequim (ou merlee), contudo não são todos os cães desta raça que apresentam esta característica e, deve-se sempre lembrar que não se deve acasalar dois cães que apresentem a coloração arlequim.
A raça é uma das mais numerosas na Noruega, porém, é raramente encontrada fora do país.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Noruega
  • Utilização: Caça e companhia.
  • Tamanho: 50 a 55cm
  • Peso: De 20kg a 25kg
  • Aspectos gerais: De porte médio, nitidamente retangular, poderosamente construído, sem sugerir aparência pesada. Deve revelar resistência.
  • Pelagem: Não muito curto, retos, duros e densos Cores
  • Longevidade: Cerca de 12 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: Muito afetivo, resistente e brincalhão
  • Atividade física: Moderado a alto
Fonte: Texto: fonte - Internet Imagem: fonte - http://cachorrosblogs.blogspot.com
Elkhound Norueguês cinza
Todos os Elkhounds ( caçadores de alces) descendem de cães nórdicos, que desde a Idade da Pedra já podiam ser encontrado ao lado dos homens primitivos. O Elkhound Norueguês Cinza teve sal origem, como o próprio nome revela, no norte da Noruega. Estudos revelam que eram os grandes companheiros dos vikings e sua criação com organizações formais ou pedigrees. Como puxador de trenó que é, foi utilizado pelo exército para transportar
suprimentos. Como caçador, além de alces, ele caça ursos, lobos, linces, assim como animais de pequeno porte, como a marta, galo selvagem e o arminho. é um cão que, por ter estado sempre associado ás pessoas, tornou-se grande companheiro no convívio do lar. Ele é muito corajoso, confiável, amigável, disposto e obediente.Como é agitado e dinâmico, é necessário dar-lhe, cotidianamente, a oportunidade de experessar e desgastar energia, para que possa verdadeiramente se expandir. Necessita poder correr no maior espaço possível, sempre com a companhia de seu dono.
A pelagem, dupla e de comprimento médio, requer escovação diária e apresenta tendência á obesidade quando alimentado em excesso.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Noruega
  • Utilização: Cão para caçar alce
  • Tamanho: 52 cm para machos e 49 cm para fêmeas
  • Peso: 17 a 19 quilos
  • Aspectos gerais: É um típico Spitz. De acordo compacto e curto, construção quadrada. Pescoço elástico e bem erguido. Orelhas eretas. Pelagem densa e abundamente, mas não eriçada ou longa. A cauda é firmemente enrolada sobre o dorso.
  • Pelagem: Pelo de comprimento médio, denso, áspero, pelos de cobertura, abundantes sem ondulações. Na cabeça e na frente das pernas, são curtos e lisos; mais longos no pescoço; espessos atrás das pernas e na cauda. Subpelo macio. A cor é cinza, em várias tonalidades.
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: Sem medo, enérgico e valente
  • Atividade física: Média
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Fila Brasileiro
A primeira raça a ser reconhecida oficialmente no Brasil tem sua origem obscura. Especialistas supõem que descenda do antigo Bulldog Inglês, do Bloodhound e do Mastiff Inglês.
Essa raça, ou cruzamento delas, teria sido trazida ao Brasil pelos portugueses e espanhóis durante a colonização.
Ao longo da história, o Fila sempre realizou o trabalho de guarda em casas e principalmente fazendas, que é seu habitat. Às vezes, era usado como boiadeiro, embora não seja sua característica marcante.
Dono de uma coragem excepcional aliada a uma tenacidade implacável, o Fila é o cão de grande vigor físico, bravura e coragem.
Com excelente faro, a raça também foi muito utilizada como cão de pista por fazendeiros.
Possui temperamento dócil, é obediente e devoto aos donos, além de ser muito tolerante com crianças mas tem aversão a estanhos, não admitindo maiores intimidades.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Brasil
  • Utilização: Boiadeiro e guarda.
  • Tamanho: 65 a 75 cm para machos e 60 a 70 cm para fêmeas.
  • Peso: mínimo de 40 quilos para fêmeas e de 50 quilos para machos.
  • Aspectos gerais: Ossatura grande e forte, com músculos, bem desenvolvidos. O corpo é retangular e compacto, mas harmonioso. A pele é grossa, solta em todo o corpo, principalmente no pescoço. É mais longo do que alto, bem proporcionado e simétrico.
  • Pelagem: O pelo é curto, macio, liso e espesso. Todas as cores são admitidas, tanto sólidas quanto tigrada, exceto a branca e cinza-rato. Também são permitidas marcas no peito e na ponta do rabo.
  • Longevidade: 10 anos.
  • Agressividade: Alta
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: Fiel, obediente, corajoso, devoto e tolerante a crianças, mas arredio com estranhos.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Flat Coated Retriever
Sua origem é incerta, mas tudo indica que seja resultado de cruzamentos de um cão do tipo do Terranova em tamanho menor e o Setter Inglês. As primeiras aparições da raça ocorrreram em meados do século XIX, quando conquistou a preferência de caçadores. Com o passar do tempo, o Flat Coated foi perdendo a popularidade. Mas, ainda assim, alguns criadores dos Estados Unidos e Inglaterra preservaram a raça. Exímio cão de tiro, o Flat Coated Retriever é mestre em levantar e buscar a presa abatida. Além disso, é inteligente, de fácil treinamento e dócil com a família.
O certo é que o Flat Coated Retriever foi um dos primeiros cães retrievers criados na Inglaterra.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretania
  • Utilização: Caça
  • Tamanho: 59 a 61,5 cm para machos e 56,5 a 59 cm para fêmeas.
  • Peso: 27 a 36 quilos para machos e 25 a 32 quilos para fêmeas.
  • Aspectos gerais: É um cão brilhante, ativo, de tamanho médio, com expressão inteligente, demostrando potência sem mover-se pesadamente ou arrastar-se, assim como velocidade sem esgalgamento. É generosamente dotado de uma habilidade natural de cão de caça. O otimismo e a cordialidade são demostrados pela movimentação intensa e entusiástica da cauda.
  • Pelagem: Possui pelo denso, de textura fina para média e de boa qualidade, a mais achatada possível. Pernas e cauda são bem franjadas. A pelagem cheia, alcançada na maturidade, completa a elegância de um bom cão. As cores permitidas são pretas ou figado.
  • Longevidade: 13 a 14 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: É um cão inteligente, controlado, obediente, de fácil treinamento e que adora agradar o dono. Além disso, é leal,amoroso com crianças e bom companheiro.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Fox Terrier Pelo Duro
O Fox Terrier Pelo Duro ou Pelo-de-Arame, como também é conhecido, é uma antiga raça inglesa.
Por mais de 100 anos, foi registrada e exposta com a variedade Pelo Liso como uma só. Na verdade, elas são muito semelhantes, diferindo apenas na pelagem. Mas especialistas afirmam que a origem das duas variedades é bem diferente.
Acredita-se que as raças Black and Tan (Preto e Dourado). Terrier Pelo Duro de Gales, Derbyshire e Durham tenham sido os prováveis ascendentes do Terrier de Pelo Duro.
Já o Fox Terrier de Pelo Liso surgiu nos Estados Unidos e descende de cães como Bull Terrier, Greyhound e o Beagle. Apenas a partir de 1984 o Kenel Clube local aprovou a separação das duas raças.
Fox Terrier Pelo Duro é um excelente cão de caça devido a seu faro apuradíssimo, ótima visão e vigor para tirar raposas de suas tocas. Originalmente foi muito utilizado para caça de ratos em estábulos coelhos e raposas.
Entre as principais características do Fox Terrier Pelo Duro destacam-se a alegria, Inteligência e vivacidade.
Procura-se um Dono Ativo. Como animal de companhia, é muito afetuoso, mas precisa de um dono que seja tão incansável quanto ele nas brincadeiras.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Caça
  • Tamanho: Máximo 39 cm
  • Peso: 7 a 8,25
  • Aspectos gerais: Porte pequeno, com boa ossatura e força, além de ser um excelente farejafor.Sua postura é de um típico caçador, com dorso curto e bem firme. É alerta, esperto, de movimento rápidos e, quando em uma atitude de expectativa, para na ponta das patas.
  • Pelagem: Dupla, densa, com textura bem dura, 2 cm nos ombros e 3,8 cm na cernelha, dorso, costelas e menbros. Apresenta subpelo curto e macio. No focinho, pelos crespos e longos o suficiente para dar aspecto mais possante.Os pelos das pernas são densos e crespos.
  • Longevidade: 13 A 14 anos.
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Pequena
  • Temperamento: Alegre, brincalhão, atencioso, afetuoso e inteligente.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Fox Terrier Pelo Liso
Originário da Inglaterra, este cão levou 100 anos para ser considerado como raça independente da de Pelo Duro.
Descendente do Bull Terrier, do Greyhound e do Beagle, foi desenvolvida para desentocar raposas e caçar ratos e coelhos.
Com o intuito de aprimorar os exemplares, antigos criadores cruzaram o Pelo Duro com o Liso, conseguindo uma predominância de pigmentação branca, cabeça mais delicada com traços mais finos e um exterior mais clássico.
A raça teve seu padrão próprio estabelecido em 1984, nos Estados Unidos, pelo Kennel Clube local. Do padrão original, elaborado em 1876, a única mudança efetuada em 1984 foi a redução no peso da fêmea de 9,5 quilos para 7,7 quilos. Até então, apresentava-se em exposições como sendo uma variação da de Pelo Duro.
Gosto de Brincadeiras: Assim como sua variedade, o Fox Terrier De Pelo Duro tem uma alegria e disposição infinita, precisando de donos dispostos a aceitar suas brincadeiras constantes. Além disso, tem um excelente faro, ótima visão e muito vigor.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Caça
  • Tamanho: 30,5 a 39,5 cm
  • Peso: 6,8 a 7,7 quilos para fêmeas e 7,3 a 8,2 quilos para macho
  • Aspectos gerais: Porte pequeno, com boa ossatura e força, além de ser um excelente faro.Sua postura é de um típico caçador, com dorso curto e bem firme. É alerta, esperto, de movimento rápidos e, se uma atitude de expectativa, para na ponta das patas.
  • Pelagem: Lisa, reta, firme. A cor pode ser interamente branca, ou branca com marcações castanhas ou pretas, também tricolor (branco, preto, castanho). O branco deve ser predominante.
  • Longevidade: 13 a 14 anos.
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Pequena
  • Temperamento: Ele é um cão alegre, inteligente, vivo e ativo. Um excelente companheiro e incansável nas brincadeiras.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Foxhound Americano
A raça descende diretamente dos Foxhounds Ingleses importados por Robert Brooke em 1650. Esses cães estiveram durante 300 anos sob o domínio da família. Em 1742, o Estado da Virginia recebeu uma importação de hounds da Inglaterra. Quase 30 anos depois, mais hounds chegavam das terras britânicas, cuja importação foi aprovada por George Washigton. A raça americana também foi cruzada com sabujos franceses enviados pelo General Lafayette, em 1785, originando algumas das correntes que desenvolveram o atual Hound da Virgínia. Em 1808, foram feitas outras importações da Inglaterra, seguida por importações da França e Irlanda, em 1830. Em 1857 o General Maupin adquiriu o cão “Tenesse Lead”. Ele foi cruzado com as importações inglesas, produzindo o “Maupin Dog”, hoje conhecido como Walker (andador) Hound – mais uma corrente do American Hound.
O Foxhound americano possui uma voz musical muito peculiar, que levou alguns produtores a gravá-la e utilizá-la em músicas populares. A raça reúne quatro características distintas como caçador:
• Rastreador em campos abertos onde a competitividade na velocidade e natureza zelosas são importantes
• Caçador de raposas com armas
• Caça em trilha onde a velocidade individual é primordial
• Caçadas em um grande número de cães (matilha) 15,20 ou mais, utilizadas principalmente por clubes de caçadas e fazendeiros.
Desenvolvido para correr, é mais leve e mais rápido em relação ao Foxhound Inglês, e seu faro também é mais apurado.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: EUA
  • Utilização: Caça
  • Tamanho: de 56 a 63,5 cm para machos e 53 a 61 cm para fêmeas
  • Peso: proporcional ao tamanho (cerca de 34 quilos)
  • Aspectos gerais: cão de presa veloz, de latido forte, e versátil, podendo seguir praticamente qualquer rastro.
  • Pelagem: a pelagem tem comprimento médio, sendo dura com moderada franja na cauda. Todas as cores e combinações são permitidas.
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: é um cão paciente, agradável, inteligente, leal e afetuoso.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Foxhound Inglês
Acredita-se que este cão descenda do Bloodhound, levado para as ilhas britânicas após a invasão normanda, em 1066, e do Talbot, um cão do grupo hound já extinto. O certo é que há, pelo menos 200 anos, o Foxhound tem sido criado e desenvolvido com critério na Inglaterra. Desde sua origem, esses cães são utilizados na caça. Grandes nobres como Napoleão III, mantinham suas matilhas com centenas de exemplares. Assim, nas temporadas de caça, praticavam o esporte em seus domínios.
No século XIX, a popularidade do Foxhound Inglês era tão grande no seu país de origem, que se tornou uma das raças com o maior número de registros. Em 1880, de acordo com os registros da Association of Master of Foxhounds, hoje, estima-se que existam mais de 350 matilhas. Ele nunca foi criado como cão de companhia, mas se mostra tolerante e dócil até mesmo com crianças, desde que seja acostumado desde filhote à convivência familiar.
Com estranhos, é reservado e tem o hábito de latir bastante. Precisa de grandes espaços para correr e se exercitar.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Caça
  • Tamanho: 58 a 64 cm
  • Peso: proporcional ao tamanho
  • Aspectos gerais: é um cão bem balanceado, poderoso e de contornos bem definidos. É mais corpulento que Foxhound Americano, tendo estatura mediana. É rápido, resistente, de olhar franco, inteligente, de caráter afetuoso e energético, portando a cauda alta. Sua cabeça é grande, sem ser pesada e suas orelhas tem implantação baixa e são caídas até a altura da bochecha.
  • Pelagem: apresenta pelo curto e denso, à prova de intempéries. Pode ter qualquer cor e marcação reconhecida nos cães de caça, como o Tricolor (preto, canela e branco), ou uma combinação das três cores e Bicolores (branco e amarelo-limão).
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: o Foxhound Inglês é um cão vigoroso e resistente, com habilidade natural para a caça. Amigável e não agressivo.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://www.caesefilhotes.com.br
Galgo Espanhol
Este Galgo era conhecido desde a Antiguidade pelos Romanos, mas a sua introdução na Espanha é anterior a esta época. Sem dados concretos sobre quem os teria trazido ( Fenícios ou Celtas), para alguns, ele descende do Galgo Árabe, introduzido na Espanha, no século IX, pelos Mouros. estimado pela nobreza espanhola, era utilizado, principalmente, para a corrida, onde se apresentava menor e mais maciço que o Galgo Inglês. Com a finalidade de se obter individuos mais rápidos, foram realizados vários cruzamentos com o Galgo Inglês, criando-se, assim, uma variedade anglo-espanhola. Nos séculos XVI, XVII E XVIII, o Galgo Espanhol foi exportado em grande número, principalmente para a Irlanda e inglaterra. Ainda é muito utilizado pelos caçadores espanhóis. Rústico, ativo e muito resistente, caça especialmente lebre, mas também raposa e javali.
De temperamento meigo, se mostra muito afeiçoado ao dono, e é o mais expressivo entre os Galpos.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Espanha
  • Utilização: Caça e corrida
  • Tamanho: 62 A 70 cm para machos e 60 a 68 cm para fêmeas
  • Peso: Padrão não comenta
  • Aspectos gerais: Cão lebrel de bom tamanho, estrutura óssea compacta, cabeça lomga e estreita, tórax de ampla capacidade, ventre muito retraído e cauda muito longa. Os posteriores bem aprumados e musculosos. Pelo fino e curto ou duro e semi longo.
  • Pelagem: o pelo denso, muito fino, curto e liso, espalhado por todo o corpo até os espaços interdigitais.Ligeiramente mais longo nas partes posteriores das coxas. A variedade de pelo duro semilongo apresenta maior aspereza e comprimento de pelos, que pode ser variável, embora sempre espalhado, uniformemente pelo corpo, tende a apresentar uma barba e bigodes na face, sobrancelhas e topete na cabeça. Todas as cores são permitidas.
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: é um cão de caráter sério e retraído, porém, quando sai para caçar, demostra uma grande energia e vivacidade na caça.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Golden Retriever
Especialistas acreditam que a raça passou as er desenvolvida em meados do século 19, quando o escocês Dudley Majoribanks, Lorde de Tweedmouth,adquiriu Nous e o acasalou com uma fêmea da extinta raça Tweed Water Spaniel. Ele procurava um cão inteligente, com habilidade suficiente para buscar a caça na terra e na água, calmo e com excelente faro. Por mais de 20 anos, o Lorde de Tweedmouth trabalhou no melhoramento de sua criação e, para obter mais qualidade na linhagem, cruzou seus cães com as raças Wavy-Coats e Setter Irlandês. Com o tempo, o trabalho de seleção do Lorde deu origem á linhagem llchester, de características muito semelhantes ás dos Goldens atuais. Alguns especialistas afirmam que a raça Bloodhound também teria sido utilizada no desenvolvimento do Golden Retriever, mas até hoje não há dados que comprovem esta afirmação. introduzida há cerca de 20 anos no Brasil, o Golden tem sido usado ao longo dos anos para desempenhar diversos tipos de tarefas, incluindo as Terapias Assistidas por animais (TAAS), junto a asilos e entidades- um trabalho que os cães da raça fazem sem muito esforço, já que apresentam grande facilidade de aprendizado. Considerado um cão rústico, alia inteligência, fidelidade e companherismo, qualidades que tem aumentado a sua popularidade no mundo.
Cronologia: Em 1890, os primeiros exemplares da raça chegaram aos Estados Unidos e Canadá. Treze anos depois,a raça foi aceita pelo Kennel Club da Inglaterra, onde foi chamada de Flat-Coats-Golden. Já no ano seguinte, um Golden garantiu o primeiro lugar em um aprova de campo. No entanto, a raça só foi reconhecida oficialmente em 1911, com a Fundação do Golden Retriever Club of England, daí em diante, o Golden passou a ser difundido nos EUA e se popularizou em todas as partes do mundo, especialmente na Europa, EUA e Japão.
O Golden pode ser criado tanto em fazendas, sítios e quintais quanto em apartamentos.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretania
  • Utilização: Caça e Companhia
  • Tamanho: 56 a 61 cm para machos e 51 a 56 cm para fêmeas
  • Peso: 27 a 34 quilos
  • Aspectos gerais: Ágil, com uma cabeça forte e nobre, um olhar doce, uma expressão risonha, inteligente e alegre e compleição física robusta.
  • Pelagem: A pelagem é medianamente longa, ondulada ou lisa, com franjas, subpelo espesso e resistente á água. As tonalidades aceitas vão do creme muito claro ( praticamente branco) ao dourado-escuro.
  • Longevidade: 13 a 15 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: Atencioso, companheiro, carinhoso, inteligente e fiel.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Grand Gascon Saintongeois
Entre os farejadores franceses, temos o Grand Gascon Saintongeois.
O criador da raça foi o Barão Joseph de Carajon Latour de Virelade, que procurou reunir num único sabujo as excelentes aptidões de três raças distintas: o Saintongeois, o Gascon Bleu, e o Ariégeois. Através de uma seleção rigorosa, esse criador excepcional logrou plenamente o seu propósito, dando origem a um novo tipo de sabujo, que, à elegância, somava força muscular, finura de olfato, voz sonora e grande instinto para a caça.
Henri de Carajon, sobrinho do barão de Virelade, reforçou a raça com um exemplar de Bordéus sem mais especificação, mas que segundo parece, descendia também do Saintongeois.
A mediados do século XIX, o Conde Joseph de Carajon Latour, desejando regenerar a raça declinante dos Cães de Saintongeois, uniu os últimos descendentes com os Azuis da Gasconha do Barão de Ruble, criando assim o Grand Gascon Saintongeois, provocando contudo a desaparecimento do Cão de Saintongeois.
Esta raça é valorizada pelos caçadores na França, mas não ganhou o reconhecimento de outros países, levando esta raça de caça à beira da extinção.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: França
  • Utilização: Cão de caça
  • Tamanho: Entre 66 e 72 cm
  • Peso: 31 e 36kg
  • Aspectos gerais: O Grand Gascon Saintongeois é um cão de grande porte, mostrando bem a ascendência das duas raças a partir da qual se desenvolveu, e tem um aspecto doce e confiante.
  • Pelagem: Curto e denso, de fundo branco, marcada com pintas pretas, algumas vezes sarapintada.
  • Longevidade: Cerca de 12 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: Calmo, obedece com facilidade.
  • Atividade física: Alta, requer exercício diário.
Fonte: Texto: fonte - Internet Imagem: fonte - http://doginformationandfacts.info/
Grande Azul da Gasconha
Acredita-se que o Grande Azul da Gasconha seja a mais pura e mais antiga raça de cães farejadores, pois eles são descendentes diretos dos cães traduzidos pelos comerciantes fenícios. Tem origem na Província da Gasconha, na costa sudoeste da França, próximo às montanhas dos Pirineus e à divisa da Espanha. É um dos maiores cães farejadores, apesar de não ter tanta velocidade, é conhecido por sua grande habilidade em levantar a presa, pela sua incrível resistência, ótimo faro e pela sua voz forte, sonora que pode ser ouvida à grande distância.
A raça hoje é usada na caça de alces, javalis e assemelhados. Por trás de sua elegante aparência e comportamento aristocrático, reside uma alma madura e sociável, onde timidez e agressividade podem ser bastante estranhas para ele. Eles são afetivos e necessitam de espaço para exercícios.
São cães muito amáveis, ativos, muito resistentes, dóceis tanto com crianças como com outros cães.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: França
  • Utilização: Para Caça a tiro e, ás vezes, para caçar grandes animais, mas também lebres, geralmente em matilhas ou individualmente como cão de faro
  • Tamanho: de 65 a 72 cm para machos e 62 a 68 cm para fêmeas
  • Peso: Padrão não comenta
  • Aspectos gerais: cão de raça antiga, de tipo eminentemente francês, quanto à cabeça, pelagem e expressão. Imponente, dando uma impressão de força tranqüila e de grande nobreza.
  • Pelagem: pelo curto, bastante grosso, muito denso. É inteiramente mosqueado (preto e branco) dando efeito azul ardósia; com ou sem manchas pretas mais ou menos extensas.
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: muito bom de faro; dotado uma voz uivante sonora com tons graves. É muito aplicado na caça. Se une instintivamente à matilha. Temperamento calmo; obedece facilmente.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://retrieverman.files.wordpress.com
Grande Münsterländer ou Grosser Münsterländer Vorstehhund
Acredita-se que cães tipo spaniels ou setters tenham sido usados em cruzamentos. A raça conquistou admiradores tanto na Alemanha quanto na Inglaterra por apresentar boa aptidão em diversas funções como pointer, retriever, levantador e cão de exposição.
Criado como companhia, o Münsterländer precisa de espaço para gastar toda energia que possui, mas se mostra obediente e amistoso com a família e outros animais.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Alemanha
  • Utilização: Caça e tiro.
  • Tamanho: 60 a 65 cm para machos e 58 a 63 cm para fêmeas.
  • Peso: aproximadamente 30 quilos.
  • Aspectos gerais: É um cão de forte estrutura muscular, impressão geral vigorosa, expressão de inteligência e nobreza. Apresenta contornos bem definidos.
  • Pelagem: Apresenta pelos longos e densos, lisos, nem enrolados nem separados, que posam interferir na sua habilidade de caçar. A pelagem deve ser especialmente longa e densa na cauda e na parte traseira das pernas anteriores e posteriores bem franjados. A parte mais peludada cauda deve ser na metade do seu comprimento. Os pelos das orelhas devem ser longos (boas franjas) e devem alcançar igualmente além da ponta das orelhas (o couro visível ao final das orelhas não é desejado). Os pelos da cabeça são curtos e lisos. A cor é branca com manchas pretas e mosqueadas de preto ou azul-ruão. Cabeça preta, com uma pequena mancha ou lista branca é aceitável.
  • Longevidade: 12 a 14 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: É um cão dócil, hábil para ser treinado, confiável como cão de caça, em particular, depois do tiro. Possui temperamento vivo sem ser nervoso.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Greyhound
A primeira notícia da raça vem do Vale do Nílo, na Tumba de Amten, entre 2900 e 2752 a.C. Entalhes da tumba mostravam uma cena com dois exemplares atacando um cervo. O Greyhound sempre teve uma história aristocrática, sendo o preferido pele realeza egípcia. Sua criação se restringia apenas ás pessoas da realeza. Por ser uma raça muito antiga, tem origem incerta. Alguns especialistas supõem que seu nome seja derivado de Graius ( Grego), pois eles eram muitos estimados pelos antigos gregos. Outros que derive de “grech” ou “greg” ( cão, na antiga Inglaterra). Há ainda os que dizem que o nome veio da cor “gray”(cinza). Acredita-se que a raça tenha se desenvolvido na Inglaterra. Apesar de ser um especialista na caça de lebres, ele também era muito usado para caçar cervos, raposas, veados e outros. Atualmente, o cão compete em pistas de corridas específicas para a raça, que é muito veloz. O Greyhound é ainda um excelente animal de companhia, por ser fiel, afetuoso e tolerante com crianças.
Muitos especialistas gostam de descrever a raça sob uma linda comparação: ""Rápido como um raio de luz e sábio como Salomão.""

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Corrida
  • Tamanho: 71 a 76 cm para machos e 68 a 71 cm para fêmeas
  • Peso: 27 a 36 quilos
  • Aspectos gerais: Aristocrático, imponente, com musculatura de constituição sólida, lombo arqueado e membros flexíveis e potentes. Toda sua conformação física mostra sua aptidão para a velocidade.
  • Pelagem: Curta e cerrada com cores preta, branca, vermelha, azul, castanho, fulvo ( castanho-alourado) tígrado ou qualquer dessas cores invadidas pela branca.
  • Longevidade: 14 a15 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: fiel, afetuoso e atencioso com crianças.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Griffon
Apesar de serem consideradas raças diferentes pela FCI, o Griffon de Bruxelas, o Griffon Belga e o Petit Brabançon são, na verdade, variedades diferentes do que os americanos e ingleses chamam de ” Griffon bruxellois” ou “Brussels Griffon”.
Os griffons surgiram da combinação de duas raças no século XVII: o Affenpinscher Alemão e o cão de Rua Belga. Esses cães, muito inteligentes e dispostos, eram conhecidos como “cães de estábulo” por caçarem roedores e pequenos predadores nesses locais.
A raça ganhou a afeição e o patrocínio do rei francês Henrique III, da rainha Bélgica Henriqueta Maria e da rainha Astrid. Naquela época, todos tinham pelo duro, focinhos mais longos e eram um pouco maiores do que os espécimes da atualidade.
Apesar de ser classificado como “cão de companhia”, não é um cão mimado. Tem muito vigor, robustez, vivacidade e graças à sua vigilância e latidos, também é considerado um bom cão de guarda.
Sua natureza é divertida, alegre, alerta e muito confiável. É uma excelente companhia para toda a família, incluindo as crianças e outros cães.
Um traço marcante da raça é a necessidade da presença do dono ao seu lado a maior parte do tempo, costumam escolher um membro da família como preferido, por quem tem grande respeito e adoração. Adoram agradar e observam com atenção tudo que acontece ao seu redor.
O Griffon é uma raça muito fácil de manter, os de pelo áspero precisam de trimming especializado, duas vezes ao ano, se o exemplar possui pelagem correta (dura) dificilmente ficará sujo, devendo ser lavado o mínimo possível para manter a qualidade da pelagem.
Infelizmente nem todos Griffons possuem pelagem correta, os cães de pelagem macia ou lanosa precisam de banhos constantes e talvez mais trimming.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Bélgica
  • Utilização: Companhia.
  • Tamanho: 18 a 20 cm.
  • Peso: 3 a 5 quilos.
  • Aspectos gerais: GRIFFON DE BRUXELAS - Um pequeno cão de luxo, inteligente, esperto, robusto, lembrando o atarracado, de estrutura e movimentação elegante, cativando as atenções pela sua expressão quase humana. A cauda é alta, amputada aos dois terços. GRIFFON BELGA - É um cão de pequeno porte, de tronco curto, robusto, com cabeça grande e arredondada, olhos bem grandes e separados. O focinho é bem curto e projetado para cima, o que o deixa um pouco prognata. As orelhas são semi eretas e voltadas para a frente e a cauda é amputada curta. PETIT BRABANÇON - É um cão de pequeno porte, de tronco curto, robusto, com cabeça grande e arredondada, olhos bem grandes e separados. O focinho é bem curto e projetado para cima, o que o deixa um pouco prognata. As orelhas são semi eretas e voltadas para a frente e a cauda é amputada curta.
  • Pelagem: GRIFFON DE BRUXELAS - O pelo é duro, eriçado, de comprimento médio e farto. A cor é ruiva, mas com um pouco de preto nos bigodes e cavanhaque é tolerado. GRIFFON BELGA - Pelagem áspera e as cores aceitas são preto, preto e canela, e também a pelagem chamada de "belge", que consiste em uma mistura de pelos vermelhos e negros. PETIT BRABANÇON - Pelagem curta e macia, nas cores ruivo, preto e cor de fogo. A máscara preta não é um defeito.
  • Longevidade: 13 a 14 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Pequena
  • Atividade física: Baixa
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Griffon Nivernais
Os hounds de pelo duro levados à Europa Central por negociantes do Mediterrâneo ajudaram a dar origem ao Griffon Nivernais. É provável que o extinto Gris de Saint Louis – O Greyhound descrito pelo Rei Charles IX em ” Las Chasse Royale” – e o cão de Bresse, sejam os antecessores mais próximos desse hound que é conhecido há mais de 800 na França. O Griffon Nivernais caçava em grandes matilhas na França e foi muito apreciado até o reinado de Luis XI. Depois foi abandonado e, ao final do século XIX e no início do século XX, esses cães receberam sangue de Vendéen, de Foxhound e depois de Otterhound para chegar ao tipo atual.
Cão de excelente faro, se destaca no trabalho de caça, especialmente em terrenos difíceis e cerrados. São resistentes, velozes e costumam correr atrás de tudo que se move, o que permite que ele seja utilizado com sucesso em pequenas matilhas para caça ao javali, assim com em caças pequenas.
Coragem e iniciativa são qualidades forte da raça.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: França
  • Utilização: Cão de faro, utilizado, principalmente na caça ao javali, geralmente em matilha, mas também individualmente
  • Tamanho: 55 a 62 cm para machos e 53 a 60 cm para fêmeas
  • Peso: 23 a 25 kg
  • Aspectos gerais: cão de membros e músculos secos, destinados a fornecer mais capacidade no trabalho do que na velocidade. De aspecto um pouco triste, mas não medroso.
  • Pelagem: o pelo é longo, hirsuto e espesso, bastante forte e duro (nem lanoso, nem crespo). O ventre e o interior das coxas não devem ser destituídos de pelos. As sobrancelhas bem pronunciadas não encobrem os olhos. Um pouco de barba no queixo e as orelhas bastante peludas. A cor é sempre encarvoado, a extremidade do pelo é sempre mais escura que a base. O fulvo pode ser mais escuro, mais jamais laranja. A extremidade encarvoada pode ser azulada. A intensidade do tom escuro na extremidade do pelo é que dará o aspecto de mais claro ou mais escuro na pelagem. A presença de pelos brancos disseminados, em maior ou menor quantidade na pelagem, é tolerada e formam nuanças que vão do cinza-claro ao cinza-escuro, passando pelo cinza-javali.
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: muito bom caçador e corajoso. Apesar de poder treiná-lo facilmente, ás vezes, demonstra ser obstinado e independente, dessa forma, seu dono deverá fazê-lo obedecer desde a idade mais jovem.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://commons.wikimedia.org
Hokkaido
O Hokkaido é uma das raças mais antigas do Japão ( 1000 anos a.C) Originário das regiões montanhosas da ilha de Hokkaido, foi trazido pelos Ainu e utilizado como cão de caça grossa, entre elas ursos e outros animais de grande porte. Por isso, esses cães também ficaram conhecidos pelo nome de Ainuken.Acredita-se que a raça tenha origem nos cães japoneses de porte médio que acompanharam os imigrantes de Honshu (a ilha principal do Japão) para Hokkaido, por volta dos anos 1140, durante a era Kamakura. Em 1937, a raça foi considerada Monumento Natural, época em que recebeu o nome da região. Os cães da raça possuem uma estrutura física que possibilita a resistência ás baixas temperaturas e pesadas avalanches. Possuem ainda um sentido muito apurado de orientação.
Corajosos, atentos e seguros de si, os exemplares de Hokkaido são dóceis e mostram-se muito afetuoso em relação aos donos.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Japão
  • Utilização: Caça e companhia
  • Tamanho: 48,5 a 51,5 cm para machos e 45,5 a 48,5 cm para fêmeas
  • Peso: Padrão não comenta
  • Aspectos gerais: Cão de porte médio com características sexuais secundárias fortemente marcadas, bem equilibrado, vigorosamente construídoe boa ossatura. Apresenta músculos robustos e bem modelados. A cauda é de inserção alta, grossa, portada sobre o dorso vigorosamente enrolada ou curvada como uma foice, com a ponta quase alcançado os jarretes, quando caída.
  • Pelagem: O pelo externoé duro e reto, subpelo macio e denso. Na cauda, é razoavelmente longo e eriçado. As cores podem ser sésamo (pelos fulvo avermelhados com as pontas pretas), tigrada, vermelha, preta, preta e castanho, branca.
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: É um cão de notável resistência, exibindo, dignidade e ingênuos. É ainda confiável, dócil, bem alerta e corajoso.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Hovawart
O Hovawart surgiu nos finais do século XIX, pela mão de Kurt Konig. Este zoologista estava então interessado numa antiga raça que existiu durante a Idade Média e que foi utilizada para proteger os territórios, castelos e o gado: os Hovawart (significa cães de guarda).
Estes cães eram muito requisitados pela corte, conforme se pode constatar em várias pinturas desse tempo. Não se sabe o motivo da sua extinção, apenas que, após a Primeira Guerra Mundial, aquele zoologista relevou-se um entusiasta da sua recuperação, reunindo os esforços e pessoas para ser bem sucedido.
Apoiou-se em registos e desenhos da época, por forma a localizar os cães necessários para efetuar o cruzamento seletivo que lhe permitisse recuperar a raça. Crê-se que contribuíram para o apuramento do Hovawart, os cães de Herz e Odenwald, os Kuvasz, Leonberguer, Cão da Montanha de Bernes, entre outros.
Os Hovawarts preferem climas frios e podem dormir ao ar livre.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Alemanha
  • Utilização: Cão de guarda
  • Tamanho: Machos 70 cm e as Fêmeas 65 cm.
  • Peso: 30 a 40Kg os machos e 25 a 35Kg nas fêmeas.
  • Aspectos gerais: O Hovawart é um cão grande, robusto, mas não pesado, assemelhando-se um pouco como um Golden Retriever. O corpo é mais longo do que alto, com as costas retas.
  • Pelagem: Tem uma pelagem longa, mas tem um baixo nível de preparação e necessidades. As cores são preta, loira ou preto e castanho.
  • Longevidade: 10 a 14 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: É calmo dentro de casa, desde que receba bastante exercício diário. Determinado, obediente e afetuoso especialmente com seu dono.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Internet Imagem: fonte - http://www.imagejuicy.com
Husky Siberiano
Conhecida na Sibéria há 2 mil anos, a raça foi criada pelo povo Chukchi, do nordeste da Ásia, como um resistente cão de trenó. Isso porque eles precisavam de um animal capaz de viajar grandes distâncias em uma velocidade moderada, carregando cargas leves, em baixas temperaturas e com um gasto mínimo d energia. Pequisas indicam que os Chukchis mantiveram a pureza da raça durante todo o século 14, sendo que é o único de ancestrais da raça hoje conhecida.O Husky ficou famoso por acumular inúmeras vitórias em corridas de frenós na neve, durante o século 20, no Alasca. O temperamento e a habilidade para as corridas chamaram a atenção dos americanos admiradores do esporte e, então, em 1930 a raça foi reconhecida pelo American Kennel (Clube AKC) Esse cão é naturalmente amigo e gentil, apesar de possuir uma natureza muito independente.
A companhia agradável, a admiradores de cães no mundo todo. No entanto,é preciso ter perfil adequado para criar a raça como pet, já que os cães costumam ser muito ativos e destrutivos quando sentem entediados.
Ele não possui qualquer tipo de odor, como a maioria dos cães com pelagem densa.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: EUA
  • Utilização: Tração de trenós, com carga leves.
  • Tamanho: 50,5 a 56 cm para fêmeas e 53,5 a 60 cm para machos.
  • Peso: 15,5 a 28 quilos
  • Aspectos gerais: Porte médio, rápido, ágil e solto. É medianamente compacto, com orelhas eretas e cauda em pincel. Ele é leve, de musculatura firme e bem desenvolvido.
  • Pelagem: Dupla, bem farta, de comprimento médio, com contorno bem definido. O subpelo é denso e macio, longo e suficiente para armar o pelo. Os pelos são retos, suaves e uniforme assentados.
  • Longevidade: 10 a 12 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: Dócil, amigo, gentil, versátil, inteligente, companheiro e muito tolerante com crianças.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Ibizan Hound ou Podengo Ibicenco
A história da raça é bastante antiga. Imagens semelhantes a este cão, encontradas no Egito, datam de 5 mil anos aproximadamente. Dados históricos e artefatos com figuras encontrados nas tumbas revelam que os faraós utilizavam o Ibizan para auxiliar na caça. Anúbis, o cão guardião dos mortos, um dos tesouros da tumba de Tutancamon encontrado em 1922, tem a figura semelhante aos Ibizans de hoje. Acredita-se que esses cães tenham sido levados pelos fenícios para a Ilha de Ibiza, na Espanha, durante a conquista da região no século 8 a.C. A cabeça dos cães da raça é vista em moedas romanas antigas, o que comprova tanto a paixão pela raça quanto a sua pureza até os dias atuais. Na América. mais precisamente nos Estados Unidos, a raça foi vist pela primeira vez apenas em 1956. E o sucesso foi tão grande que até hoje é criada no país. Os exemplares, além de excelentes caçadores, são utilizados como bons cães de guarda e companhia. Como características principais apresentam muita agilidade e rapidez.
São ainda muito afetivos com seus donos, se mostrando sempre alertas e leais.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Espanha
  • Utilização: Caça de coelhos, lebres e animais maiores
  • Tamanho: 66 a 72 cm para machos; 60 a 67 cm para fêmeas
  • Peso: 19 a 25 quilos
  • Aspectos gerais: É um cão atarracado e alto em relação a outros cães de caça que se distinguem pela velocidade. O pescoço é comprido e levemente arqueados, o dorso pende para a garupa, a cauda fina é portada baixa, as pernas são compridas e retas. O peito é amplo e a caixa torácia achatada. Possui orelhas grandes e eretas e enxerga muito bem.
  • Pelagem: Pode ser curta ou dura, sendo que ambas são desejáveis. A curta é menor na cabeça e orelhas e mais longa na parte de trás da coxa e embaixo do rabo. Já a dura, mede entre 2,5 e 7,5 cm de comprimento, ás vezes possui bigode.
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Grande
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Irish Soft Coated Wheaten Terrier
O Soft Coated Wheaten (ou simplesmente SCWT) foi originalmente criado para caçar pequenos roedores e ajudar no pastoreio de ovelhas. O SCWT é uma raça muito adaptável, é muito afetuoso e leal com as pessoas da casa, cauteloso e alerta na presença de estranhos.
A raça não solta pelos, podendo conviver sem problemas com pessoas asmáticas ou alérgicas a cães.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Irlanda
  • Utilização: Caça ( texugos, lontras e daninhos)
  • Tamanho: 46 a 48 cm
  • Peso: 18 a 20,5 quilos
  • Aspectos gerais: É um cão forte, ativo, de acoplamento curto, bem construído, sem ser pernalta nem mutio baixo. A cauda é bem inserida, amputada em dois terços de seu comprimento total, não muito grossa, portada empinada, mas nunca sobre o dorso. A cauda não cortada é permitida.
  • Pelagem: Cão de pelagem simples, com textura macia e sedosa. Permitindo o trimming (tosa). Os cães tosados têm pelagem curta no pescoço, peito e crânio, especialmente longa nas sobrancelhas e sob a mandibula, deixando, preferivelmente, os bigodes, franjas profusas nos membros. No tronco, a tosa, acompanha o contorno do cão, sem ser esculpido. Cauda tosada curta e nitidamente afilada. Nos cães sem tosa, a pelagem, em seu maior comprimento, não ultrapassa os 12,7 cm. Em circunstância alguma, a pelagem pode formar ""plumagem"", como no Poodle. Qualquer coloração do trigo claro até as tonalidades do dourado-avermelhado é aceita. Geralmente antes de um ano de idade, apresenta máscaras pretas acinzentas que clareiam com o crescimento. A pelagem das orelhas permanece preta ou acinzentada por toda a vida do animal.
  • Longevidade: 13 a 14 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: Animado e excelente caçador, muito afeiçoado e leal aos seus donos, inteligente, amigo confiável e fiel. Defende sem ser agressivo.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://www.kft-og-os.de/graphic/
Irish Wolfhound
Criados desde os primeiros séculos na Irlanda, são muitos antigos, sendo já bastante conhecidos na época do Império Romano. Foi usado para caçar lobos e cervos, com a intenção de proteger o rebanho de frequentes ataques. Com os lobos desaparecendo gradualmente, houve uma exigência na redução do número de cães no país, chegando ás vias de extinção no fim do século 17. Os exemplares remanescentes foram cruzados com o Deerhound, com o Borzoi e com o Dogue Alemão, criando o tipo de Wolfhound atual.
Maior cão do mundo, é manso, conquistando um bom espaço em lares privados.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Irlanda
  • Utilização: Caça de animais de grande porte.
  • Tamanho: Mínimo de 79 cm para machos e de 71 cm para fêmeas.
  • Peso: Mínimo de 54,5 quilos para mchos e 40,5 quilos para fêmeas.
  • Aspectos gerais: o Wolthound Irlandês não é tão pesado e massudo quanto o Dogue Alemão, porém, mais do que o Deerhound, ao qual ele se parecce no tipo geral. É um cão de grande porte e aparência dominante, muito musculoso, forte em sua construção elegante, movimentação fácil e ativa, cabeça e pescoço portados altos e cauda portada com uma suave curva para aextremidade. De tamanho grande, incluindo a altura nos ombros e proporcional ao comprimento do tronco, é desejado que tenha a média de 81 a 86 cm para machos, mostrando o requisito poder, atividade, coragem e simetria.
  • Pelagem: Apresenta pelos ásperos e duros no tronco, pernas e cabeça especialmente de arame. Possui também pelos de arame sobre os olhos e barba. As cores reconhecidas são cinza, tígrado, vermelha, preta, branca pura, fulvo ou qualquer cor que apareça no Deerhound.
  • Longevidade: 10 a 12 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: São cães comportados, mansos e amáveis. O padrão da raça se refere ao temperamento do Wolfhound Irlandês como "" cordeiro em casa, leão na caça""
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://media-2.web.britannica.com
Jack Russell Terrier
Conhecido como o “Vigário Caçador”, o reverendo Jack Russell, de Devon, na Inglaterra, foi responsável pelo desenvolvimento da raça, no século 19.
A raça é relativamente nova, desenvolvida há cerca de 200 anos, no sul da Inglaterra, para desempenhar a tarefa de caçar raposas. O Jack Russell Terrier resulta do cruzamento do extinto Old English White Terrier e o Terrier Preto e Dourado ( Black and Tan).
Em alguns países, esta cão é conhecido como Parson Jack Russell.
Especialista em acuar raposas, ele foi desenvolvido exatamente para executar esta função: possui caixa torácia compacta e flexível, tronco logo, cabeça e focinho fortes e muita disposição.
Determinado e inteligente, o Jack Russell é um cão corajoso, amigo, atlético e esperto. No trabalho como caçador é implacável e valente.
No Brasil, os exemplares da raça têm sido utilizado com sucesso em esportes como Agility e Flyball, em que geralmente se destacam.
Quando criado como pet, o JACK se mostra brincalhão e muito afetivo. Ele tem bastante energia, independência e não é bringuento.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Caça e companhia
  • Tamanho: 23 a 30 cm
  • Peso: 5 a 6 quilos.
  • Aspectos gerais: É um cão do tamanho médio para pequeno, bem proporcional na relação peso e latura, de ossatura mediana compacta e de silhueta limpa. A cauda é portada alta e amputada de modo de a ponta fique na altura do crânio.
  • Pelagem: São dois os tipos de pelagem, ambas duplas duras e resistentes á água. Liso - reto e duro, denso e abundante. Quebrado - curto, com subpelo denso, revestido por uma pelagem dura bem assentada no corpo e menbros. A pelagem na cabeça forma um contorno que insunia uma sobrancelha e barba. As cores são brana, branca com marcação em preto ou dourado ou uma conbinação das duas e tricolor. As marcações estão preferencialmente na cabeça e base da cauda. Marcações grandes no corpo não são desejáveis.
  • Longevidade: 10 a 12 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: É brincalhão, afetivo, idependente e nuca agressivo.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Jämthund
O Jämthund, ou ainda, cão caçador de alces da Suécia, é o maior entre os cães caçadores de grandes cervos nórdicos.
Os ancestrais do Jämthund atual eram cães muito antigos, de tipo físico semelhante ao dos cães que acompanhavam os homens das cavernas. Estes cães eram criados e apreciados pelos caçadores que habitavam a região de Jämtland, na Suécia, recebendo seu nome desta região, “Jämthund” significa “cão de Jämtland”. Apesar de antiga, a raça, como a conhecemos hoje, só foi fixada em 1953.
Além de grandes caçadores, capazes de caçar animais muito maiores que ele próprio, como o alce e o urso, o jämthund é um cão de grande força, usado como cão de trenó e guarda de rebanhos, cães desta raça também já foram utilizados pelo exército sueco para transportar mantimentos para os soldados.
Os Jämthunds são muito inteligentes e relativamente obedientes com seu dono, aprendendo rápidamente as regras da casa.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Suécia
  • Utilização: Companhia, caça e trenó
  • Tamanho: 52 a 65 cm
  • Peso: 29 a 31kg
  • Aspectos gerais: Porte médio, rápido, ágil e solto. É medianamente compacto, com orelhas eretas.
  • Pelagem: Cinza escuro ou cinza claro, com marcações claras acinzentadas ou creme nas bochechas e na garganta.
  • Longevidade: 12 a 13 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: Calmo e equilibrado
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Internet Imagem: fonte - http://www.alghundklubben.com
Kerry Blue Terrier
O primeiro registro deste cão foi feito na região montanhosa do Condado de Kerry, na Irlanda, daí o seu nome. Por mais de 100 anos a raça é criada sem nenhuma outra influência de sangue.
Considerado um cão de muitas funções, é utilizado para caçar pequenas presas e pássaros, recolher e trazer caça tirada tanto da água quanto da terra, atuar como pastor de gado e ovelhas, como cães de guarda e companhia, além de ser um bom rastreador, podendo ser treinado com muita facilidade.
São corajosos, fiéis e companheiros como poucos. Uma característica marcante nesses cães é a disposição e atividade que mantêm até o fim da vida, especialmente quando são criados com boa alimentação, manejo e exercícios físicos.
Pelagem é diferente nos filhotes: A coloração dos filhotes é bem diferente dos adultos. Eles nascem com a pelagem totalmente preta e só adquirem a coloração definitiva perto de completarem 1 ano e meio.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Irlanda
  • Utilização: Caça e companhia
  • Tamanho: 45,5 a 49,5 cm para machos e 44,5 a 48 cm para fêmeas
  • Peso: 15 a 18 quilos
  • Aspectos gerais: Apresenta bom desenvolvimento muscular, é altivo e possui o estilo de estrutura típico dos terrier. A cabeça tem pelagem farta e o focinho é de comprimento médio.Os ombros têm boa angulação e os jarretes são fortes e aprumados. A cauda é fina, forte na raiz e portada empinada.
  • Pelagem: Apresenta pelagem dupla, macia, densa e ondulada. A cor deve ser azul em qualquer tonalidade, com ou sem pontos pretos.
  • Longevidade: 12 a 13 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: É um cão corajoso, destemido e companheiro como poucos.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Kishu
Raça originária de antigos cães japoneses de porte médio. Seu padrão foi definido na ilha de Kishu no Japão. É uma raça antiga e versátil, originária de regiões montanhosas. No princípio era utilizada para diversas funções desde caça grossa (caça de animais de grande porte como o urso), auxiliar de pesca, guarda de rebanhos e de propriedades e cão de companhia. É considerada como patrimônio histórico e cultural do Japão desde 1934, data em que foi oficialmente batizada com o nome de sua região de origem.
Cão muito resistente, é dócil e alerta. Sendo utilizado até hoje em grande parte de suas funções originais. Bom guarda, bom companheiro, bom pastor e bom caçador, o Kishu é um cão notável. Embora seja de temperamento calmo e não seja ladrador, esta raça não é recomendada para apartamentos ou espaços pequenos, o Kishu precisa de exercício e espaço para se movimentar e se distrair ou pode ficar entediado e desenvolver problemas de comportamento.
De 1934 em diante, apenas cores uniformes passaram a ser aceitas como padrão. Dez anos mais tarde, as variações desapareceram, e hoje somente o branco é encontrado.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Japão
  • Utilização: Companhia, caça, pastoreio e guarda
  • Tamanho: Macho
  • Peso: De 20kg a 25kg
  • Aspectos gerais: De porte médio, bem equilibrado e músculos bem desenvolvidos. Porta as orelhas eretas e cauda enrolada ou em foice. A estrutura é forte, de boa ossatura e compacta.
  • Pelagem: Curto, mais longo nas bochechas e na cauda, sub-pêlo macio e denso. Cores
  • Longevidade: 11 a 13 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: Confiável, dócil e bem alerta
  • Atividade física: Moderado
Fonte: Texto: fonte - Internet Imagem: fonte - www.free-pet-wallpapers.com
Komondor
O Aftscharka, cão que os Hunos encontraram ao passar pela Rússia, são os ancestrais do antigo Komondor, que teve sua origem na Hungria. Os húngaros preservaram exemplares puros por mais de mil anos, já que só permitiam cruzamentos entre Komondors.
No trabalho, ele se destaca pela atenção e coragem ao acompanhar e proteger o gado, mas dificilmente exerça a tarefa de recolher o rebanho.
De porte grande o Komondor é fiel, amável e protetor com o dono e a família, mas demonstra desconfiança com estranhos.
Pelagem apresentada na forma de corda, é difícil de ser cuidada porque, apesar de grande, não pode ser escovada. Os pelos são aparados somente quando há necessidade.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Hungria
  • Utilização: Guarda e Defesa
  • Tamanho: mínimo de 70 cm para machos e 65 cm para fêmeas
  • Peso: 50 a 60 machos /40 a 50 fêmeas
  • Aspectos gerais: é um cão de porte grande, de ossatura forte e bem musculoso, denotando força e dignidade com conduta corajosa. O nariz é preto e as orelhas possuem tamanho médio.
  • Pelagem: sua pelagem é incomum, densa e protetora com pelos longos, encaracolados na forma de cordas. O subpelo é denso, lanoso e macio como nos filhotes. A cor da pele deve ser cinza, sendo tolerável a rosada e o pelo é branco. Uma pequena quantidade de creme ou sombreamento camurça é visto em filhotes, mas costuma desaparecer com a maturidade a pelagem leva dois anos para ficar encordoada.
  • Longevidade: 12 a 13 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: é fiel, companheiro, mas desconfiados com estranhos.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Kromfohrländer
A raça teve origem na Alemanha, na década de 1940. Os primeiros representantes da raça foram resultado de um cruzamento acidental de dois cães, possivelmente um Fox Terrier e um Grand Basset Griffon Vedeen. Ficou decidido que os filhores resultantes deste cruzamento seruan reproduzidos em razão da beleza. Por isso. foram os primeiros escolhidos para serem expotos em 1955. Uma das mais recentes raças caninas de origem alemã, o Kromfohrländer ficou internacionalmente reconhecido desde 1955. Ilse Schleifenbaum, o primeiro criador da raça, viveu próximo de Siegen, no sul de Nordrhein-Westphalia, perto do distrito “Krom Fohr” (em alemão moderno, “canal curvo”), de onde provém o nome da raça. Os exemplares apresentam temperamento peculiar adorável e características de seus ancestrais.
Os exemplares apresentam temperamento peculiar adorável e características de seus ancestrais.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Alemanha
  • Utilização: Companhia e Lazer
  • Tamanho: entre 38 e 46 cm.
  • Peso: de 11 a 16 quilos para machos e de 9 a 14 quilos para fêmeas.
  • Aspectos gerais: é um cão de tamanho médio. Existem duas variedades separadas, distinguidas pelo tipo de pelagem
  • Pelagem: Pelo Duro - grosso, textura dura, com barba. Na cernelha e no dorso o pelo não é mais longo que 7 cm. Mais curto nas laterais, com cerca de 3 cm. O pelo no dorso e nos membros é mais áspero que nas laterais. Pelo longo na cabeça e no focinho. Pelos nas orelhas de acordo com a pelagem do corpo. Subpelo curto e macio. Pelo Liso - grosso, textura macia, sem barba. Na cernelha e no dorso o pelo não çe mais longo que 7 cm. Mais curto nas laterais com cerca de 3 cm. Pelo caindo rente ao corpo. O pelo é mais longo nas orelhas, na parte inferior do pescoço e no peito. Subpelo curto e macio. A cor básica do corpo é branca, com marcas nas cores marrom-claro, castanho ou marrom muito escuro, em forma de manchas de largura variáveis ou em forma de sela. Com um subpelo marrom, as pontas dos pelos podem ser pretas. Na cabeça, marcas marrom-claro, castanho ou marrom muito escuro nas bochechas, abaixo dos olhos e nas orelhas.
  • Longevidade: 13 a 14 anos
  • Agressividade: Baixa.
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: cão de companhia de fácil adaptação, dócil, de espírito alegre e de lazer. Um pouco reservado com estranhos e com um moderado intinto de caça. Agressividade e timidez não são desejáveis.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2011 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://www.monte-cer-bellino.de/
Kuvasz
Um cão nobre de origem húngara, os Kuvasz descendem dos Mastis do Tibet.
O valor deste cão pode ser compreendido pelo significado do nome: Kawasz, em turco significa “guarda armada nobre” e Kaurvasz “arqueiro” em árabe. Para os húngaros a palavra Kuvasz originou-se do termo Ku-assa, que quer dizer “cão que guardava e corria em volta de cavalos”.
Antigamente, somente a alta realeza podia ter um exemplar. Com o tempo os camponeses também tiveram acesso ao Kuvasz e passaram a utilizá-lo na guarda e defesa de ovelhas e gados.
Introduzida na Hungria pelos turcos, a raça quase desapareceu durante a segunda guerra, quando muitos exemplares foram fuzilados pelas tropas alemãs que atravessavam o país. Como guardavam as grandes propriedades, os seus donos e os rebanhos eram os primeiros a serem eliminados pelas tropas invasoras.
Inteligente, os cães da raça aprendem com muita facilidade. Um filhote com apenas 7 semanas já é capaz de aprender alguns comandos de maneira tão eficaz quanto um adulto. Normalmente, mantém uma relação muito forte com o dono.
O Kuvasz pode ser um bom companheiro, por apresentar um alto instinto protetor, principalmente com as crianças que convive.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Hungria
  • Utilização: Guarda, pastoreio e companhia
  • Tamanho: 71 a 76 cm para machos e 66 a 70 para fêmeas
  • Peso: 48 a 62 machos / 37 a 50 fêmeas
  • Aspectos gerais: porte grande, forte, bem balanceado, de ossatura média musculoso. Apesar de grande e forte, possui muita agilidade e é capaz de caminhar 30 quilômetros por dia.
  • Pelagem: abundante, dupla, de aspereza média, variando de muito ondulada a pouco ondulada. Os pelos das orelhas e das patas são curtos, retos e densos, tendo no pescoço e no peito uma juba de 5 a 8 cm, podendo chegar a 15 cm nos machos. A cor do pelo deve ser sempre branca e sem marcas. A pelagem é inodora fácil de cuidar.
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: determinado, destemido, autoconfiante e muito carinhoso, podendo se tornar agressivo se maltratado. É desconfiado com estranhos.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://www.kuvasz-vom-drachenfels.de
Labrador Retriever
Esta raça tem sua origem no Labrador, uma região fria e inóspita e desabitada do Canadá, descoberta por John Cabot no século 15. Segundo relatos, alguns pescadores da região costumavam ser vistos sempre com um cão a bordo de suas embarcações, de pelagem curta e densa, e capaz de mergulhar nas gélidas águas para recolher o peixe que escapava das redes. No começo do século 19, um cão do tipo Labrador foi importado do Canadá para a Grã-Bretanha, onde sofreu miscigenações e passou a ser conhecido por St. JohnF0;s. A docilidade, inteligência e a capacidade para desempenhar tarefas complexas, como guia de cegos, bsuca e resgate, transformaram o animal em um dos mais requisitados do mundo. O Labrador tem ainda características de autêntico retriever (cão que busca aves abatidas), função que pode fazer tanto em terra como na água, já que é um exímio nadador.
Típico de família, o Labrador retriever é extremamente calmo, brincalhão e apegado aos donos, podendo ficar deprimido e morrer de tristeza se deixado sozinho por muito tempo. Por isso, nunca adquira um Labrador se não tiver tempo para dedicar a ele.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretania
  • Utilização: Cão de caça
  • Tamanho: 56 a 57 cm para machos e 54 a 56 cm para fêmeas
  • Peso: 25 a 34 quilos
  • Aspectos gerais: Crânio largo, pelo profundo, costelas bem arqueadas, tronco curto, lombo e posteriores bem fortes.
  • Pelagem: Possui pelo característico
  • Longevidade: 12 a 14 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: Inteligente, dócil, calmo e companheiro
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Lagotto Romagnolo
Uma antiga raça de cães dF0;água, o Lagotto Romagnoto, teve sua origem no século XVI, numa região de grandes pântanos, localizada no norte da Itália. Até a segunda metade do século XX, esses cães trabalharam como retrievers de água, buscando aves abatidas por caçadores do local. Com o passar dos anos, os grandes pântanos do norte da Itália foram drenados e transformados em terras aráveis. Esse fato fez com que os cães da raça perdessem sua principal função: a de retriever de água. Mas como se tratava de cães com faro apuradíssimo, passaram a se mostrar excelentes como cães de busca a trufas nos terrenos planos e colinas. Hoje o Lagotto é praticamente imbatível na realização desta tarefa, tornando-se o único cão especialista na área.
Há quem crie exemplares da raça para companhia, função na qual também se destacam, já que são divertidos, fiéis, inteligentes e aceitam bem a presença de cães e outros animais.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Itália
  • Utilização: Caça
  • Tamanho: 43 a 48 cm para machos, 41 a 46 cm para fêmeas
  • Peso: 13 a 16 quilos para machos e 11 a 14 quilos para fêmeas.
  • Aspectos gerais: é um cão de médio porte, proporcional, denotando rusticidade. A cabeça, quando vista por cima, tem o formato de trapézio. As orelhas de tamanho médio são pendentes e inseridas na altura dos olhos.
  • Pelagem: é dupla , com pelo e subpelo resistentes á água. O pelo tem textura lanosa e encaracolada, formando cachos bem apertados por todo o corpo, exceto na cabeça onde o pelo menos encaracolado forma barba, bigode e sobrancelhas. A cor pode ser branco-sujo com manchas em laranja ou castanho, castanho-ruão, castanho em diferentes tons e laranja. A máscara castanho-escuro é aceitável.
  • Longevidade: 12 a 13 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: é um cão inteligente, sociável com outros cães e animais, se mostrando divertido, alegre e amigo das crianças e da família
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://commons.wikimedia.org
Lakeland Terrier
Os cães da raça têm origem inglesa e eram usados em regiões montanhosas por fazendeiros, onde trabalhavam em conjunto com hounds para caçar raposas que atacavam as criações de ovelhas.
Historiadores afirmam que naquela região viviam cães de toca chamados patterdale terrier, assim como outros terriers conhecidos em Fell, em Westmorland e em Cumberland.
Destemidos, conseguiam trabalhar em terrenos difíceis, cheios de pedras e terra removidas. É provável que todos estes tipos tenham contribuído para formar uma raça única, e que o Lakeland derive do antigo terrier inglês de pelo duro.
Conta-se que, em 1871, um exemplar entrou numa gruta e rastejou por debaixo de pedras até a profundidade de 70 metros. Esses cães chegavam a ficar presos por mais de três dias.
Os cães da raça demostram autoconfiança, são audaciosos, alegres e amistosos. Há quem os considerem especiais na participação de provas de Agility.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Caça
  • Tamanho: Máximo 37 cm
  • Peso: 7,7 quilos para machos e 6,8 para fêmeas.
  • Aspectos gerais: É um cão vivo, apto ao trabalho, beem balanceado e compacto. É alegre e intrépido, com expressão de vivacidade, mostra rapidez de movimento e está sempre em alerta. A cauda é normalmente cortada, de inserção alta. Portada ereta, não sobre o dorso ou curvada.
  • Pelagem: O pelo é denso, duro, resistente ás intempéries e com um bom subpelo. As cores admitidas são pretas e castanho, azul e castanho, ruivo, trigo, ruivo grisalho, marrom (Fígado) azul ou preta. Peuqenas manchas brancas nas patas e no antepeito são admitidas, mas não desejadas. O acaju e o castanho saturado não são cores típicas.
  • Longevidade: 13 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Pequena
  • Temperamento: Corajoso, amigável e autoconfiante.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://www.breederretriever.com
Landseer
Á primeira vista o Landsser, criado no começo do século XIX, é muito parecido com o Terra Nova, que é o antecessor da raça.
No século XVII, os primeiros espécimes dos massivos cães pretos e brancos foram levados da Terra Nova (Canadá) para a Inglaterra por marinheiros.
Com o passar do tempo, dois diferentes tipos desses cães (tanto como nas características), surgiram na Europa.
Em 1881, uma edição oficial do stud book alemão, descrevia o tipo preto sólido (não desejável),de focinho curto, mais massivo, e outro, preto e branco, mais alto e com focinho mais afilado.



Esses cães ajudavam os colonizadores na pescaria, carregando as redes na água e rebocando os botes através de arrebentação.
Depois de 1820, o mais famoso pintor de animais, Sir Edwin Landsser, pintou muitos quadros desse nobre cão, que passou a ter seu nome.
Anteriormente eles eram conhecidos como Terra Nova branco e preto. Em 1930 o Landsser passou a ser uma raça distinta e os irmãos Otto e Alfred Walterspiel se empenharam muito para levar esse cão de volta a uma posição de destaque.
Landseer são utilizados pelos nadadores salvadores para salvar pessoas.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Alemanha / Suíça
  • Utilização: Cão de guarda e companhia
  • Tamanho: 66 a 71cm
  • Peso: 59 a 68kg
  • Aspectos gerais: O Landseer deve dar a impressão de um cão alto, poderoso e bem equilibrado. As pernas são comparativamente mais longas que as do Terra Nova preto, especialmente nos machos.
  • Pelagem: O Landseer tem uma pelagem dupla, com uma superfície plana, subpêlo de textura grossa, que é oleosa e resistente à água. Branco com manchas pretas, brancas ao redor do nariz, cauda branca com pouco preto.
  • Longevidade: 9 a 11 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: O Landseer é um cão corajoso, generoso e inteligente.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Internet Imagem: fonte - http://www.letocar.com/
Leonberger
Cães como o Landseer Terranova, São Bernardo e Cão da Montanha dos Pirineus ajudaram na formação do grande Leonberger, no século 19, na Alemanha. A raça foi desenvolvida a pedido do prefeito Heinrich Essig, em 1840, para homenagear sua cidade na Alemanha, Leonberger.
Apesar de ainda ser considerado raro, está ganhando terreno como cão de resgate, companhia e guarda de família. Ele adora água e é extremamente gentil com pequenos animais. Outra característica marcante da raça é a paciência com crianças. No entanto, precisa de boa dose de convívio com a família para se socializar. Isso exige que seu dono utilize bastante energia, desde filhote, para obter controle sobre o cão.
Tido como o mascote da cidade de Leonberger, ele rapidamente ganhou popularidade.
As duas Guerras Mundiais quase extinguiram a raça. Ao final da Segunda Guerra, sobraram apenas oito exemplares e foram necessários 25 anos para restabelecê-la.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Alemanha
  • Utilização: Guarda, companhia e cão de família.
  • Tamanho: 72 a 80 cm para machos e 65 a 75 cm para fêmeas.
  • Peso: 34 a 50 quilos.
  • Aspectos gerais: Grande porte, massivo, majestoso, de cabeça ampla, com stop bem definido, orelhas pendentes e cauda bem franjada portada baixa.
  • Pelagem: Moderadamente longa, e grossa e na face anterior dos membros é curta. A cor é dourada ou avermelhada com máscara preta.
  • Longevidade: 10 a 12 anos.
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: Adora água, é gentil, obediente, se ensinado, dócil e atencioso.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Lhasa Apso
Originário do Tibet, a raça é o resultado do cruzamento do Terrier do Tibet com Spaniel Tibetano. Segundo a tradição tibetana, pelo menos até a anexação pela República Popular da China, era impossível se comprar um Lhasa. Eles eram criados por monges, dirigentes políticos e pessoas de alta posição social, sendo, no máximo, oferecidos como presente e prova de gratidão e respeito.
Posteriormente chegaram à corte imperial chinesa como parte dos pagamentos de tributos, onde foram bem aceitos. Segundo relatos históricos, os melhores e mais belos exemplares de Lhasa habitavam o Palácio do Dalai Lama.
Por seu pequeno tamanho, beleza, simpatia e caráter seguro, conquistaram admiradores em todo o mundo. Hoje são considerados excepcionais cães de companhia.
SEMPRE ATENTO
O Lhasa sempre foi um cão de companhia, tem audição apuradíssima e percebe sons sutis e distantes, funcionando como cão de alarme. O latino peculiar do cão é chamado no Tibet de “apso seng kye”, ou seja “cão sentinela com voz de leão”.
Os exemplares da raça são alegres, afetuosos e bonitos, mas ariscos com desconhecidos.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Tibet
  • Utilização: Companhia.
  • Tamanho: 25,4 cm para machos; as fêmeas podem ser ligeiramente menores.
  • Peso: Proporcional ao tamanho.
  • Aspectos gerais: Porte pequeno, calmo e de estrutura leve.
  • Pelagem: Pesada, dura, reta, longa, entre lanosa e sedosa, tendo subpelo moderado. As cores são o dourado, mel, areia, cinza-escuro, com manchas pretas, brancas ou castanhas. Existe preferência pelas variações de tons dourados, consideradas as mais típicas da raça.
  • Longevidade: 10 a 12 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Pequena
  • Temperamento: São cães alegres, simpáticos e afetuosos e bonitos, mas ariscos com desconhecidos.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Malamute do Alasca
O nome provém da tribo nativa chamada Mahlemuts, situada na costa de Kotzebue Sound, na parte noroeste do Alasca, que usava esses cães para tração de trenós. Apesar de hoje pertencer aos Estados Unidos, foram os russos que primeiro ocuparam a região. A origem desses povos e seus cães não é bem clara, mas especialistas sustentam teorias de ter existido, durante o período glacial. De qualquer forma, o fato estabelecido é que algumas raças foram encontradas no Ártico e o cão de trenó nativo do Alasca Ártico é hoje o chamando Malamute.
Quase Extintos: Com a povoação do Alasca por brancos, os colonizadores trouxeram cães da Sibéria, Groenlândia e outras regiões árticas, quase colocando a existência dos Malamutes em risco. A Popularidade das corridas de trenós, no entanto,aumentaram o interesse de criadores pela raça.
Ele é afetivo, amigável, mas muito independente, não podendo ser considerado um cão de um dono só.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Alasca
  • Utilização: Tração de trenós
  • Tamanho: 58,5 a 63,5 cm
  • Peso: 34 a 38,5 quilos
  • Aspectos gerais: Corpo musculado, de estrutura forte,peito profundo e forte. Sua cabeça é ampla e suas orelhas, eretas.
  • Pelagem: Espessa, protetoramente rústica, nunca longa ou macia, com denso subpelo com 2,5 cm a 5 cm, lanoso e oleoso. O comprimento do pelo varia com a do subpelo e as cores aceitas são cinza-claro, preta e castanho muito escuro sombreado, castanho muito escuro e vermelho sombreado, sempre branca na linha inferior.
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: Afetivo, amigável, independente e inteligente.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Maltês
Desenvolvido especialmente para a função de companhia, o Maltês descende dos Bichons. Acredita-se que este cão tenha sido introduzido na ilha de Malta pelos Fenícios, por volta de 1500 a. C. Em meados do século XIV, surgiram os primeiros registros da raça, quando os exemplares eram utilizados como moeda e negociados por quantias equivalentes a milhares de dólares.
Por séculos, os cães desta raça têm habitado os lares de pessoas de cultura por serem refinados, fiéis e limpos, sendo utilizados como cão de colo. Além disso, são inteligentes, alegres e muito amistosos. Um cão que se adapta facilmente ao estilo de vida do dono, o Maltês vive bem em apartamentos, casas térreas ou sítios, mas gosta de ter o dono sempre perto. A presença de crianças ou outros bichos também não é problema para esses cães.
PODERES CURATIVOS
O Maltês foi muito utilizado pela realeza como “cão de luxo”. No entanto, algumas funções eram atribuídas à raça, entre elas, a de servir como uma espécie de “bolsa de àgua quente” para o alívio de dores. Muitas matronas, por exemplo, usavam colocar o animal sobre o abdômen para aliviar as dores de cólicas mentruais. Lendas sobre as propriedades curativas e antirreumáticas dos pelos abundantes dos Malteses também envolveram a raça durante anos. Por isso, era comum na época que mandassem confeccionar luvas e xales a partir dos pelos de um Maltês.
Os exemplares costumam viver bastante e, por possuírem pelagem muito longa, precisam de cuidados diários.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Itália
  • Utilização: Companhia.
  • Tamanho: 21 a 25 cm para fêmeas e 21 a 23 cm para machos.
  • Peso: 3 a 4 quilos.
  • Aspectos gerais: Porte pequeno, alongado, animado, alegre nas ações e, apesar do tamanho reduzido, possui o vigor necessário para ser uma ótima companhia.
  • Pelagem: Simples, longa, assente e repartida ao longo da linha do dorso, caindo ao chão. Os pelos longos da cabeça podem ser amarrados formando um topete. A cor é branca pura, mas um pálido tom de marfim é permitido. Permitidas marcações em pard-claro ou limão, apesar de não desejáveis.
  • Longevidade: 14 a 15 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Pequena
  • Temperamento: Alegre, carinhoso, fiel e amistoso.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Manchester Terrier
Criado desde a idade média na Inglaterra, o Manchester Terrier ficou popularmente conhecido como o “terrier do cavalheiro inglês”. Acredita-se que a raça tenha sua formação no cruzamento das raças Black and Tan terrier e o Pequeno Lebrel italiano. Os exemplares da raça foram muito utilizados em competições de caça e ratos, mas o fim do esporte quase a extinguiu, sendo hoje considerada uma raça rara.
Desde 1879, ano da fundação do clube oficial da raça, o Manchester Terrier ficou dividido em dois tipos distintos: um de estatura maior, cuja função é de cão de troca e de ratos e outro cão de companhia.
Um cão independente e de difícil adestramento, o Manchester é inteligente fiel e ativo.
Pequeno e de pelagem fina e curta, não exige grandes cuidados e pode ser mantido em apartamentos.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Caça e companhia.
  • Tamanho: 40 a 41 cm para machos e 38 cm para fêmeas.
  • Peso: 8 kg
  • Aspectos gerais: É um cão compacto, elegante, robusto e com substância. A cauda é curta e inserida diretamente onde termina a curvatura da linha superior, espessa na raiz, afilando na ponta, jamais portada acima do nível do dorso.
  • Pelagem: Pelo curto e fino no corpo todo. Cores
  • Longevidade: 12 a 13 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: Dócil
  • Atividade física: Intensa
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2012 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://www.free-pet-wallpapers.com
Mastiff
Os Mastiffs são tão antigos que aparecem nas descrições de César, na época em que invadiu a Inglaterra, em 55 a.C., onde esses cães valentes lutavam no combate às legiões romanas. Desde então, passaram a ser utilizados como cães de briga contra gladiadores humanos, touros, ursos, leões e tigres.
“Mastiff” na Inglaterra, país de origem desses cães, descreve mais um grupo de várias raças gigantes do que uma simples raça. É impossível saber qual das raças de Mastiff é a mais antiga e qual delas serviu como base de formação para as outras. Supõe-se que o grupo tenha se originado na Ásia.
Durante muitos anos foram utilizados como cães de combate, mas com a proibição das rinhas, em 1835, começou a ser usado como “cão de coleira” (preso de dia e livre à noite).
Apesar de aparência e porte massudo, é dócil com seus donos e eficiente na guarda com estranhos. Seu comportamento pode ser definido mais como digno do que alegre, nunca deve mostrar timidez.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Guarda e defesa.
  • Peso: Proporcional ao tamanho e à estrutura.
  • Aspectos gerais: Porte grande e massivo, denotando grandeza e dignidade. A cabeça lembra um cubo, Os membros são bem afastados e aprumados e músculos claramente definidos.
  • Pelagem: Moderadamente grossa, curta e assentada, com subpelo denso e curto. A cor pode ser abricó, leonina, leonina prateada ou leonina tigrada escura. O focinho, orelhas e nariz são pretos e os olhos ilhados de preto.
  • Longevidade: 9 a 12 anos.
  • Agressividade: Grande
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: Eficiente na guarda, dócil, digno e arredio com estranhos.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Mastino Napoletano
Dados históricos revelam que 2.000 anos a.C., na Mesopotâmia, os povos dos grandes centros habitados contavam com o auxílio de grandes cães como o Mastino. Eles eram utilizados para defender a propriedade e os rebanhos de perigosos ataques de leões.
Potente e massudo, o Mastino Napoletano tem suas origens nos Mastins do Tibete, de onde vêm todos os molossoides. No entanto, ele teve suas caracterísitcas definidas na antiga Roma, onde era utilizado no combate contra outros cães e feras como leões, ursos tigres.
A chegada desses animais à Europa ocorreu através de séculos de conflitos e guerras, o que sempre provoca o deslocamento de povos. Mais tarde foi utilizado no campo como guardião de rebanhos e de propriedades, principalmente no Sul da Itália, atividade que desempenhou por muitos séculos.
O Mastino Napoletano ou Mastim, como também é chamado, é um cão grande e de cabeça volumosa.
Apesar de antigos, os cães da raça apareceram oficialmente em exposições somente na década de 1940.
Não é um animal agressivo, apesar de seu tamanho e força e, quando treinado adequadamente, pode se transformar em um excelente cão de guarda.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Itália
  • Utilização: Guarda e defesa.
  • Tamanho: 65 a 75 cm para machos e 60 a 68 cm para fêmeas.
  • Peso: 60 a 70 quilos para machos e 50 a 60 quilos para fêmeas.
  • Aspectos gerais: Porte grande, constituição sólida, mais longo do que alto, rústico e majestoso, com a pele solta e abundante, especialmente na cabeça, formando rugas e dobras e no pescoço formando barbela. A cauda é amputadaem 2/3 do seu comprimento, com raiz grossa, afinando progressivamente até a ponta.
  • Pelagem: Densa, de comprimento uniforme. Pelo reto e liso por todo o corpo, não ultrapassando 1,5 cm de comprimento. A cor pode ser preta, cinza e chumbo. Também aceita-se caju, baio e vermelha, podendo todas serem tigradas.
  • Longevidade: 10 a 12 anos.
  • Agressividade: Moderada
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: Eficiente com cão de guarda, obediente, fiel e companheiro.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Nordic Spitz
A história da raça antes de 1600 d.C, porém chegaram quase a extinção.Originários de Norrbotten na Suécia e Lappland/ Kainuuland na Finlândia, a raça ressurgiu por volta de 1960 sendo seu padrão registrado no Kennel Clube da Suécia e em 1973 na Filândia. Hoje podemos encontrá-los nos EUA e Canadá. O cuidado com a preservação da saúde dos exemplares e do padrão foi muito importante para a recuperação dos poucos exemplares que sobraram. Além de serem considerados excelentes caçadores, principalmente no inverno, são excelente cão de companhia, muito sociável e nada medrosoou agressivo. Ele se dá bem com crianças e outros cães, mas não é muito confiável com outras espécies de animais. Também é uma raça que precisa de exercício para ser feliz. Suas ninhadas não são maiores que cinco exemplares no geral.
De tamanho ideal, é excelente para se ter dentro de casa, porém seu dono precisa ter bastante paciência para educá-lo.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Suécia
  • Utilização: Caça e companhia
  • Tamanho: 40 a 45 cm podendo ser as fêmeas ligeiramente menores.
  • Peso: 11 a 15 quilos
  • Aspectos gerais: De tamanho médio, cabeça bem definida e moderadamente larga, olhos amendoados e orelhas eretas, de peito profundo e corpo forte.
  • Pelagem: Com subpelo fino e denso com pelagem curta e reta.Todas as cores são permitidas, porém o branco com manchas vermelhas é a mais comum.
  • Longevidade: 11 a 14 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: Dóceis, não latem á toa, porém avisam se alguma coisa está errada. Fáceis de treinar, pois são muito inteligentes.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Norfolk Terrier
Não dá para falar em Norflok Terrier sem citar o Norwich Terrier, já que durante muitos anos foram considerados a mesma raça.
A origem destas raças se deu no século passado, na Inglaterra, nos distritos de Cambridge e de Norwich, no condado de Norfolk.
Especialistas em cinofilia afirmam que os Norwich e Norfolk são originários de uma série de acasalamentos de raças bem distintas, entre elas o antigo Bedlington Terrier, o Staffordshire Bull Terrier e uma espécie de Irish Terrier dourado de patas curtas.
O objetivo dos cruzamentos realizados por fazendeiros locai era desenvolver cães multitarefa, capazes de trabalhar a terra e ainda perseguir pequenos animais que invadiam as plantações e rebanhos. Para isso, era preciso cães com pelagem protetora, espírito aguçado para a caça e constituição forte, caracteristicas encontradas no Norfolk Terrier.
No ano de 1932, a raça foi reconhecida oficialmente pelo The Kennel Club, com o nome de Norwich Terrier. Mas somente em meados de 1950 é que os Norwichs e Norfolks começaram a se distinguir, a partir dos padrões das orelhas; proprietários que preferiam cães com orelhas eretas, pequenas e separadas se empenharam em selecionar animais com esta caracteristicas e deram segmento aos Norwich, enquanto os que tinham predileção pelas orelhas caídas próximas á linha do crânio também selecionaram os animais neste sentido, e assim obtiveram os Norflok, separando definitivamente a raça.
Nos Estados Unidos, esta separação só foi aceita em 1970.
No Brasil, o Norflolk Terrier é um cão novo. Existem poucos exemplares em São Paulo e Rio de Janeiro.
Enérgicos e muitos ativos, os Norfloks quando criados como pet são divertidos e leais aos donos. Adoram qualquer tipo de atividade e se mostram incansáveis às brincadeiras. Diferente dos tradicionais Terriers, os exemplares da raça não constumam latir em excesso.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Caça e companhia
  • Tamanho: 25 a 26 cm
  • Peso: 4,5 a 5,5 quilos
  • Aspectos gerais: Na aparência geral é um dos terrier menores. Pequeno, patas curtas,fogoso, compacto e sólido. De dorso curto, subtancioso e de boa ossatura. As cicatrizes de honra, inevitáveis nos terriers, são admitidas.
  • Pelagem: Pelo duro, de arame, reto e assentado. É mais logo e arrepiado no pescoço e nos ombros. Na cabeça e orelha é curto e liso, com exceção dos ligeiros bigodes e sobrancelhas. Excessivo trimming é indesejável. As cores permitidas são todos os tons de vermelho, trigo, preto e ferrugem ou cinza. Manchas brancas são indesejáveis, mas admitidas.
  • Longevidade: 10 A 12 Anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Pequena
  • Temperamento: De indole amável, não é brigão e tem constituição rústica, é alerta e destemido.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - Cão Harwhite Lady - Harwhite Kennel - www.harwhitekennel.com.br
Norwich Terrier
Reconhecida pelo Kennel Clube Inglês, em 1932, a raça era encontrada com diversidade em tipo, tamanho, pelagem, cor e tipo de orelhas.
Na descrição do padrão, tanto a orelha ereta quando a caída faziam parte da raça, o que incluía o Norflok Terrier como a mesma raça. Apenas no ano de 1950 é que as raças começaram a se disntinguir, mas a distinção oficial veio mesmo 14 anos depois, quando o Kennel Clube Inglês reconheceu os dois tipos como raças diferentes. Nos Estados Unidos, esta separação só foi aceita em 1970.
Enérgicos e muito ativos, os Norwichs (assim como os Norfolks) quando criados como pet são divertidos e leais aos donos. São cães pequenos, fortes e valentes, com instinto para esportes e temperamento constante, se adptando a qualquer tipo de condição.
Adoram atividades e se mostram incansáveis às brincadeiras. Não costumam latir em excesso e nunca apresentam comportamento agressivo.
Adoram atividades e se mostram incansáveis às brincadeiras. Não costumam latir em excesso e nunca apresentam comportamento agressivo.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Caça e companhia
  • Tamanho: 25 a 26 cm
  • Peso: 4,5 a 5,5 quilos
  • Aspectos gerais: É um dos menores terriers, mas um verdadeiro demônio para seu talhe. Tem substância e ossatura e as orelhas são eretas. A cauda é não obrigatoriamente amputada.
  • Pelagem: É dupla com subpelo espesso. O pelo é rijo e liso, um pouco mais duro e longo nos ombros e pescoço formando uma juba. Tem pelos curtos na cabeça, orelha e na cana nasal, pequenas sobrrancelhas, bigodes e cavanhaque. A cor é preta e castanha, acinzetando e castanho, vermelha tringueiro.
  • Longevidade: 12 a 16 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Pequena
  • Temperamento: É forte e valente, com instinto para esportes e temperamento constante, sem ser agressivo.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://www.besfern.com/
Ogar Polski
Ogar Polski é uma raça de cães originária da Polônia. Fisicamente é considerado um cão de médio porte, robusto e compacto, de músculos e ossatura pesados, embora de membros proporcionais a seu corpo. Seu físico remete a um animal mais potente e resistente que propriamente veloz. Usado como cão de caça, possui ainda um latido sonoro, cuja intensidade é mais alta nas fêmeas.
Segundo estudos, esta raça foi a primeira heroína escrita em livro, no ano de 1616, em publicação de Jan Ostrorog chamada Caçando com sabujos (em polaco: Myslistwo z ogary). No livro, apesar de constar uma completa descrição sobre sua utilidade, nada constava sobre sua aparência, já que eram animais extremamente populares. Todavia, esta raça sofreu o mesmo que muitas desenvolvidas na Europa: a quase extinção durante a Segunda Guerra Mundial. Renascido após esse período, o cão mudou de nome no original polonês, Gonczy Polski, embora tenha mantido o mesmo em inglês Polish Hound.
Há séculos atrás ele era muito apreciado pela sua incrível habilidade em rastrear.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Polônia
  • Utilização: Para caça
  • Tamanho: 56 a 65 cm
  • Peso: 25 a 32 kg
  • Aspectos gerais: O Ogar Polski é um cão de tamanho médio, de construção forte e compacta, potente estrutura óssea maciça e com as pernas em proporção. O esquema todo é o de poder e resistência, em vez de velocidade. A voz de tom médio variável, geralmente mais agudo na fêmea.
  • Pelagem: Pêlos de comprimento médio, grossos, com subpêlo denso, um pouco mais longos no dorso, na face posterior das coxas e na face ventral da cauda. A cabeça e as orelhas, exceto as faces laterais do crânio, são de cor castanha e as orelhas são um pouco mais escuras que o resto.
  • Longevidade: 12 a 14 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: Ele é carinhoso e um bom companheiro.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Internet Imagem: fonte - http://www.chiens-des-champs.com/
Old English Sheepdog
Acredita-se que a raça tenha se desenvolvido no oeste da Inglaterra, no início do século 19.
Sua descendência ainda é bastante discutida: alguns estudiosos afirmam que o Collie de Barba teve uma grande influência em sua origem e outros alegam que a maior contribuição seria do Owtchar Russo.
Embora tenha sido utilizado como pastor de ovelhas, os exemplares da raça se popularizam como cães de luxo e companhia em função de algumas características bem peculiares.
O Sheepdog apresenta ausência quase total de cauda, uma voz particularíssima, o passo um pouco parecido com o balanço de um urso, além de ser afetuoso e muito inteligente.
No Brasil, a raça ganhou fama devido as aparições no programa infantil TV Colosso, apresentado pela Sheepdog Priscila.
Tranqulidade é seu lema: O Sheepdog é um cão do lar e não é dado a andanças nem brigas.
Apesar de seu enorme tamanho, é uma das melhores companhias que se pode ter, adaptando-se tanto a apartamentos como casas com quintal.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Pastoreio
  • Tamanho: 61 cm para machos e 56 cm para fêmeas
  • Peso: padrão não comenta, já o tipo e o equilíbrio das formas são importantes
  • Aspectos gerais: porte grande, forte, bem balanceado, quadrado e compacto, com boa musculatura e capacidade corporal.
  • Pelagem: dupla, abundante, reta e áspera. A cabeça, as orelhas e o pescoço ficam praticamente recobertos com pelos . Pode ser cinza, acinzentado ou azul, com ou sem manchas brancas.
  • Longevidade: em média, 12 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: afetivo, ágil e inteligente, companheiro e adora crianças. Corajoso, fiel e digno de confiança.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Olpino Italiano
Alguns acreditam que a raça tenha se originado dos Pomeranos. O certo é que a exata origem da raça é uma incógnita. Esse cão foi muito popular na realeza italiana, sendo a melhor opção como pet das mulheres. O Volpino foi o cão do pintor Michelangelo. Por alguma razão inexplicada, o número de exemplares foi diminuindo até quase a extinção, e só em 1965 os cincos exemplares restantes foram registrados. Em 1984, o orgão regulador da cinofilia na Itália ( ENCI) lançou um projeto para recuperação das raças italianas. Buscaram-se os animais que haviam sobrevividos nas áreas rurais e esses valentes cães de guarda se tornaram os progenitores das linhagens seletivas atuais. O crescimento continua, porém acredita-se que a variedade de pelo vermelho naõ existia mais.
O Volpino é vivaz, alegre, brincalhão e muito apegado á casa e aos familiares, mas desconfiado com estranhos.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Itália
  • Utilização: Guarda e companhia
  • Tamanho: 27 a 30 cm para machos e de 25 a 28 cm para fêmeas
  • Peso: 4 quilos
  • Aspectos gerais: Pequeno porte, de estrutura quadrada. A cabeça lembra a de uma raposinha com orelhas curtas e eretas. A cauda é portada constantemente enrolada sobre o dorso.
  • Pelagem: Pelo denso, longo e reto. No pescoço, forma um colar, no crânio o comprimento é médio e, na base das orelhas e focinho, é curto. Na cauda, a pelagem é bem longa e, nas bordas posteriores dos membros forma franjas. As cores são branca unicolor, ruivo unicolor e champagne, que é admitida, mas não desejada.
  • Longevidade: 12 a 14 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Pequena
  • Temperamento: Vivaz, alegre, brincalhão e muito apegado á casa e aos familiares, mas desconfiado com estranhos
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://commons.wikimedia.org/
Ovelheiro Gaúcho
A raça começou a se desenvolver no final do século XIX, no sul do Brasil. Com a necessidade em obter cães rústicos que pudessem auxiliar no pastoreio de ovelhas da região, peões cruzaram Collies trazidos por Europeus com alguns cães nativos, dando origem a exemplares mais adaptados ao clima e condições locais. Com o tempo, a criação de ovelhas foi aos poucos sendo substituída pelo gado, necessitando de cães maiores para o pastoreio. Assim, foram realizados novos cruzamentos daqueles cães mestiços de Collie com os Border Collies, o que resultou num tipo ideal para o trabalho tanto com bovinos quanto com ovinos e equinos. Os cães da raça são adaptados á vida no campo, se mostrando resistentes nos dias mais frios e andando quilômetros por dia.
INDEPENDÊNCIA NO TRABALHO: No trabalho, o Ovelheiro é extremamente cuidadoso na proteção do rebanho. Ele costuma se manter ao lado do rebanho ou atrás conduzindo-o. Em seguida, ele retoma à retaguarda para verificar e recolher aquelas ovelhas que ficaram afastadas. Assim que o rebanho se instala, os cães são capazes de pastorear sozinhos, sem a companhia do peão.
Apesar do nome, os cães da raça trabalham qualquer tipo de rebanho, incluindo bovinos e equinos.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Brasil
  • Utilização: Pastoreio
  • Tamanho: 55 a 65 cm
  • Peso: Proporcional ao tamanho
  • Aspectos gerais: É um cão de tamanho e estrutura medianos, com pelagem não muito longa, possui grande resistência, agilidade e rusticidade. As orelhas são preferencialmente eretas, mas podem ser também em botão, tulipa ou ainda semieretas. A cauda é portada alta, podendo enrolar na extremidade e com pelagem longa na face inferior.
  • Pelagem: Deve ser adaptada ás intempéries e mudanças climáticas. Apresenta eplos macios, médios e abundantes. A pelagem é mais rala nos cotovelos e jarretes. Todas as cores são admitidas.
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: É de fácil adaptação para atender aos comandos, sem ser agressivo com o rebanho. É ainda dócil e amigável com as pessoas com quem convive.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://www.flickr.com/photos/yuri__lima/
Papillon
Madame Pompadour e Maria Antonieta foram grandes admiradoras da raça e muitos destes cães foram vendidos para a corte de Luis XV. Cães do tipo Papillon também aparecem nos quadros de Van Dyke, no século XV. Alerta, inteligente, afetuoso e obediente, o Papillon é a variedade do Spaniel Continental Anão com orelhas eretas. No século 16, era conhecido como Spaniel Anão. No início, eram vistos somente os exemplares de orelhas caídas. Mas algumas mudanças aconteceram até chegar ao atual Spaniel Continental.
Os cães de orelhas eretas começaram a surgir, recebendo o nome de Papillon, que significa Borboleta. Na Europa Continental e Grã-Bretanha, a variedade de orelhas caídas (falena) é chamada “Phaléne” enquanto a de orelhas eretasé chamada de Papillon. Ambas são aceitas no padrão do Spaniel Continental.
FACILMENTE ADAPTÁVEIS
Os exemplares da raça são muito resistentes, suportando temperaturas extremamente baixas. Além disso, se adaptam bem a qualquer lugar.
Mostram-se excelentes como cães de companhia, mas também podem ser usados na captura de ratos.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: França
  • Utilização: Companhia.
  • Tamanho: 28 cm.
  • Peso: 2,5 a 4,5 quilos.
  • Aspectos gerais: É um cão pequeno, elegante, de ossatura leve e de focinho longo. Ele é mais comprido do que alto. A maior característica é a orelha de borboleta, que é a única coisa que o difere do Phaléne.
  • Pelagem: É simples, abundante, fina, sedosa, longa no pescoço e média no dorso e nos lados do corpo, atingindo na cernelha de 7,5 cm. A cor é particolor
  • Longevidade: 13 a 15 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Pequena
  • Temperamento: É um cão alerta, inteligente, afetuoso e obediente, se mostrando um excelente companheiro.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Parson Russell Terrier
Até 2001, o Jack e o Parson Russel Terrier eram a mesma raça, tanto que as semelhanças são muito grandes. Eles diferem um pouco na altura e comprimento do corpo.
Como o Jack, o Parson descende de trabalho de corpo branco que eram utilizados na caça à raposa nos campos.
O nome das duas raças é em homenagem ao Reverendo Jonn Russell, um notório caçador de raposas do século XIX.
O Parson é um legítimo terrier. Destemido, determinado, muito inteligente e no trabalho com caçador, é tenaz e valente.
Em casa é afetuoso, alegre e brincalhão. Mas, por sua intensa energia, não é indicado para apartamentos ou casa com pequeno espaço externo.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Cão de trabalho, robusto e tenaz, com especial habilidade para caça.
  • Tamanho: Machos idela na cernelha
  • Peso: 5 a 6 quilos.
  • Aspectos gerais: Tipo de cão de trabalho ativo e vivo. Construído para velocidade e resistência. A imagem geral é de equilibrio e flexibilidade. Cicatrizes de trabalho são permitidas.
  • Pelagem: Pelo naturalmente áspero, aderente e denso, nem eriçado nem macio. Linha inferior com pelagem.
  • Longevidade: 13 a 14 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: Essencialmente um terrier de trabalho, com habilidade e estrutura para ir ao chão e correr com os hounds.Corajoso e amigável.
  • Atividade física: Média
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://www.kennel-chataway.co.uk
Pastor Alemão
Reconhecido em 1882, ao ser apresentado ao público em uma exposição em Hannover, na Alemanha, o Pastor Alemão se tornou uma das raças mais populares do mundo.
Ele teve origem nas antigas raças de fazenda de pastores, mas a criação planejada desses cães teve início em 1899, a partir da fundação da primeira sociedade da raça.
No início do século XX, Max von Stephanitz trabalhou incessantemente para aprimorar seu temperamento, resultando em um cão extremamente equilibrado que se vê até hoje.
A raça se difundiu muito por meio de “Rin Tin Tin”, o pet mais famoso do cinema, encontrado em uma trincheira na Alemanha e levado para os Estados Unidos após a Primeira Guerra Mundial, “Rin Tin Tin” foi treinado e tornou-se um grande astro do cinema e o herói das crianças.
Um cão para muitas funções: Inicialmente, o Pastor era usado como condutor de rebanhos, mas suas habilidades para atividades difíceis, como resgate e rastreamento o tornaram um excelente cão policial e guia para cegos.
Ele ainda se destaca pela lealdade, coragem e companheirismo, além de ser equilibrado, disposto e de nervos bem controlados. Sua capacidade de aprendizado é muito grande e, através de um bom treinamento, pode se transformar numa espécie de babá.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Alemanha
  • Utilização: Pastor, Policial, Guarda, Busca, Salvamento e Companhia
  • Tamanho: 60 a 65 cm para machos e 55 a 60 cm para fêmeas
  • Peso: 30 a 40 machos / 22 a 32 fêmeas
  • Aspectos gerais: porte grande, ágil, musculoso e sentido sempre alerta.
  • Pelagem: comprimento médio, liso, espesso e rente. Várias combinações de cores são aceitas, como dourada, preta, cinza-aço, cinza-escura, com manchas regulares de marrom, amarelo ou cinza-claro.
  • Longevidade: 10 a 14 anos
  • Agressividade: Alta
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: inteligente, corajoso, dedicado, amigo, paciente, bom observador
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Pastor Belga Groenendael
O Pastor Belga teve origem no século 18, a partir dos antigos cães de pastoreio da Europa Central e Deerhounds. No início, era muito utilizado para ajudar pastores a vigiar e conduzir os rebanhos em grandes migrações. Mas quando não estava nessas missões, tomava conta da casa e da família. A aparência atual do Pastor Belga surgiu apenas no final do século 19, quando o veterinário belga Adolphe Reul foi incumbido de estabelecer e aperfeiçoar uma raça de pastoreio nacional.
Ele reuniu mais de 100 cães e descobriu que entre eles havia um grupo com características homogêneas, que se diferenciavam apenas no comprimento, textura e cor da pelagem. No ano seguinte, era redigido o primeiro padrão do Pastor Belga, reconhecendo três variedades: pelo longo, curto e duro, sem restrição de cores.
Variedades: A partir de 1899, ocorreram restrições ás colorações e tipos de pelagens, o que deu origem às variedades de Groenendael, Tervueren, Malinois e Laekenois. O Groenendael recebeu essa denominação em homenagem ao proprietário do castelo com o mesmo nome, Nicolas Rose, localizado nas redondezas de Bruxelas. Rose adquiriu um casal, que com seus descendentes, foi a base do tronco de formação desses lindos pastores negros. Em meados de 1900, as quatro variedades de pastores belgas foram reconhecidas pela entidade belga Societé Royale Saint Hubert. A raça se popularizou no mundo todo devido à versatilidade e inteligência aguçadissíma. Os pastores belgas, seja qual for a variedade, são capazes de desenvolver múltiplas funções, pois, além de pastores, são excelentes companheiros, guardas e policiais, fazendo patrulhas, buscas, servindo de mensageiro e até puxando trenós. No Brasil, as variedades Groenendael, e Malinois já podem ser encontradas com facilidade.
O alto instinto de proteção em relação às pessoas mais próximas faz com que andem rodeando o dono, em vez de seguirem ao lado – característica tão peculiar, que o próprio padrão comenta. Outra característica interessante, é que não abandonam o território, para perseguir um invasor em fuga. Trata-se de mais uma herança da vida de pastor, em que não podiam deixar o rebanho sozinho.
São cães muito afetuosos e precisam ter contato com o dono para ficarem felizes. Se permanecem no jardim sem nenhuma atenção tornam-se tristes.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Bélgica
  • Utilização: Pastoreio, Guarda, Policial e Companhia
  • Tamanho: 62 cm para machos e 58 para fêmeas
  • Peso: 25 a 30 machos / 20 a 25 fêmeas
  • Aspectos gerais: porte médio, quadrado, elegante, robusto, de cabeça erguida e de olhar esperto. Tende a correr em círculos e não em linha reta, o que lhe confere uma habilidade incomum para o trabalho de pastoreio, trabalho desenvolvido por seus ancestrais.
  • Pelagem: dupla, subpelo lanoso e denso. O pelo tem aspecto, comprimento e direção variados, mas é abundante, denso e tem boa textura. É longo principalmente na face posterior das coxas e na cauda, formando uma plumagem. A cor é totalmente negra (não brilhante- zaino).
  • Longevidade: 10 a 14 anos
  • Agressividade: Alta
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: muito ligado ao convívio familiar, é um guarda por excelência e por instinto; inteligente, afetuoso, ágil, ativo, calmo, devotado, esperto, obediente e rústico.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Pastor Belga Malinois
O Pastor Belga teve origem no século 18, a partir dos antigos cães de pastoreio da Europa Central e Deerhounds. No início, era muito utilizado para ajudar pastores a vigiar e conduzir os rebanhos em grandes migrações. Mas quando não estava nessas missões, tomava conta da casa e da família. A aparência atual do Pastor Belga surgiu apenas no final do século 19, quando o veterinário belga Adolphe Reul foi incumbido de estabelecer e aperfeiçoar uma raça de pastoreio nacional.
Ele reuniu mais de 100 cães e descobriu que entre eles havia um grupo com características homogêneas, que se diferenciavam apenas no comprimento, textura e cor da pelagem. No ano seguinte, era redigido o primeiro padrão do Pastor Belga, reconhecendo três variedades: pelo longo, curto e duro, sem restrição de cores.
Variedades: A partir de 1899, ocorreram restrições ás colorações e tipos de pelagens, o que deu origem às variedades de Groenendael, Tervueren, Malinois e Laekenois. O Groenendael recebeu essa denominação em homenagem ao proprietário do castelo com o mesmo nome, Nicolas Rose, localizado nas redondezas de Bruxelas. Rose adquiriu um casal, que com seus descendentes, foi a base do tronco de formação desses lindos pastores negros. Em meados de 1900, as quatro variedades de pastores belgas foram reconhecidas pela entidade belga Societé Royale Saint Hubert. A raça se popularizou no mundo todo devido à versatilidade e inteligência aguçadissíma. Os pastores belgas, seja qual for a variedade, são capazes de desenvolver múltiplas funções, pois, além de pastores, são excelentes companheiros, guardas e policiais, fazendo patrulhas, buscas, servindo de mensageiro e até puxando trenós. No Brasil, as variedades Groenendael, e Malinois já podem ser encontradas com facilidade.
O alto instinto de proteção em relação às pessoas mais próximas faz com que andem rodeando o dono, em vez de seguirem ao lado – característica tão peculiar, que o próprio padrão comenta. Outra característica interessante, é que não abandonam o território, para perseguir um invasor em fuga. Trata-se de mais uma herança da vida de pastor, em que não podiam deixar o rebanho sozinho.
São cães muito afetuosos e precisam ter contato com o dono para ficarem felizes.Se permanecem no jardim sem nenhuma atenção tornam-se tristes.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Bélgica
  • Utilização: Pastoreio, Guarda, Policial e Companhia
  • Tamanho: 62 cm para machos e 58 cm para fêmeas
  • Peso: 20 a 30 kg
  • Aspectos gerais: é um cão de porte grande
  • Pelagem: Curta na cabeça, face externa das orelhas e face anterior dos membros. No restante do tronco é mais denso e eriçado na cauda. No pescoço, forma um colar desde a base das orelhas à ponta do esterno. A face posterior das coxas, franjada com pelos longos. A cor é fulvo encarvoado com máscara preta.
  • Longevidade: 10 a 14 anos
  • Agressividade: Alta
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: ágil, ativo, com instinto de guarda muito apurado, esperto, leal, obediente, rústico e voluntarioso.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Pastor Bergamasco
É provável que tenha a mesma origem de raças como o Oftscharka da Rússia, o Komondor e o Puli da Hungria, o Briard e o Pequenos Pastor dos Pirineus dos Alpes Franceses e o Pastor da Catalunha dos Pirineus Espanhóis.
Acredita-se que os ancestrais dessas raças, inclusive do Bergamasco, tenha sido um lobo (Canis lupus laniger) de pelagem muito espessa e um tipo de cão com pelagem grossa encordoada que vivia nas regiões montanhosas de Zagros, na divisa com o Irã e Iraque. Foi lá onde se iniciou a domesticação de cabras e ovelhas.
À procura de novas pastagens, os povos migraram com seus cães pastores se estabelecendo em diversas regiões montanhosas. Em cada região, um tipo adequado de raça foi desenvolvido a partir desses cães pastores, de acordo com os hábitos da população e condições ambientais.
No caso do Pastor de Bergamasco, seu desenvolvimento ocorreu em Bérgamo, na Itália – daí o seu nome.
No trabalho, este cão se mostra inteligente, decidido e extremamente equilibrado, conduzindo e mantendo o rebanho com atenção.
Os pelos rústicos tendem a encordoar em todo o corpo, funcionando tanto para proteção contra chuvas e ventos fortes, como contra ferimentos ocasionados por lobos, antigamente comuns na Itália.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Itália
  • Utilização: Pastoreio, guarda e defesa.
  • Tamanho: 61 a 70 cm
  • Peso: entre 26 a 38
  • Aspectos gerais: é um cão de porte médio, com pelagem abundante, de construção robusta e bem proporcionado. O Bergamasco possui membros com boa ossatura, bem aprumados e musculados.
  • Pelagem: a pelagem é dupla com subpelo curto e denso. O pelo é longo e abundante, tendendo encordoar, ou encordoado partindo da linha média dorsal e caindo sobre as faces laterais do tronco. As cores são cinza uniforme ou em manchas com gradações que vão do cinza mais claro até o preto, também com gradações isabela e fulvo (baio). O preto uniforme, mesmo que opaco (zaino) é permitido. São toleradas algumas manchas brancas contanto que ocupem uma área inferior a 1/5 da superfície do corpo.
  • Longevidade: 12 a 13 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: Decidido, inteligente, paciente e moderado, qualidades que o tornam um excelente cão de guarda e companhia.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Pastor Branco Suíço
Entre leigos ainda há muita confusão em relação à raça. Batizada inicialmente de Pastor Branco Canadense, os exemplares (totalmente brancos) tiveram sua origem a partir de acasalamentos entre dois Pastores Alemães. No entanto, os criadores, acreditavam que todo animal que nascia branco na ninhada estava sujeito a diversos problemas genéticos como albinismo, surdez, cegueira e displasia. Assim, após a Primeira Guerra Mundial, os pastores de pelagem branca passaram a ser excluídos dos padrões oficiais e criadores sacrificavam os filhotes brancos.
Incentivados pelas boas características dos filhotes brancos, como inteligência e disposição para o trabalho, alguns criadores se negaram a sacrificar seus filhotes brancos e passaram a criá-los como raça distinta.
Tempos depois, ficou comprovado que esses cães brancos não eram albinos, uma vez que possuem forte pigmentação nas mucosas e nos olhos, totalmente adaptados para o trabalho ao sol. Ainda assim, a raça foi reconhecida oficialmente apenas em 2002, pelo nome de Pastor Branco Suíço.
Entre suas principais características destacam-se a coragem, o forte caráter, a obediência e a fidelidade ao dono. Os exemplares estão sempre prontos para defender o dono e a propriedade sem medo.
Um animal jamais medroso ou agressivo, distinguem perfeitamente a diferença entre uma visita e uma invasão. É um ótimo cão para companhia, é muito paciente com as crianças, são fáceis de treinar e aprendem facilmente.
Escová-los constantemente e mantê-los sempre limpos, pois a sujeira pode manchar a pelagem branca. Mas a freqüência dos banhos e das escovações vai depender do lugar onde vivem, do clima (banhos demais em clima frio podem comprometer a secagem dos pelos e provocar problemas de pele) e do comprimento do pelo.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Suíça
  • Utilização: Guarda e Companhia
  • Tamanho: 60 a 66 cm para machos e 55 a 61 cm para fêmeas
  • Peso: 30 a 40 machos / 25 a 35 fêmeas
  • Aspectos gerais: robusto, bem musculado, de porte médio, de orelhas eretas. Corpo alongado, dotado de uma ossatura moderamente rústica, sua silhueta é elegante e harmoniosa.
  • Pelagem: dupla, com subpelo fino e denso, e pelo denso, reto, levemente rijo e de comprimento médio. A cor é branco neve, a trufa, comissuras labiais e contorno dos olhos devem ter coloração negra. A cor dos olhos deve ser castanho. O creme biscoito-claro e champagne também são aceitáveis.
  • Longevidade: 12 a 13 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: inteligente, equilibrado, de fácil convívio social e de convivência tranquila com crianças
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Pastor Briard
De origem francesa, o Pastor de Briard ou Brie é um cão antigo, encontrado em ilustrações de tapeçarias do século VIII e em muitos documentos dos séculos seguintes. No entanto, alguns especialistas acreditam que o Pastor Briard não tenha se originado na Província de Brie, alegando que o nome “Chien de Brie” (Cão de Brie) é uma distorção do nome “Chien dF0; Aubry” (Cão de Aubry). Isso porque Aubry de Montdidier construiu, no século XIV, uma catedral em memória ao seu cão, que salvou a vida de seu filho. Segundo a história, este cão se chamava Briard. Originalmente a raça foi desenvolvida para desempenhar a função de guarda de propriedade e objetos de caçadores. Com o passar do tempo, foi adaptada para pastorear ovelhas. Mas, além do pastoreio, o Pastor de Briard executa com sucesso tarefas de rastreador e cão de caça, que o tornam extremamente versátil. O primeiro padrão para a raça foi escrito em 1897 pelo Clube de Cães Pastores, mas até 1911, o Pastor Briard e o Pastor Beauceron eram considerados uma só raça.
Fiel e protetor, o Pastor de Briard pode até ser criado como companhia, mas requer um dono dedicado para que possa desenvolver um bom comportamento. Além disso, a pelagem longa necessita de cuidados diários. Com estranhos costuma ser bem reservado.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: França
  • Utilização: Guarda, Companhia e condução de gado.
  • Tamanho: 62 a 68 cm para os machos e de 56 a 64 cm para as fêmeas.
  • Peso: padrão não comenta.
  • Aspectos gerais: é um cão de belas formas, vigoroso, forte sem ser grosseiro, de ossatura e musculatura fortes, denotando força e agilidade.
  • Pelagem: é longa com pelo grosso, duro e seco. O pelo cai reto e possui brilho saudável. O subpelo é ralo por todo o corpo. A cabeça é coberta por uma pelagem longa, reta e caída. Nas sobrancelhas, a pelagem forma uma curva para cima e para fora que protege os olhos. As cores são preta, variações de cinza, variações de fulvo e qualquer cor uniforme, exceto a branca.
  • Longevidade: 12 a 13 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: leal, dedicado e amável com o dono, mas reservado com estranhos.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Pastor da Ásia Central
Os Pastores da Ásia Central não são muito conhecidos no Brasil, porém em países como Turcomenistão, Uzbequistão, Quirguistão, Tadjiquistão, Casaquistão e Afeganistão são muito populares desde a Idade Média e sua origem está diretamente ligada à antiga União Soviética, que ocupava uma grande parte do habitat desses molossos quando a raça foi reconhecida.
O Pastor da Ásia Central podia ser encontrado desde as montanhas Urais, na Rússia, ao leste da Sibéria e por várias Repúblicas da Ásia Central, recebendo nomes diferentes e adquirindo algumas características distintas de acordo com seu habitat.
Com os membros da família, o Pastor da Ásia Central é um cão protetor e amigável, facilmente controlado com comando de voz e aprende rápido. Não late sem razão e é muito territorial. Há linhagens muito agressivas, que não são vendidas nem usadas na reprodução, exceto por seus próprios donos, geralmente magnatas locais.
Durante anos, também teve a função de pastor, protegendo rebanhos contra ataques de lobos, leopardos, ursos e até mesmo tigres. Ainda hoje executa tarefas de guarda de rebanhos em fazendas.
Resultado de cruzamentos propositais feitos pelos canis estatais da ex-URSS, o Pastor da Ásia Central foi, por muitos anos, utilizado pela polícia e exército no trabalho de guarda de fábricas, usinas, e outros estabelecimentos com grandes áreas.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Rússia
  • Utilização: Pastor e guarda.
  • Tamanho: Mínimo de 65 cm para os machos e 60 cm para as fêmeas.
  • Peso: 37 a 50 quilos.
  • Aspectos gerais: Porte grande, robusto, um típico molosso, com cabeça grande, massiva, com focinho largo e lábios pesados e ligeiramente caídos. As orelhas são cortadas curtas de forma a ficarem arredondadas. A cauda também é cortada curta e, em sua terra natal, a não amputação é considerada falta.
  • Pelagem: Pode ser curta ou longa, sendo que, nas duas variedades, o pelo é reto, moderadamente duro, com subpelo denso e lanoso. Acor aceita é qualquer uma com ou sem marcações, ou ainda a mistura entre elas.
  • Longevidade: 10 a 12 anos.
  • Agressividade: Moderada
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: Territorial, amigável, protetor e inteligente.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Pastor de Beauceron
Um manuscrito Renascentista encontrado em 1758 na França, traz as primeiras descrições sobre cães semelhantes ao Pastor Beauceron, embora o primeiro clube de Pastores tenha sido criado em 1897.
As origens da antiga raça são incertas, mas este cão se tornou um dos pastores mais conhecidos na França. Historiadores afirmam que a raça foi domesticada para a caça de javalis, adaptando-se algum tempo depois para a condução e proteção de rebanhos.
Até 1911, o Pastor Beauceron e o Pastor Briard eram considerados a mesma raça com diferentes pelagens, durante a Primeira e Segunda Guerra Mundial, a raça quase foi extinta, e só sobreviveu em função das inúmeras qualidades que possui.
Um cão versátil, inteligente e facilmente treinado, ele cumpre bem tarefas que vão além do pastoreio. Fora da França, a raça é pouco conhecida.
Executa com sucesso funções policiais e terapêuticas, se mostrando também excelente como companhia.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: França
  • Utilização: Pastoreio e Guarda
  • Tamanho: 65 a 70 cm para machos e 61 a 68 cm para fêmeas
  • Peso: entre 30 e 39 kilos
  • Aspectos gerais: é um cão harmoniosamente construído, sem nenhum exagero. Tem constituição robusta e firme, é rústico, poderoso e bem musculado. A cabeça é portada alta, demonstrando orgulho e a cauda é inteira, longa, portada baixa, formando uma leve curva em forma de ""J"". Os cães da raça tem ergôs (quintos dedos) duplos na face medial de membros posteriores próximos das patas, formando dois botões bem separados.
  • Pelagem: a pelagem é dupla com subpelo curto fino e denso e o pelo é grosso, curto e forte. Uma franja moderada é exigida na garupa e rabo. As cores são preta e castanho (bicolor), pelagem preta com as marcas vermelho-esquilo na região acima dos olhos, focinho e faces, no antepeito na garganta, sob a cauda e nos membros em, no máximo, 1/3, atingindo as patas; e Arlequim - cinza, preto e castanho (tricolor) sendo o cinza e preto igualmente distribuídos na pelagem com as marcas castanho iguais à bicolor.
  • Longevidade: 12 a 13 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: inteligente, protetor e companheiro
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Pastor de Shetland
Este pequeno cão, de aparência muito semelhante ao Collie, é originário das Ilhas Shetland, localizadas no norte da Escócia. É provável que a raça tenha origem a partir de cruzamentos entre cães nativos da ilha com cães originários da Islândia e Groenlândia (Yakki) e cães tipo Collie (ancestral do Collie moderno e do Border Collie). Desenvolvido para desempenhar tarefas de guarda e condução de rebanhos, o Pastor de Shetland guarda até hoje características especiais. O instinto para guardar propriedades e dar alarmes torna o animal impar no trabalho com fazendeiros ou como guardiões do lar, uma herança de anos de constante vigilância necessária para proteger sítios, cabanas e rebanhos contra qualquer tipo de invasor. Usado tanto como companhia quanto para o trabalho, este cão obedece com vontade e naturalidade, com pouco ou nenhum ensino. Não é a toa que exemplares da raça se tornaram campeões em provas de obediência.
Favoritismo tem motivos: Características como habilidade, rapidez, graça e agilidade para saltar sobre obstáculos, tornam esse cão fantástico no campo, floresta e no trabalho em fazendas, mas o que o torna ainda mais fascinante é sua natureza dócil, sua devoção e sua inteligência quase humanas. No Brasil, os exemplares da raça também têm se destacado em provas de Agility, dividindo com os Borders o favoritismo nas competições.
Os Shelties são cães extremamente limpos, e, portanto não necessitam de banhos constantes. Uma escovação semanal é suficiente para manter sua pelagem limpa, vistosa e livre de nós. Banhos devem ser dados apenas quando necessário.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Condutor e Guarda de rebanhos, e companhia
  • Tamanho: 37 cm para machos e 35,5 para fêmeas
  • Peso: 6 a 12
  • Aspectos gerais: porte pequeno, simétrico, vigoroso e robusto, na verdade, pode-se dizer que é uma miniatura do Collie pelo longo.
  • Pelagem: dupla com pelo áspero, longo e reto, subpelo curto, cerrado e muito abundante. Membros franjados até a altura dos jarretes, daí para baixo é curta e lisa. Na cauda, a pelagem é profusa. As cores podem ser preta, azul-merle e marta, variando do dourado ao mogno, marcados com quantidades variadas de branca e/ou castanho.
  • Longevidade: 12 a 14 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Pequena
  • Temperamento: inteligente, dócil, companheiro, fiel e alerta.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Pastor dos Pirineus
Existem duas variedades deste cão e origem francesa: O Pastor dos Pirineus de pelo longo de pelo curto, sendo que esta ultima possui pelo curto apenas na face. Ambas apresentam exemplares bem resistentes, que suportam grandes variedades climáticas. Como características principais estão a coragem e a determinação para defender seus donos e propriedades. São cães inteligentes, decididos, afetivos e amorosos com a família.
Além da diferenciação de pelagem, as variedades desse pastor possuem outras diferenças sutis, como o tamanho do corpo – que é um pouco mais curto na de pelo curto em relação à de pelo longo – mas que foram suficientes para transformá-las em raças distintas.
As condições de isolamento criadas pelas barreiras naturais da região de origem são as principais causas dessa variação de pelagem.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: França
  • Utilização: Pastoreio, Guarda e Companhia.
  • Tamanho: 38 a 56 cm
  • Peso: 8 a 15
  • Aspectos gerais: Pirineus do Pelo Curto - é um cão de porte médio, se mostrando um dos mais leves entre os pastores. Apresenta o corpo um pouco mais curto em relação à variedade do pelo longo. As orelhas são cortadas relativamente curtas e arredondadas. A cauda é geralmente amputada. Pirineus do Pelo Longo - é um cão de porte médio, ligeiramente mais longo do que alto, se mostrando um dos mais leves entre os pastores. As orelhas são cortadas, relativamente arredondadas. A cauda é geralmente amputada.
  • Pelagem: Pirineus do Pelo Curto - apresenta pelagem média e difere da variedade de pelo longo especialmente no focinho, em qual o pelo é curto. A cor pode ser castanha, cinza, azul (ruão) e preta. Alguns pontos brancos são permitidos, embora não muito desejáveis. Pireus do Pelo Longo - apresenta pelagem longa, felpuda, com tendência a encordoar quando não é tratada adequadamente. A pelagem conhecida como "pelo de cabra" também se encaixava na variedade do pelo longo, sendo que esta apresenta comprimento médio e aparência felpuda. A cor pode ser castanha, cinza, azul (ruão) e preta. Alguns pontos brancos são permitidos, embora não muito desejáveis.
  • Longevidade: 12 a 13 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: é um cão inteligente, decidido, afetivo amoroso com a família.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - Jan Kehrl - www.wilde-kehrle.de
Pastor Holandês
O Pastor Holandês é descedente de cães pastores locais que habitavam a região e, além disso, é muito aparentado com os pastores belgas (especialmente malinois) e pastores alemães, com os quais compartilha os mesmos ancestrais. È muito inteligente e aprende com rapidez, com um forte instinto de pastoreio, além disto possui um instinto territorial forte e é um bom cão de guarda,sendo muitas vezes treinado como cão policial ou cão militar, esta é uma raça que também tem se destacado em esportes caninos como o Agility.
Esta raça é dominante com outros cães e tende a brigar, especialmente com cães do mesmo sexo, não sendo uma boa opção para casas com outros cães de estimação.
O Pastor Holandês é manso e carinhoso com sua família, muito fiel ao dono e convive bem com crianças.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Holanda
  • Utilização: Pastoreio
  • Tamanho: 57 a 62 cm para machos e 55 a 60 cm para fêmeas
  • Peso: 30 a 40
  • Aspectos gerais: cão de tamanho e peso médios, bem proporcionado, bem musculoso com estrutura poderosa e bem balanceada, de expressão inteligente e temperamento vivaz.
  • Pelagem: de acordo com o tipo de pelo, são divididas em
  • Longevidade: 12 a 13 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: afetuoso, obediente, tratável, alerta, muito confiável e seguro, pouco exigente, pleno vigor físico, vigilante, ativo e dotado de verdadeiro temperamento para o pastoreio.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://www.rwhiphop.com
Pastor Maremano Abruzês
Este cão italiano teve origem a partir do cruzamento de primitivos cães pastores que existiam na região da Toscana e do Lazio com cães até hoje utilizados para pastorear ovelhas nos Abruzes. O uso de cães no pastoreio sempre foi um hábito típico dos pastores que vagavam por planíces e montanhas. Durante os meses de inverno, o rebanho pastava nas áreas ao longo da costa, especialmente em Maremma. Com a chegada do verão, o calor secava as pastagens e os pastores de ovelhas subiam às montanhas dos Abruzzes com seus grandes cães brancos. Assim, esses cães passaram a ser conhecidos como Abruzzesse, ora como Maremanos.
Rústico, resistente e de porte majestoso, o Pastor Maremano Abruzesse se mostra corajoso, calmo e inteligente no trabalho. No Brasil, ainda são poucos os criadores da raça.
Mantido na propriedade como cão de guarda, é atento, distante com estranhos, mas sempre carinhoso com a família, demonstrando um cuidado especial com crianças.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Itália
  • Utilização: Guarda de Rebanho e Propriedade.
  • Tamanho: 65 a 73 cm para machos e 60 a 68 cm para fêmeas
  • Peso: 35 a 45 machos /30 a 40 fêmeas
  • Aspectos gerais: é um cão de grande porte, fortemente construído, de aspecto rústico e, ao mesmo tempo, majestoso e distinto. A conformação geral é a de um cão pesado, cujo tronco é mais longo que a altura na cernelha, harmonioso em relação ao formato e aos perfis. A cauda é portada pendente em repouso; quando em movimento, é portada na linha de dorso com ponta bastante recurvada. É bem guarnecida de pelos abundantes, sem franja.
  • Pelagem: apresenta pelagem muito abundante. O pelo é longo, mais para áspero ao tato, bem assentado. Tolerada leve ondulação. Forma uma rica juba em torno do pescoço e franjas de comprimento limitado na face posterior dos membros. Entretanto, é curto no focinho, crânio, orelhas e nas faces anteriores dos membros. O comprimento do pelo no tronco atinge 8 cm. O subpelo é abundante somente durante o inverno. A cor é branca unicolor. São toleradas nuanças marfim, laranja pálido ou limão, embora em número limitado.
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: sua função principal de cão de guarda e defesa do rebanho e das propriedades, em geral, se evidencia no modo que se cumpre esta tarefa, com perspicácia, coragem e decisão. O seu caráter, ainda que orgulhoso e alheio à submissão, sabe exprimir e uma ligação devotada ao seu dono e a tudo que o cerca.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://commons.wikimedia.org
Pastor Polonês da Planície Ou Polski Owczarek Nizinny
O Pastor Polonês resulta do cruzamento entre o Puli húngaro e outros cães pastores asiáticos. Durante muito tempo os pastores Nizinny, bons guardiões de ovelhas, podiam ser encontrados em todos os portos da Polônia, mas a raça quase se extinguiu ao final da 2º Guerra Mundial. A veterinária Danuta Herznewicz foi a responsável pela reconstrução da raça. São rústicos, resistentes, alertas, independentes, dominadores e corajosos.
Com estranhos são são desconfiados, mas sempre dóceis com os donos.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Polônia
  • Utilização: Pastoreio, Guarda e Companhia.
  • Tamanho: 45 a 50 cm para machos e 42 a 47 para fêmeas.
  • Peso: 15 a 20
  • Aspectos gerais: é um cão de tamanho médio, compacto, forte, musculoso, com uma pelagem longa e espessa. Sua pelagem bem tratada dá uma aparência atrativa e interessante. A cauda pode ser curta ou cauda cotó, cauda cortada muito curta, ou cauda não cortada, bastante longa com muitos pelos. Em repouso, a cauda é pendente. Se o cão está em alerta, a cauda fica alegremente curvada, nunca enrolada ou deitada sobre o dorso. Cauda não cortada de tamanho médio, portada de diferentes maneiras.
  • Pelagem: todo o corpo é coberto por pelos ásperos, densos, grossos e profusos. O subpelo é macio. Pelo reto ou ligeiramente ondulado é aceito. O pelo caindo sobre o focinho, cobrindo os olhos é uma característica. Todas as cores e manchas são aceitas.
  • Longevidade: 12 a 13 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: de uma disposição viva, mas suave, vigilante, ágil, inteligente, perceptivo e dotado de uma boa memória. Resistente às condições climáticas desfavoráveis.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Pastor Polonês da Planície Ou Polski Owczarek Podhalanski
Parente próximo do Kuvasz Húngaro e o Kuvac Esloveno, este cão de origem polonesa foi desenvolvido na região dos Montes Tatra. Entre as qualidades da raça, destacam-se a sensibilidade, a coragem e a independência. É um cão sempre alerta e pronto para defender o dono e a propriedade. Uma característica marcante nos exemplares da raça é a longa pelagem, que é autolimpante.
O Pastor Polonês é usado para desempenhar diversas funções: atua como protetor de rebanhos, desempenha tarefas de defesa pessoal e guarda em fábricas, trabalha como cão de tração, puxando carrinhos que transportam leite, pães e frutas, e ainda é selecionado para serviços policiais, militares ou como cão guia.
A pelagem do Pastor Polonês tem também grande valor econômico, sendo utilizada em tapeçarias, estofamentos e artigos finos de lã.
A pelagem do Pastor Polonês tem também grande valor econômico, sendo utilizada em tapeçarias, estofamentos e artigos finos de lã.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Polônia
  • Utilização: Pastoreio, Guarda e Companhia.
  • Tamanho: 61 a 86 cm
  • Peso: 45 a 68
  • Aspectos gerais: é m cão de grande porte, pesado, mas surpreendentemente veloz e ágil. Possui boa musculatura, ossatura pesada, crânio largo e grande, orelhas pendentes e cauda bem emplumada e portada baixa.
  • Pelagem: é dupla com subpelo lanoso e pelo longo, grosso, forte podendo ser liso ou ondulado. A cor é sempre branca ou branca creme.
  • Longevidade: 12 a 13 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: é um cão independente, autosuficiente e corajoso.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://www.podhalany.wortale.net
Pequeno Basset Griffon da Vendeia ou Petit Basset Griffon Vendéen
A Raça surgiu em La Vendée (Vendeia), distrito na costa oeste da França, região sul da Bretanha. Originalmente, era utilizada para a caça de lebres feita a pé e esses cães eram os preferidos, já que sempre ficavam junto aos caçadores, obedecendo prontamente suas ordens. Antigamente, era comum a variação grande e pequena aparecerem na mesma ninhada, pois o cruzamento entre as duas era permitido. Só houve uma atenção especial para padronizar oficialmente o tipo no final do século 19. E, apenas em 1950, um novo padrão separando os grandes dos pequenos Vendées foi oficializado. Apesar disso, os cruzamentos continuaram e, só em 1975, essa cruza foi definitivamente banida.
Ainda hoje é muito empregado na França e em outros países para caçar vários tipos de presas, como veados, porcos selvagens, lebres e aves. Mas para exercer sua função, como também ser um ótimo companheiro no lar, precisa de treinamento desde pequeno, para entender de quem é comando.
Uma vez ensinado, se mostra um excelente companheiro: amoroso, carinhoso e gentil com crianças e outros animais.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: França
  • Utilização: Caça (farejador) e Companhia
  • Tamanho: 34 a 38 cm (há tolerância de 1cm para mais ou menos)
  • Peso: 11,5 a 16 kg
  • Aspectos gerais: na aparência geral, o Basset Griffon da Vendeia é um cão mais longo do que alto, com todos os Bassets, resistente, robusto de expressão doce, com orelhas longas e pendentes e cauda portada alta.
  • Pelagem: a pelagem é dupla com subpelo curto e denso. O pelo de comprimento médio é grosso e duro e, na cabeça, forma sobrancelhas voltadas para a frente, barba e bigode. A cor é preta com manchas brancas (branca e preta). Preta com manchas castanhas (preta e castanho). Preta com manchas areia. Fulvo com manchas brancas (branca e laranja). Fulvo com manto preto e manchas brancas (tricolor). Fulvo encarvoado. Areia encarvoada com manchas brancas. Areia encarvoada. Nomes tradicionais
  • Longevidade: 13 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: carinhoso, atencioso, gentil e devoto aos donos.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Pequeno cão Leão (Löwchen)
Embora por muito tempo acreditassem que sua origem estivesse no Mediterrâneo, é muito provável que tenha descendência alemã. O fato é que a raça existe com as caraterísticas atuais desde o século XVI. Durante muito tempo, foi o cão preferido da mais alta nobreza européia, companhia inseparável das damas da corte. Desde aquela época, já usavam tosá-lo como um leão. Com o declínio de seu prestígio, a raça quase foi extinta no século XIX. O Löwchen é um cão de grande caráter, se mostrando sempre companheiro, alegre e animado.
A denominação alemã Löwchen (que significa Pequeno Leão) se refere ao tipo de tosa, típico dos cães da raça, que o difere dos outos cães do grupo bichon. O corte de pelo deixa o quarto traseiro tosado e mantém o restante do corpo com a pelagem farta que forma uma juba natural. A pelagem longa, densa, de textura levemente ondulada contribui para que o cão se assemelhe a um leão. Da última costela para trás, ele é tosado preservando o pelo somente abaixo do jarrete nos membros posteriores e na ponta da cauda.
Embora tenha sido bastante popular entre os aristocratas europeus, aparecendo, inclusive, num retrato da duquesa de Alba, assinado por Goya, no século XVIII, foi aos poucos perdendo o prestígio. Tanto que em 1960 estava entre as raças mais raras do mundo.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: França
  • Utilização: Companhia.
  • Tamanho: 25 a 32 cm.
  • Peso: Proporcional ao tamanho.
  • Aspectos gerais: O Löwchen é um pequeno cão inteligente, afetuoso e de movimentos vivos, reunido todas as qualidades de um cão de companhia. O corpo é tosado da maneira clássica de um poodle, assim como a cauda que termina por um penacho, dando-lhe o aspecto de um pequeno leão.
  • Pelagem: É bastante longa e ondulada, mas não encaracolada. Todas as cores são permitidas, seja unicolor ou manchada, com exceção da cor marrom (chocolate, fígado) e seus derivados.
  • Longevidade: 12 a 14 anos.
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Pequena
  • Temperamento: É alegre, animado e inteligente e afetuso.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Pharaoh Hound
Acredita-se que esta seja uma das mais antigas raças domésticas, originada há cerca de 3 mil anos a.C. Tudo indica que sua origem é egípcia e que alguns exemplares tenham sido levados a Malta por comerciantes fenícios antes do nascimento de Cristo. Lá, eram usadas na caçada de coelhos, sendo que os caçadores mantiveram a pureza da raça por 2 mil anos. Historiadores afirmam que em 1930 ocorreu a primeira importação da raça para a Inglaterra, realizada por Pauline Block, uma admiradora do Pharaoh Hound que viveu em Malta. Em 1979, ele foi declarado “Cão Nacional de Malta”, quando uma moeda de prata com a imagem do cão foi cunhada.
Um cão veloz, ágil e alerta, apresenta sentidos como faro e visão extremamente apurados, o que fazem dele um exímio caçador.
Amigável e afetivo, demostra grande carinho por crianças e por isso é criado com sucesso como cão de companhia.
Amigável e afetivo, demostra grande carinho por crianças e por isso é criado com sucesso como cão de companhia.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Malta
  • Utilização: Caça
  • Tamanho: 53 a 56 cm
  • Peso: Proporcional á altura, sem ser pesado
  • Aspectos gerais: A aparência geral é de graça, poder e velocidade, sendo um cão deporte médio nobre, bem balanceado, de movimentos livres e expressão alerta. Seus belos olhos de caçador são de cor âmbar e focinho, contorno dos olhos e lábios, cor de carne.
  • Pelagem: Sua pelagem é curta e brilhante com cor dourado, ou dourado mais escuro e castanho claro. Branco na ponta do rabo é desejável, e branco nos dedos e pequenas e estreita mancha branca no meio da cabeça são permitidos.
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: é inteligente, amigável e afetivo, especialmente com crianças.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Podengo Canário
O Podengo Canário, como o próprio nome sugere, teve seu desenvolvimento nas ilhas Canárias. Eles podem ser vistos em grande quantidade em todas as ilhas, especialmente nas maiores, como Grande Canária e Tenerife. Mas, na verdade, o Podengo Canário tem origem egícpia, que remonta a era faraônica e foi levado ás ilhas Canárias pelos fenícios, gregros, cartagineses e, talvez até mesmo pelos próprios egícpios. É um cão de aça ao coelho e, para exercer sua função, utiliza o apuradíssimo olfato,a visão e a audição, localizando a presa nos mais variados tipos de terreno.
É extremamente resistente, conseguindo perseguir coelhos em tocas, interior de grutas, tubos vulcânicos, paredes de pedra e matagais espinhosos.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Espanha
  • Utilização: Caça ao coelho
  • Tamanho: 55 a 64 cm para machos e 53 a 60 cm para fêmeas
  • Peso: 16 a 22 quilos
  • Aspectos gerais: Cão de porte médio, ligeiramente alongado, leptossômico (delgado), ligeiro e muito reistente. O esqueleto é bem desenvolvido.A ausência de camadas de gordura permite a observação das costelas, da coluna vertebral e dos ossos do quadril. A musculatura é extremamente desenvolvida, enxuta e mostrando as contrações musculares através da pele.
  • Pelagem: Pelo liso, curto e denso. A cor é preferencialmente vermelho e branco, ou vermelho pode ser mais ou menos intenso, indo do laranja ao vermelho escuro ( mogno). Todas as combinações destas cores.
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: Valente, nervoso, inquieto e irradiando dinamismo. Nobre, ma nunca agressivo.Inegavelmente dedicado ao seu dono. Suportam arduamente as mais rigorosas jornadas sem o menor sinal de fadiga.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://fr.academic.ru/dic.nsf/frwiki
Podengo Português
Cão do tipo primitivo, originou-se provavelmente dos antigos cães trazidos pelos Fenícios e Romanos para a Península Ibérica. Posteriormente teve influências sanguíneas de cães que acompanhavam os mouros durante as invasões no século VIII.
Pequenas Diferenças: O Podengo Pequeno é utilizado para procurar o coelho nas covas e entre as rochas, o Médio é aproveitado como cão de caça ao coelho e o Grande tem as características do Médio, diferindo apenas na grande corpulência, utilizado-o para a caça maior.
Todas as variedades são utilizadas também como cão de vigia e de companhia.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Portugal
  • Utilização: Caça, guarda e companhia
  • Tamanho: 20 a 30 cm para Pequenos, 40 a 55 cm para Médios e 55 a 70 cm para os Grandes
  • Peso: 4 a 6 quilos para os Pequenos, 16 a 20 quilos para os Médios e 20 a 30 quilos para os Grandes.
  • Aspectos gerais: É um cão com orelhas eretas, cauda em foice, bem proporcionado com bom esqueleto e bem musculado, dotado de muita vivacidade e inteligência, sóbrio e rústico. Possui três tamanhos,nas variedades d pelo liso e cerdoso.
  • Pelagem: O pelo pode ser curto ou comprido, de grossura média, pelo liso quando curto ou pelo áspero (cerdoso) quando comprido. O pelo curto é mais denso do qeu comprido. Na variedade de pelo comprido e áspero, o pelo do focinho é comprido. Sem subpelo./r/n/r/nAs cores predominantes são amarelas, fulvo ( com as variedades do claro ou escuro) ou preta ( diluído ou desbotado); unicolores com ou sem manchas brancas, ou branco manchado com as cores listadas.
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: É um cão bastante vivaz e inteligente, sóbrio e rústico.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://commons.wikimedia.org
Pointer Inglês
Há duas linhas de opiniões sobre a origem da raça: uma que teria surgido na Espanha e a outra que teria sido desenvolvida na Inglaterra em meados do século 17, a partir de cruzamentos de Bloodhounds, Greyhounds e Foxhounds. Na verdade, os primeiros exemplares como conhecemos hoje, apareceram provavelmente ao final do século 19, na França, na Itália e em outras regiões da Europa. Como seu nome indica, era empregado para aponte na caça de aves e animais de toca, ou seja, o cão fica parado indicando ao caçador o local onde a presa se encontra. O Pointer Inglês é ideal para terrenos de grandes extensões, onde pode desenvolver o seu galope.
Os cães da raça passaram a ser vistos em exposições a partir de 1859, em Northumberland, Condado da Inglaterra. Menos de 20 anos depois, havia mais de 100 Pointers inscritos na mais popular exposição do mundo, a Westminster Kennel Club.
De temperamento independente e corajoso, é um cão de grande vigor físico, agilidade e disposição. Porém, como todo Pointer, precisa de bastante espaço para se exercitar.
Como animal de estimação, é dócil e bem disposto.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Caça.
  • Tamanho: 63 a 69 cm para machos e 61 a 66 cm para fêmeas.
  • Peso: 20 a 33 quilos.
  • Aspectos gerais: Ágil e gracioso, com a cauda balançando de lado a lado no ritmo das passadas. A cabeça altiva com expressão inteligente e alertas e complementa com corpo musculoso e elegante, formando um conjunto que é considerado por muitos especialistas como um dos mais belos entre as várias raças de cães.
  • Pelagem: Curta, fina, dura e igualmente distribuída, perfeitamene lisa, reta e com brilho, com as cores variando em tons de marom-claro até fígado e preta, combinando sempre com o branco ou outra cor sólida. As cores mais comuns são limão e branca, laranja e branca, fígado e branca e preta e branca. Unicolor e tricolor também são corretas. O focinho pode ser preto ou marrom, nos cães mais escuros, e avermelhado ou marrom-claro, nos de pelagem mais clara.
  • Longevidade: 13 a 14 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: Independente, corajoso, disposto e dócil e carinhoso.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Poodle
São quatro variações da raça: Toy, Anão, Médio e Standard. Todas apresentam o mesmo padrão, com exceção de tamanho e peso. Apesar da popularidade na França, acredita-se que a raça tenha se originado na Alemanha.
Por muitos anos, foi considerado o Cão Nacional da França, onde era admirado por sua inteligência e habilidade e normalmente utilizado como retriever (que recolhe e traz a caça) e cão de circo.
Eles são muito inteligentes, alegres, brincalhões, afetivos e muito ativos. A variedade Standard é a mais antiga das quatro e ganhou fama especial como cão d´água. As outras apareceram pouco depois, logo que a raça assumiu o padrão que é reconhecido atualmente.
POODLE STANDARD
É uma raça grande e extremamente ativa, que inicialmente foi criada e utilizada como cão de pastoreio e ainda ajudava a retirar a caça (patos e marrecos) da água. Em meados do século XVIII também foram muito utilizados em circos acompanhando palhaços e artistas de rua.
O Poodle é considerado uma das raças mais antigas de que se tem conhecimento. Cães muito semelhantes ao Standard foram encontrados em moedas gregas e romanas, normalmente com a tosa leão. Por muito tempo os cães da raça foram utilizados para farejar trufas.
Nos anos 70, a raça foi utilizada em filmes célebres, destacando-se o personagem Monsieur Cognac, protagonizado por um Poodle Standard.
Por ser extremamente alegre, brincalhão e inteligente, o Poodle Standard torna-se um excelente companheiro, função que exerce com maestria, tornando-se cada vez mais um efetivo membro da família.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: França
  • Utilização: Companhia.
  • Tamanho: POODLE ANÃO - Acima de 28 cm até 35 cm. POODLE MÉDIO - Acima de 35 cm até 45 cm. POODLE TOY - Acima de 24 cm até 28 cm (a altura ideal é 25 cm). POODLE STANDARD - 45 a 60 cm, com tolerância máxima de 2 cm a mais.
  • Peso: Proporcional ao tamanho.
  • Aspectos gerais: POODLE ANÃO - Perfil quadrado, bem estruturado, proporcional, de expressão inteligente e com musculatura bem forte, o que lhe dá a agilidade característica da raça. A cauda é cortada a 1/3 de seu comprimento. O Poodle Anão deve exibir em seu conjunto o aspecto de um Poodle Médio reduzido, conservando, do mesmo modo, as mesmas porporções, sem apresentar qualquer característica de nanismo. POODLE MÉDIO - Perfil quadrado, bem estruturado, proporcional, de expressão inteligente e com musculatura bem forte, o que lhe dá a agilidade característica da raça. A cauda é cortada a 1/3 de seu comprimento. POODLE TOY - Perfil quadrado, bem estruturado, proporcional, de expressão inteligente e com musculatura bem forte, o que lhe dá a agilidade característica da raça. A cauda é cortada a 1/3 de seu comprimento. O Poodle Toy conserva, em seu conjunto, o aspecto de um Poodle Anão e as mesmas proporções gerais correspondendo a todas as exigências do padrão. Qualquer sinal de ""nanismo"" é excluído, somente a crista occipital pode ser um pouco menos acentuada. POODLE STANDARD - Perfil quadrado, bem estruturado, proporcional, de expressão inteligente e com musculatura bem forte, o que lhe dá a agilidade característica da raça. A cauda é cortada a 1/3 de seu comprimento.
  • Pelagem: POODLE ANÃO - Pode ser de pelo encaracolado ou cacheado. Quando cacheado, o pelo deve ser abundante de textura fina, lanoso, bem ondulado, elástico e resistente à pressão da mão. Espesso, farto, de comprimento uniforme, formando cachos iguais. Já o encordoado deve apresentar pelo abundante, de textura fina, lanoso e fechado, formando cordões bem característicos. Devem medir, ao menos, 20 cm. As cores são muito variadas, podendo ser preto, branco, marrom, abricó, cinza e fulvo-avermelhado. POODLE MÉDIO - Pode ser de pelo encaracolado ou cacheado. Quando cacheado, o pelo deve ser abundante de textura fina, lanoso, bem ondulado, elástico e resistente à pressão da mão. Espesso, farto, de comprimento uniforme, formando cachos iguais. Já o encordoado deve apresentar pelo abundante, de textura fina, lanoso e fechado, formando cordões bem característicos. Devem medir, ao menos, 20 cm. As cores são muito variadas, podendo ser preto, branco, marrom, abricó, cinza e fulvo-avermelhado. POODLE TOY - Pode ser de pelo encaracolado ou cacheado. Quando cacheado, o pelo deve ser abundante de textura fina, lanoso, bem ondulado, elástico e resistente à pressão da mão. Espesso, farto, de comprimento uniforme, formando cachos iguais. Já o encordoado deve apresentar pelo abundante, de textura fina, lanoso e fechado, formando cordões bem característicos. Devem medir, ao menos, 20 cm. As cores são muito variadas, podendo ser preto, branco, marrom, abricó, cinza e fulvo-avermelhado. POODLE STANDARD - Pode ser de pelo encaracolado ou cacheado. As cores são muito variadas, podendo ser preto, branco, marrom, abricó, cinza e fulvo-avermelhado.
  • Longevidade: 11 a 15 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: Inteligente, alegres, brincalhões, afetivos e muito ativos.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Pug
Especialistas acreditam que o Pug tenha surgido no Oriente, por apresentar muitas semelhanças com o Pequinês. A primeira aparição que se tem notícia é na China, onde o cão era criado como animal de estimação nos monastérios budistas do Tibete.
O Pug é uma raça muito antiga, que nasceu antes de 400 a. C. e ficou conhecida mundialmente por meio do filme Homens de Preto. É provável que tenha sido levado da China ao Japão e, mais tarde para a Europa, onde ganhou muita popularidade nas cortes.
A raça é chamada de Mopshond (da palavra alemã, rosnar) na Holanda, de Mops na Alemanha e Carlim na França. Com uma expectativa de vida alta, esse cão é brincalhão, inteligente, e alegre, o que faz dele um excelente cão de companhia.
O nome Pug, que significa nariz achatado, surgiu devido à sua expressão facial, que se assemelha a uma espécie de macaco de mesmo nome muito popular como pet, por volta de 1700.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: China
  • Utilização: Companhia.
  • Tamanho: 25 a 27 cm.
  • Peso: 6 a 8 quilos.
  • Aspectos gerais: Quadrado massudo, apresentando muita substância em pequeno volume. Sua cabeça é grande e arrendondada. A cauda tem inserção alta, enrolada e espiral, pousada sobre a anca.
  • Pelagem: Fina, lisa, macia, curta e brilhante. As cores são prateada, abricó-castanho ou preta. O prateado e abricó-castanho devem ser em nítido contraste, com a cor da faixa preta no dorso, que se estende até a raiz da cauda e a máscara, no focinho, nas orelhas, bochechas e o diamante na testa.
  • Longevidade: 13 a 15 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Pequena
  • Temperamento: Brincalhão, inteligente, alegre, charmoso e muito disposto.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Puli (Hungarian Puli)
Há mais de 1000 anos este cão convive com os pastores Húngaros, auxiliando-os na guarda e proteção das ovelhas. É provável que os terries Tibetanos também tenham contribuído para formar a raça. A pelagem encordoada exige que cada corda seja limpa e escovada separadamente. O Puli é um cão vigoroso, ágil, inteligente, versátil e obediente, sendo, por isso, usado como cão policial, especialmente nos Estados Unidos.
O Puli e o Pumi foram considerados da mesma raça durante anos, mas somente em 1924, que a Federação Cinológica Internacional (FCI) aprovou a distinção de cada raça.
Os exemplares da raça latem com certa freqüência.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Hungria
  • Utilização: Guarda e Pastoreio
  • Tamanho: 39 a 45 cm para machos e 36 a 42 cm para fêmeas
  • Peso: 13 a 15 machos / 10 a 13 fêmeas
  • Aspectos gerais: é um cão de porte médio, estrutura quadrada, robusto, com boa musculatura e ágil. A cabeça dá a impressão de ser redonda e os olhos ficam escondidos sob pelos longos. A cauda é longa, curvada sobre o tronco.
  • Pelagem: apresenta pelagem longa, dupla, com pelo grosso e subpelo lanoso. A proporção dos dois é que determina a qualidade da pelagem. A forma chamada de encordoada é composta pelos uniformes de caimento estreitamente ondulados. As cores podem ser preta, preta com nuance avermelhada e variedades de cinza e branca.
  • Longevidade: 12 a 13 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: é um cão sensível, obediente e versátil e desempenha bem tanto tarefas de guarda e pastoreio quanto de companhia.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Pumi (Hungarian Pumi)
Durante muitos anos Pumi e Puli foram considerados cães da mesma raça, ocorrendo sua distinção em 1920. Os cães da raça têm temperamento agitado e vivo, são afetuosos com seus donos e possuem bom olfato. O Pumi, criado exclusivamente para o pastoreio, passou a ser utilizado como cão de guarda e depois como cão de estimação.
Acredita-se que os ancestrais do Pumi foram levados para a Hungria pelos Magyars – um povo que ocupou a região há mais de 1.000 anos. Com o repovoamento da Hungria no século XVII, foram introduzidos novos cães pastores da França e Alemanha na região. o Pumi surgiu do cruzamento destes com o Puli.
Na década de 80, a agilidade da raça a levou as pistas de Agility, passando também a se destacar no esporte.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Hungria
  • Utilização: Pastoreio e Companhia
  • Tamanho: 41 a 47 cm para machos e 38 a 44 cm para fêmeas
  • Peso: 10 a 15 machos / 8 a 13 fêmeas
  • Aspectos gerais: é um cão de porte médio, ágil, alerta e bem ativo. Possui orelhas eretas, quadradas e com as pontas dobradas para frente. A cauda é portada alta e enrolada sobre o dorso.
  • Pelagem: apresenta pelagem moderadamente longa e encordoada, com pelos mais curtos na face e nos membros. O pelo não deve ser liso nem encordoado como o do Puli. A pelagem deve ser de coloração uniforme, mas não pode ser rajada. São aceitas as cores
  • Longevidade: 12 a 13 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: é um cão que aprende rápido, ativo, alerta e disposto. Muito afetivo com os seus, mas desconfiados com estranhos.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://commons.wikimedia.org/wik
Rafeiro do Alentejo
Nascido na região do Alentejo, de clima continental, ao sul de Portuga, resulta do cruzamento de raças locais. O Rafeiro do Alentejo e Cão da Serra da Estrela possuem a mesma origem, com antepassados comuns, entre eles o Mastim Espanhol. Desenvolvido na planície, o Rafeiro, tornou-se o cão mais robusto e de maior porte entre as raças portuguesas. A raça firmou-se no final do século XIX, atuando como cão de guarda, defesa, acompanhando os rebanhos e como cão de montaria, participando das matilhas na caça grossa.
O Rei D. Carlos possuía inúmeros exemplares da raça e os utilizava na caça ao javali e a outros animais de grande porte. Há registros fotográficos que mostram o Rei aompanhado de sua Matilha de Rafeiros de Alentejo. Em 1974, a raça quase foi extinta. Os dirigentes da Unidade Coletiva de Produção não aceitavam a fidelidade desses cães com os antigos donos da terra e, por isso, os matavam. A raça foi resgatada graças à dedicação de cinófilos apoiados pela Universidade de Évora e pela criação do Clube da raça. Excelente pastor, é atualmente utilizado como cão de guarda. O Rafeiro do Alentejo é rústico, poderoso, trabalhador, corajoso e sóbrio.
Com o dono é um cão fiel e afetuoso, mas mostra-se agressivo com estranhos. Requer uma educação firme.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Portugal
  • Utilização: Guarda, casa e rebanhos.
  • Tamanho: 66 a 74 cm para machos e 64 e 70 cm para fêmeas.
  • Peso: 40 a 50 quilos para machos e 35 a 45 quilos para fêmea.
  • Aspectos gerais: Cão de grande porte, poderoso, rústico e sóbrio. Tem perfil ligeiramente convexo, a estrutura geral é mais longo do que larga. A cauda é inserida em uma latura média; grossa, longa, ligeiramente curvada, mais voltada para a ponta, mas nunca quebrada.
  • Pelagem: O pelo é curto ou, de preferência, de comprimento médio, pesado, denso, reto e cobrindo o corpo uniformemente até o espaço entre os dedos. As cores são preta, cor de lobo, fulvo ou amarela com manchas brancas ou branca com manchas destas cores, rajadas, riscadas ou tigradas.
  • Longevidade: 10 a 12 anos.
  • Agressividade: Moderada
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: É um cão fiel, afetuoso e próximo do dono. Porém mostra-se agressivo com desconhecidos e predadores.
  • Atividade física: Média
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Rhodesian Ridgeback
A raça se originou por volta de 1700, a partir de um cão de caça meio selvagem conhecido por Hottentot, que tinha uma pelagem muito característica, na qual o pelo das costas na linha da coluna formavam uma crista, crescendo para frente, em sentido contrário do restante do corpo. O cruzamento dos cães trazidos por imigrantes com esse nativo deu origem aos atuais Ridgebacks, que supriam as necessidades dos fazendeiros locais.
Chamado também de African Lion Hound (Hound de Leão Africano), é nativo da África do Sul e tem sido criado pelos fazendeiros Boers (nativos descendentes de colonizadores holandeses) para trabalho de caça pesada na mata. Os Boers usavam-no na caça de perdizes, lebres, doninhas e também animais de grande porte como leões. Esses cães aguentam o rigor da selva africana, onde a temperatura é altíssima durante o dia, caindo para 0º, à noite. Também conseguem permanecer 24 horas ou mais sem beber água. Além de tudo, se mostram grandes guardiões da família, são limpos, fáceis de serem mantidos, não são barulhentos nem briguentos . No Brasil, já se encontram excelentes exemplares.
A raça vem ganhando popularidade crescente devido às suas qualidades inatas, principalmente pela obediência e fácil aprendizado, sua natureza dócil, desejo constante de agradar seu mestre e o carinho por crianças.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: África do Sul
  • Utilização: Levantador de Caça e Companhia
  • Tamanho: 61 a 66 cm para fêmeas e 63 a 69 cm para machos
  • Peso: 36,5 kg para machos e 32 kg para fêmeas.
  • Aspectos gerais: sua aparência geral é de um cão forte, ativo, simétrico de forte musculatura, resistente e veloz. A característica mais marcante que identifica a raça é o pelo na linha do dorso crescendo na direção oposta ao restante do corpo (Ridge), como coroa completa na cernelha.
  • Pelagem: sua pelagem é curta, densa e brilhante com cor trigo pálido, ou fulvo avermelhado. Admite-se uma pequena mancha branca no peito e a ponta dos dedos.
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: dócil, obediente, inteligente, fiel e carinhoso, principalmente com crianças.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Rottweiler
As raízes da raça são antigas e há controvérsia mesmo entre especialistas. Segundo a maioria, ele seria descendente de um molosso originário do Mastim do Tibete, levado pelos romanos que estabeleceram uma importante base militar na região que compreende Rottweil. Allgau e Neckar. A princípio, foi criado para servir como pastor e guarda de rebanhos. Depois da expulsão dos romanos, os germânicos os teriam mantido nas mesmas funções, uma vez que havia muito gado na região.
Para desempenhar suas funções, ele deveria ser um cão forte, vigoroso e leal, características que manteve até hoje. O Rottweiler é um cão amável e obediente ao dono. Seu comportamento está intimamente ligado ao tratamento que recebe ainda filhote. Além disso, é muito inteligente, devotado, corajoso e equilibrado, qualidade que o capacita a ser um excelente cão de guarda sendo usado nessas funções pela maioria dos policiais do mundo.
É consenso entre os criadores que o instinto de proteção da raça com relação ao dono é tão grande, que se ele for ameaçado, a reação do cão será bem mais rápida e eficiente e o ataque mais forte do que nos casos em que não há ameaça ao dono. O Rottweiler tem um espírito de liderança bem aguçado, por isso, é preciso que seu dono saiba lidar com ele.
Astor Von Der Westfallenstube foi, oficialmente, o primeiro Rottweiler a colocar as patas no Brasil. O ano era 1967. Ele foi trazido aos dois anos de idade pelo seu dono, Dimiter Ratcho Petrof e morreu sem ser acasalado.
A cidade de Rottweiler, na Alemanha, foi a responsável pelo nome da raça, que inicialmente foi chamada de Rottweiler Metzgerhund (Cão de Açougueiro de Rottweil). Somente lgum tempo depois o nome foi abreviado para Rottweiler, que em alemão significa F0;cão de RottweilF0;. Já o nome Rottweil foi dado à cidade em função das telhas de terracota utilizadas nas casas e chamadas pelos arqueólogos de F0;Das Rote WillF0;, que significa F0;terra vermelhaF0;.
Não requer muitos cuidados, além de uma escovação diária de seu pelo.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Alemanha
  • Utilização: Tração, guarda e boiadeiro.
  • Tamanho: 61 a 68 cm para machos e 56 a 63 cm para fêmeas.
  • Peso: 50 quilos para machos e 42 quilos para fêmeas.
  • Aspectos gerais: Robusto e àgil, tendo o corpo relativamente curtoe uma força enorme para seu tamanho, sem se mostrar pesado nem leve.
  • Pelagem: Curta, densa e reta, sem subpelo no pescoçoenas perna, sempre na cor preta, com marcações fogo tan.
  • Longevidade: 10 a 12 anos.
  • Agressividade: Alta
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: Muito inteligente, devotado, corajoso e equilibrado.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Veadeiro Pampeano
Existem duas hipóteses sobre o surgimento do Veadeiro Pampeano. Uma é a de que seria descendente de cães do grupo primitivo como pondengos ou ibisencos e outra é que teria se originado a partir de um tipo de cão nativo da América do Sul. Na região centro-oeste, há incidência de cães com pelagem avermelhada e de orelhas eretas. Enquanto na região Sul do país, a maioria dos exemplares tem pelagem branca ou amarelada, orelhas semieretas e olhos menores. A raça tem sido mantida há anos sem qualquer alteração. inicialmente, criadores acreditavam que os cães da raça estivessem restritos ás regiões do pampa gaúcho e platino, porque as concentrações de exemplares das quais se tinha conhecimento localizavam-se principalmente nestes lugares. Porém, os resultados de pesquisas mostraram que também havia muitos indivíduos e grupos em outras regiões do BRASIL.
Têm como função principal o levante e o apresamento de animais de pelo. No entanto, podem ser utilizados como cães farejadores ou como cães de companhia por serem dóceis, fiéis e amistosos com o dono.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Brasil
  • Utilização: Caça e presa
  • Tamanho: Padrão não comenta
  • Aspectos gerais: O Veadeiro é um cão rústico, de portemediano, retangular, não sendo desejada a quadratura por ser inadequada ao desempenho de sua função. É um cão longilínio, com boa musculatura denotando força e rusticidade. As orelhas são pontiagudas, dobradas para trás( em rosa) e eretas quando em alerta. A cauda é portada baixa, com comprimento que nao deve ultrapassar os jarretes.
  • Pelagem: Apresenta pelo curto, simples, reto, denso e áspero. As cores vão do branco ao amarelo ( baio-escuro), sólidos ou apresentando placas dessas duas cores. É permitida a presença de coleira branca e mancha no peito e nas patas.
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: é um cão obediente ao dono. É independente na sua função de levante e apresamento de animais de pelo, tarefa que executa fora da vista de seu dono ou de condutor. É arredio com estranhos, mas permite a aproximação sem se mostrar medroso ou agressivo. De fácil convivio com crianças.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://3.bp.blogspot.com/_mDHRPQxr5So/Sw1nOkvVKdI/
Vizsla ou Braco Húngaro de Pelo Curto
O Vizsla pode ter surgido por volta do ano 836, quando o povo nômade Magiar se instalou em terras húngaras. Composto basicamente por caçadores e cavaleiros, os magiares traziam consigo muitos exemplares de cães sabujos e galgos, e estes seriam os mais prováveis ancestrais do Vizsla, devido às suas características primárias. A pelagem dourada teria sido uma característica adquirida décadas mais tarde, por volta de 1560, através da infusão de sangue de cães que acompanhavam os povos Otomanos e dos Sloughis, cães àrabes, excelentes caçadores de aves e muito velozes.
Somente no século 19 a raça passou a ser chamada de Vizsla, apresentando todas as características mantidas até hoje. Alguns estudiosos acreditam que a raça tenha algo do Braco Alemão devido à intensa influência germânica na Hungria, e do Pointer Inglês, assim como todos os cães continentais.
No Brasil, esta raça ainda não é encontrada com facilidade, mas na Europa Ocidental e América do Norte, o Vizsla passou a ser popular desde a década de 60, sendo apresentado como cão de exposição. Como cães de caça se destacam pelo excelente faro, bem como velocidade e mira muito apuradas. Como a maioria dos cães apontadores, o Vizsla possui enorme capacidade de aprendizado.
Os cães da raça são muito apegados aos donos, leais, brincalhões e estáveis.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Hungria
  • Utilização: Caça e companhia.
  • Tamanho: 58 a 64 cm para machos e 54 a 60 cm para fêmeas.
  • Peso: Proporcional à altura.
  • Aspectos gerais: É um cão de caça robusto, estruturalmente leve, de porte médio e com cauda amputada em 1/3 de seu comprimento.
  • Pelagem: A pelagem é curta, densa, macia, assentada e brilhante. Apenas a cor ferrugem-dourado é aceita na raça, podendo ter várias tonalidades. Marcas brancas, apesar de comuns, são aceitáveis, mas não desejáveis.
  • Longevidade: 12 a 13 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: Obediente, dócil, inteligente, afetuoso, leal, protetor e sensível.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Weimaraner
O Weimaraner é uma raça relativamente nova, tendo surgido no começo do século 19, na Alemanha. O cão que conhecemos hoje é um produto de criteriosos cruzamentos com uma boa dose de consanguinidade para fixar tipo e qualidade. No entanto, alguns especialistas acreditam que sua origem resulta de antigos pointers alemães que sofreram mutação albina.
Entre os prováveis ancestrais do Weimaraner estão o Bloodhound, o Pointer e outras raças alemãs. No princípio, era conhecido simplesmente como Weimaraner Vorstehhund Pointer e utilizado na caça de animais de grande porte como lobos, ursos, felinos e cervos. Ao longo do desenvolvimento, o peso e a altura aumentaram, mas a cor da pelagem é quase a mesma. Atualmente, o Weimaraner é muito apreciado devido à grande habilidade no faro, velocidade, coragem e inteligência. Esse cão não se adapta ao confinamento e se torna infeliz quando preso em canis.
Durante sua história, sempre foi criado para ser membro da família e aceita as responsabilidades a ele impostas.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Alemanha
  • Utilização: Caça, aponte e companhia.
  • Tamanho: 57 a 70 cm.
  • Peso: 25 a 38 quilos.
  • Aspectos gerais: Porte médio a grande, com traços aristocráticos, mostrando graça, vigor, equilibrio, velocidade e, principalmente, habilidade e resistência para o trabalho no campo.
  • Pelagem: Existem duas variedades. O Pelo Curto tem pelagem curta, assente, lisa e lustrosa. No Pelo Longo (mais raro no Brasil), é longa, macia, lisa e lustrosa. A cor nas duas variedades varia do cinza-rato ao cinza-prata, com tonalidades mais claras nas orelhas e cabeça. Pequena mancha branca no peito é permitida.
  • Longevidade: 12 a 13 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: Corajoso, inteligente, devoto à família, obediente e companheiro.
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Welsh Corgi Cardigan
Um dos cães mais antigos da Inglaterra, o Corgi com rabo de raposa é também o mais antigo dos Corgis. Especialistas afirmar que ele chegou às terras altas de Cardiganshire (Gales) com os celtas, vindos da Europa Central, em aproximadamente 1200 a. C vila de Bronant, no centro de Cardiganshire, tornou-se a fortaleza dos antigos Celtas e a inteligência e a vigilância desses pequenos e corajosos cães foi um premio para esse povo. Muito inteligente, ele sempre foi pastor nato e era treinado para dar pequenas mordidas nos pés do rebanho para que ele fosse pastar cada vez mais longe.
A divisão e a subseqüente venda das terras da Coroa para os arrendatários e sitiantes e o aparecimento das cercas fez com que o Corgi Cardigan perdesse sua função, passando a ser um cão de guarda e companhia. Com isso, se tornou escasso e só graças ao cuidado de alguns criadores as antigas linhagens foram preservadas. O primeiro casal de Cardigans chegou aos Estados Unidos em 1931, importados por Mrs. Robert Bole de Boston e, em 1935, a raça foi reconhecida pelo Kennel Clube Americano.
Apesar do reduzido tamanho das pernas, a velocidade desses cãezinhos é marcante.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Pastoreio e Guarda
  • Peso: 10 a 12 machos / 10 a 11 fêmeas
  • Aspectos gerais: porte pequeno, baixo (pernas curtas) e longo (tronco comprido), de ossatura moderadamente pesada. A cauda é portada baixa e as orelhas são eretas. Tem uma bela aparência, sendo forte, apesar do tamanho, rápido, resistente sem ser grosseiro.
  • Pelagem: dupla, densa, de comprimento médio. O pelo tem textura meio áspera e é relativamente liso e resistente a intempéries. O subpelo isolante é curto e grosso. A cor pode variar de vermelha, sable (pretochumbo), rajada, preta com ou sem pontos rajados e azul merle (preto-cinza-marmorizado), com ou sem pontos rajados.
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Pequena
  • Temperamento: dócil, inteligente, companheiro e fiel.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://www.lybertycardigans.com/
Welsh Corgi Pembroke
As origens da raça são incertas, mas especialistas afirmam que o Cardigan não tem participação na sua formação. Acredita-se que os ancestrais diretos do Pembroke sejam cães semelhantes aos antigos Schipperkes. O fato é que os Cardigans e Pembrokes tinham características bem diferentes antigamente. Tempos depois, alguns Cardigans foram levados a Pembrokshire e cruzados com os antigos Pembrokes até que os cães da raça adquirissem as características atuais. Sabe-se que o Corgi Pembroke é uma raça antiga, com origem por volta de 1086. Este cão de Pembrokeshire (Gales) é conhecido internacionalmente como o favorito da Rainha Elizabeth II. Apesar do tamanho reduzido, o Welsh Corgi Pembroke é um cão forte e de latido alto.
É ainda inteligente, curioso, agradável, afetivo e alerta, se mostrando um excelente cão de guarda quando o assunto é o lar e a família.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Pastoreio
  • Tamanho: 25,4 a 30,5 cm
  • Peso: 10 a 12
  • Aspectos gerais: é um cão de porte pequeno, baixo (pernas curtas) e longo (tronco comprido), mas de membros fortes. O pescoço é forte e a cabeça achatada é curta e as orelhas são eretas. Apesar do tamanho, é robusto, esperto e resistente, sem ser grosseiro.
  • Pelagem: dupla, densa, de comprimento médio. Os pelos são retos, mas nunca macios, ondulados ou muito duros. O subpelo é denso. As cores são
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Pequena
  • Temperamento: agradável, afetivo, inteligente e sempre alerta.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Welsh Springer Spaniel
O Welsh Springer Spaniel serviu como um cão de caça versátil por diversos séculos . Desde a Idade Média, já no século XIII, camponeses do país de Gales, proibidos como vassalos de caça animais de grande porte, usavam cães do tipo Spaniel para capturar aves e assim completar sua alimentação com proteínas. Antes do surgimento das armas de fogo os Spaniels eram amplamente empregados nos bosques Galeses para procurar e festocar pássaros em direção a redes armadas sobre as copas das árvores. As aves assim destocadas eram depois capturadas por falcões treinados. Já a partir de meados do século XVII, quando as armas de fogo substiruíram os falcões na caça esportiva e de sobrevivência, Spaniels de pelagem vermelha e branca, muito parecidos com o Welsh Springer moderno, serviram como excelentes cães de tiro. Caçadores que dependem dos seus Welsh Springer Spaniels para complementar sua dieta procuraram criar cães de bom faro, que demonstrassem desejo de localizar e carregar caça caída, além de uma estrutura física para trabalhar em terrenos diversos por longas horas e sob qualquer tempo.
Ao contrário da maioria das raças de tiro modernas, como os Golden Retrievers, Labradores, Cocker Spaniels ou os English Springers, até os dias de hoje não existe diferença de tipo entre os Welsh Springers que trabalham no campo e aqueles que são apresentados em exposiçoes de beleza. Na realidade a maioria dos Welsh Springer Spaniels com títulos de caça também são campeões em competições de beleza. Enquanto que as habilidades versáteis do Welsh Springer podem ser reconhecidas em esportes como provas de trilha e agility, é para o trabalho no campo que a raça foi criada. Daí a importância em se criar cães que preservem seus instintos inalterados, gozem de grande saúde e que tenham estrutura física para suportar um árduo dia de trabalho na mata, mantendo-se obedientes e leais aos seus donos.
O welsh Springer Spaniel é um cão de porte menor do que um Golden, mas com temperamento bastante parecido. É um animal muito dócil, inteligente e companheiro, servindo bem para pessoas que tenham estilo de vida moderno. Sua pelagem é de muito fácil manutenção. Enquanto que no dia a dia o Welsh Springer tem muita energia e disposição para acompanhar o dono em atividades físicas, de noite ele se acalma e ocupa pouco espaço, sendo muito fácil de conviver dentro de casas ou apartamentos. Por ser uma raça muito mais antiga, sua linhagem genéticas é mais robustam sendo que a incidência de doenças hereditárias genéticas, como displasia ou câncer é muito baixa.
O welsh Springer Spaniel é um cão de porte menor do que um Golden, mas com temperamento bastante parecido. É um animal muito dócil, inteligente e companheiro, servindo bem para pessoas que tenham estilo de vida moderno.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Alemanha
  • Utilização: Levantador de caça
  • Tamanho: 46 cm para fêmeas e 48 cm para machos.
  • Peso: padrão não comenta.
  • Aspectos gerais: cão simétrico, compacto, sem ser pernalta, evidentemente constituído para resistência e trabalho duro. De movimentação rápida e ativa, mostrando bastante alcance e propulsão. Orelhas inseridas moderamente baixas e pendentes próximas às bochechas. Comparativamente pequenas e estreitando-se gradualmente até as pontas, tendo a forma parecida com a folha da videira. Era costume ter a cauda cortada. Bem inserida e baixa, nunca portada acima do nível do dorso. vivaz em ação. Não cortada é franjada, em equilíbrio com o restante do cão.
  • Pelagem: Pelo liso ou plano, textura sedosa, denso, nunca áspero ou ondulado. O pêlo crespo é altamente indesejável. Franjas moderadas acima dos jarretes, tanto nos anteriores quanto nos posteriores. Orelhas e cauda ligeiramente franjadas. A cor aceita somente vermelho e branco.
  • Longevidade: 12 a 14 anos.
  • Agressividade: Baixa.
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: é uma raça pura de origem antiga e distinta. Forte, alegre e muito ativo. Temperamento afável, não demonstrando agressividade ou nervosismo.
  • Atividade física: Intensa
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2011 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://aboutpedigreedogs.com/
Welsh Terrier
Especialistas concluíram que o Welsh Terrier é uma raça bastante antiga, já que aparecem em antigas, pinturas e gravuras em que os primeiros Terriers são retratados.
No passado, o cão era conhecido como Velho Terrier Inglês ou Terrier Preto e Dourado de Pelo Duro. Até hoje, a cor do Welsh é a mesma de seus ancestrais que viveram há mais de 100 anos. Mesmo nos outros aspectos físicos sua mudança foi insignificante.
Atualmente, é usado na caça de lontras, texugos e raposas, exatamente da mesma maneira que ficou conhecido no seu país de origem, em Gales.
A raça foi levada aos Estados Unidos por Prescott Lawrence, em 1888. Ele importou um macho e uma fêmea e os apresentou no Madison Square Garden, na Miscellaneous Class.
Apesar de bom caçador, ele não é briguento e é muito fácil de ser manejado.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Caça
  • Tamanho: 36 a 39 cm
  • Peso: 9 a 9,5 quilos
  • Aspectos gerais: Porte pequeno, rústico, compacto, impetuoso, com aptidão para o trabalho. A cauda é amputada não muito curta.
  • Pelagem: Dupla, dura de arame, densa e assente. A cor é, preferencialmente, preta e castanho, ou preto-acinzentado e castanho.
  • Longevidade: 13 anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Pequena
  • Temperamento: Amigável, extrovertido, tanto com pessoas como com outros cães, sempre espirituoso e corajoso.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
West Highland White Terrier
É provável que a raça tenha se originado dos Scottishs, Cairns e Dandie Dinmonts. De acordo com especialistas, o cão teve sua origem em Poltalloch, na Escócia, local em que vinham sendo criados por mais de 100 anos, antes mesmo de sua primeira aparição em exposições.
O Coronel Malcolm de Poltlloch, um dos que mais se desenpenhou em desenvolver a raça, comentava que seu pai e seu avô já possuíam esses cães.
É provável que a linhagem de Malcoln remonte à época do Rei James I. Há mais de um século, ficou conhecido como Roseneath Terrier ou Poltalloch Terrier e somente em 1909 passou a ter o nome atual.
O West tem a essência de um Terrier: coragem, determinação e devoção, reunida em um pequeno corpo.
Em casa, esse pequeno e adorável cãozinho é tudo o que se deseja de um pet: confiável, compreensivo, devotado, alegre, de bom coração e muito forte e resistente, sem a necessidade de cuidados especiais.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Caça e companhia
  • Tamanho: 28 cm
  • Peso: Proporcional ao tamanho
  • Aspectos gerais: Tem a aparência de um verdadeiro pequeno cão de caça, de forte constituição com garupa poderosa e bem musculada. As orelhas são portadas eretas e a cauda é relativamente curta e portada ereta.
  • Pelagem: Dupla, dura e reta, com aproximadamente 5 cm, mais curta nos ombros e no pescoço. A cor é sempre branca.
  • Longevidade: 10 a 12 Anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Pequena
  • Temperamento: Corajoso, determinado e devoto ao dono, amigável, de coração mole, alegre e inteligente.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Wetterhoun ou Cão DF0;Água Frisado
A Frísia é um condado na fronteira noroeste da Holanda e sua população tem cultura e língua próprias O frísios foram os responsáveis pelo desenvolvimento de algumas raças de cães de caça nativos da Holanda, sendo uma delas o Wetterhoun (“cão F0;dágua” no dialeto deles.) Originalmente o Wetterhoun era utilizado para encontrar e matar as lontras nas regiões lacustres e sua terra natal e hoje mesmo, com aunsência das lontras, ele é usado como levantador de caça. Ele trabalha como muitos spaniels de terra, procurando a presa e indicado sua presença. Depois do tiro, ele também exerce a função de retriever, buscando a caça abatida, tanto na água como na terra. É muito inteligente e os holandeses dizem que são como os frísios, obstinados, mas, uma vez conquistados, leais e amigáveis.
Eles são um pouco teimosos e reservados com estranhos.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Holanda
  • Utilização: Usado com cão de caça ás lontras
  • Tamanho: 59 cm para machos e 55 cm para fêmeas
  • Peso: 2 a 15 quilos
  • Aspectos gerais: Cão bem balanceado, tradicionalmente usado para a caça lontra.Um animal vigoroso, sem ser pesado ou desajeitado. Quadrado e robusto na sua constituição física, com pele bastante aderida ao corpo, livre de rugas ou barbelas, lábios não pendentes
  • Pelagem: Pelo com exceção da cabeça e das pernas, o corpo é coberto de cachos apertados, compostos de tufos firmes de pelos fortes. A cor preto ou marrom sólidos, ou preto com marcações brancas, ou marrom com marcações brancas. Manchas ou ruão no branco são permitidos.
  • Longevidade: 12 a 13 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: Quieto com caráter determinado, reservado com estranhos
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano Imagem: fonte - http://friesedieren.homespot.nl/
Whippet
A raça tem origem na Inglaterra e foi oficialmente reconhecida em 1891. Os exemplares atuais diferem muito dos antigos. O Whippet é uma réplica em miniatura do Greyhound e é muito utilizado para esporte ou como charmoso, afetivo e inteligente cão de companhia. O Whippet descende de cruzamentos de pequenos Greyhounds com vários Terriers, ambos de pelo liso ou duro, sendo mais tarde usado o Greyhound Italiano em sua formação. Ele é o mais rápido dos cães domésticos dentro de seu padrão de peso e tamanho, atingindo até 56,5 Km/h. Sua especialidade é a incrível habilidade na perseguição e captura de coelhos. A raça é também conhecida como ‘Snap-Dog’ ( Snapped-up) devido a uma competição em que o cão que pegasse o maior número de coelhos seria declarado campeão. Ele também era utilizado em corridas realizadas e locais fechados. Além disso, se mostra um excelente cão de companhia, extremamente adaptável ao lar, gentil, afetuoso e de caráter estável. No entanto, requer grandes áreas para que possa correr diariamente.
CUIDADOS BÁSICOS: Necessita de escovagens regulares, pelo menos uma vez por semana, pois a queda do pelo verifica-se durante todo o ano-embora de forma mais acentuada nas mudanças de estação (Primavera e Outono), onde se verificam alteração de temperatura mais bruscas, que influenciam o ciclo do pelo. É uma ótima raça para ser criada em apartamentos.
O Whippet precisa de corrida diária e, portanto, de um espaço amplo onde possa correr á vontade.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Corrida
  • Tamanho: 47 a 51 cm para machos e 44 a 47 cm para fêmeas
  • Peso: Proporcionalmente leve em relação á altura
  • Aspectos gerais: porte médio, elegante, simétrio, de andadura potente, denotando grande velocidade, com musculatura bem balanceada e forte.
  • Pelagem: Fina,curta e cerrada, com todas as cores e combinações.
  • Longevidade: 13 a 14 anos
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Grande
  • Temperamento: Gentil, afetuoso e de caráter estável
  • Atividade física: Alta
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Xolotlzcuintle (Cão Pelado Mexicano)
A origem da raça é bastante antiga e dados históricos revelam que antes da conquista europeia, os nativos apreciavam a carne destes cães. Criados pelos astecas, que o consideram representante do Deus Xolotl, divindade que tinha a missão de guiar as almas dos mortos aos lugares do seu destino eterno, os cães eram utilizados para esquentar as camas. Além disso, poderes curativos contra reumatismo e outras enfermidades foram atribuídos aos Pelados Mexicanos. Como o próprio nome sugere, os cães da raça são desprovidos de pelos no corpo. A raça é muito difundida no México, mas alguns exemplares já podem ser encontrados em países das Américas do Sul e Central. São criados em três versões de tamanho: standard, intermediário e miniatura. Tranquilo e tímido, o Pelado Mexicano costuma ser muito carinhosoe fiel com as pessoas com as quais convive. É um cão inteligente, pasivo, ágil e se mostra alegre e sempre disposto a acompanhar seus donos.
Em algumas regiões é possível encontrar alguns exemplares peludos, cujo pelo se apresenta curto,grosso e assentado. Esses cães com pelos não são reconhecidos pela Federação Cinológica internacinal (FCI). Já os exemplares com pelos podem ter qualquer cor ou conbinações.
Como não possui pelos, é praticamente sem cheiro. A pele requer uma atenção especial, já que resseca com facilidade.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: México
  • Utilização: Guarda e companhia
  • Tamanho: Standard 46 a 60 cm, intermediária 36 a 45 cm, miniatura 25 a 35 cm
  • Peso: Standard 9 a 14 quilos, intermediária 8 a 10 quilos, miniatura 4 a 8 quilos.
  • Aspectos gerais: Cão de aparência nobre, que mistura a postura dos galgos e a compleição dos terriers. As orelhas são bem separadas, eretas na base e com as pontas levemente dobradas e curvadas. A cauda é portada baixa e suavemente curvada.
  • Pelagem: Não há. Como o próprio nome sugere, esses cães são pelados, com poucos pelos apenas na cabeça, rabo e pés. As cores são preta, carvão, cinza, bronze, fígado ou vermelha. As cores sólidas são desejáveis, mas podem ocorrer algumas pintas.
  • Longevidade: 10 a 12 anos
  • Agressividade: Média
  • Área de criação: Média
  • Temperamento: É um cão de grande inteligência, muito sensível e devotado ao dono.
  • Atividade física: Moderada
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Yorkshire
O Yorkshire foi visto pela primeira vez em uma exposição canina em 1880, mas somente 18 anos depois a raça foi reconhecida pelo Kennel Club da Inglaterra, cujo padrão racial permitia dois tamanhos diferentes daquele conhecido atualmente. Um determinava cães que pesassem até 2,3 quilos e outro entre 2,3 a 6 quilos.
A raça é o resultado de cruzamento entre o Dandie Dinmont, o Black-and-Tan e o Skye Terrier, tendo alguma contribuição de Maltês.
Originário da Grã-Bretanha, sua criação remonta ao século 19, no condado de York, onde foi desenvolvido com o objetivo de se obter um cão pequeno para caça subterrânea.
Seu nome no início era Terrie Escocês, depois Terrier Anão de Pelo Longo, vindo em seguida a denominação pela qual é conhecida até hoje: Yorkshire Terrier.
Com o passar do tempo, a raça foi perdendo a característica de caça e sua popularidade como cão de companhia foi crescendo no mundo inteiro, sendo que suas qualidades foram melhoradas gradualmente por meio de rigorosa seleção.
A moda era enfeitá-los de acordo com os vestidos usados na corte. Além do tamanho reduzido, o Yorkshire apresenta características encantadoras. Os exemplares da raça são afetuosos, inteligentes, seguros, sempre alertas e, às vezes, um pouco autoritários, o que aumenta ainda mais o seu charme.
Os exemplares da raça devem apresentar duas cores na pelagem: o azuloço-escuro e o fulvo, sendo que as duas cores não podem se mesclar.
Nos cães adultos, é fácil reconhecer se a coloração segue as exigências do padrão, o que não ocorre com os filhotes. Somente após os 18 meses de vida é que o Yorkshire tem sua coloração definida. Antes disso, sua pelagem muda diversas vezesde cor. Os filhotes nascem pretos com dourado e as cores vão clarendo com o tempo.
Escolhidos como cães de estimação pela Rainha Victoria, os exemplares da raça passaram a ser criados por senhoras da alta burguesia e viraram cães de luxo.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Utilização: Companhia
  • Tamanho: 23 cm
  • Peso: 3,1 quilos
  • Aspectos gerais: Sua aparência geral é de um cão vigoroso e bem proporcionado, ar importante, porte ereto e forte, embora pequeno.
  • Pelagem: Longa, lisa, brilhante e sedosa, que requer cuidados constantes. Sua coloração é azul-aço, com pelos alourados na fronte, pernas e pontos específicos.
  • Longevidade: 10 a 12 Anos.
  • Agressividade: Baixa
  • Área de criação: Pequena
  • Temperamento: Simpático, inteligente, charmoso, excelente companheiro, afetuoso, alegre e atento.
  • Atividade física: Baixa
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Zwergpinscher – Pinscher Miniatura
O Pinscher Miniatura é um cão de origem secular e, apesar de ser originário da Alemanha, era muito apreciado nos países Escandinavos, sendo desenvolvidos em outras partes do mundo a partir de 1895, quando foi criado o Pinscher Clube Alemão. Com isso, a raça evoluiu bastante, não apenas em tipo como também em popularidade, especialmente entre 1905 até a Primeira Guerra Mundial.
O Pinscher Miniatura ou Anão, como também é chamado, já foi conhecido também por F0;Reh PinscherF0; em função de sua semelhança com um pequeno veado (reh) comum nas florestas locais de sua região de origem. Ele é muito parecido como o Dobermann, só que em uma escala bem reduzida, mas sua natureza sugere um cão muito maior.
Apesar do tamanho, o Pinscher Miniatura é um excelente cão de guarda, muitas vezes mais atento que um cão com o dobro de seu tamanho.
É também um nato cão de show, notório por sua vivacidade e inteligência, além de ser apaixonado pelo lar ainda mais pelos donos.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Alemanha
  • Utilização: Guarda, trabalho e companhia.
  • Tamanho: 25 a 30 cm.
  • Peso: 4 a 6 quilos.
  • Aspectos gerais: Porte pequeno, de temperamento e comportamento de cão pequeno, com pelagem macia. Em locais menores, cumpre bem sua tarefa de guarda.
  • Pelagem: Curta e densa, suavemente assentada e lustrosa, sem falhas. As cores são sólidas e em várias tonalidades, do castanho ao vermelho-veado, e preta com marcas tan ou fogo bem nítidas nas maças do rosto, focinho, acima dos olhos, no queixo e garganta, nos dois lados do antepeito, metatarso, pernas dianteiras, patas, face internas das pernas traseiras e na região anal.
  • Longevidade: 10 a 12 anos.
  • Agressividade: Moderada
  • Área de criação: Pequena
  • Temperamento: Atento, excelente cão de guarda, vivaz, inteligente e apaixonado pelo lar e pelos donos.
  • Atividade física: Média
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Zwergpinscher – Pinscher Miniatura
O Pinscher Miniatura é um cão de origem secular e, apesar de ser originário da Alemanha, era muito apreciado nos países Escandinavos, sendo desenvolvidos em outras partes do mundo a partir de 1895, quando foi criado o Pinscher Clube Alemão. Com isso, a raça evoluiu bastante, não apenas em tipo como também em popularidade, especialmente entre 1905 até a Primeira Guerra Mundial.
O Pinscher Miniatura ou Anão, como também é chamado, já foi conhecido também por F0;Reh PinscherF0; em função de sua semelhança com um pequeno veado (reh) comum nas florestas locais de sua região de origem. Ele é muito parecido como o Dobermann, só que em uma escala bem reduzida, mas sua natureza sugere um cão muito maior.
Apesar do tamanho, o Pinscher Miniatura é um excelente cão de guarda, muitas vezes mais atento que um cão com o dobro de seu tamanho.
É também um nato cão de show, notório por sua vivacidade e inteligência, além de ser apaixonado pelo lar ainda mais pelos donos.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Alemanha
  • Utilização: Guarda, trabalho e companhia.
  • Tamanho: 25 a 30 cm.
  • Peso: 4 a 6 quilos.
  • Aspectos gerais: Porte pequeno, de temperamento e comportamento de cão pequeno, com pelagem macia. Em locais menores, cumpre bem sua tarefa de guarda.
  • Pelagem: Curta e densa, suavemente assentada e lustrosa, sem falhas. As cores são sólidas e em várias tonalidades, do castanho ao vermelho-veado, e preta com marcas tan ou fogo bem nítidas nas maças do rosto, focinho, acima dos olhos, no queixo e garganta, nos dois lados do antepeito, metatarso, pernas dianteiras, patas, face internas das pernas traseiras e na região anal.
  • Longevidade: 10 a 12 anos.
  • Agressividade: Moderada
  • Área de criação: Pequena
  • Temperamento: Atento, excelente cão de guarda, vivaz, inteligente e apaixonado pelo lar e pelos donos.
  • Atividade física: Média
Fonte: Texto: fonte - Anuário Cães 2010 - Editora Minuano
Gatos
ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ
Abissínio
Carinhoso e brincalhão.

Embora esteja entre as raças mais antigas, ainda não se tem uma ideia exata sobre sua origem. No entanto, a hipótese mais aceita por criadores é a de que tenha surgido na Etiópia, antiga Abissínia.

Há quem defenda que a origem desta raça se deu nas margens do rio Nilo, devido a sua semelhança com gatos sagrados do Antigo Egito, representados em pinturas e esculturas como felinos de musculatura desenvolvida, um belo pescoço, orelhas grandes e olhos amendoados. Acredita-se que Ramsés II pediu ao rei da Abissínia alguns gatos para levar ao Egito.

Outra versão é a descendência do Felis Libyca, conhecido como gato selvagem ou gato de luvas da África, e do Felis Chaus, o gato dos pântanos. Enfim, mitos, lendas e histórias à parte, o fato é que este felino, reconhecido desde 1882 pela Inglaterra e 1917 nos EUA, é extremamente sociável embora mie pouco e com bastante discrição.

Com um temperamento extrovertido, brincalhão e curioso, como a maioria dos felinos, são gatinhos bastante equilibrados e afetuosos, mesmo tendo uma personalidade forte.
A solidão não é com eles! Companheiros, eles são muito bons em adestramento de donos para que sejam feitas as suas vontades.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Etiópia
  • Pelagem: Curto
  • Atividade: Alta
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Requer poucos cuidados
  • Filhotes: 1 a 4 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 3 a 7 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co. Imagem: fonte - Acervo Lupus Alimentos
American Bobtail
Carinhoso e gentil

Esta raça é rara fora dos EUA. O primeiro exemplar foi encontrado pelo casal Sanders, norte-americanos, perto de uma reserva indígena no Estado do Arizona por volta de 1965.

O gatinho chamou a atenção por seu aspecto selvagem e cauda curta e erguida sobre o dorso. A partir deste primeiro exemplar foram cruzadas várias outras raças antes de chegar no American Bobtail, como Siameses e Himalaias, raça que introduziu a pelagem semilonga em sua linhagem genética.

O Bobtail americano é conhecido por seu olhar selvagem, comparável ao de um lince, com uma disposição excepcional e adaptabilidade. É um gato calmo, paciente e delicado que, além de meigo, é muito ligado ao dono.

Eles se dão muito bem com a maioria dos cães, excelentes companheiros para as crianças e interagem bem com as pessoas de todas as idades. Atléticos e musculosos, eles são ótimos caçadores. É uma raça de maturação lenta, levando de dois a três anos para chegar à vida adulta.

Adoram uma boa brincadeira e podem brincar de esconde-esconde por horas a fio. Ao iniciarem um jogo, eles podem ser bem persistentes para lhe convencer em participar.
Os Bobtails são fortemente atraídos por objetos brilhantes, sendo necessário manter fechadas, até mesmo trancadas, as caixas de joias.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Estados Unidos
  • Pelagem: Médio
  • Atividade: Baixa
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Requer poucos cuidados
  • Filhotes: 4 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 3 a 9 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co. Imagem: fonte - Acervo Lupus Alimentos
American Curl
Brincalhão e companheiro

Esta raça é rara e exótica, principalmente fora dos EUA, seu país de origem. A raça teve origem em 1981, no subúrbio da cidade de Lakewood, Estado da Califórnia, quando a família Ruga adotou uma gatinha negra de pelo semilongo e orelhas curvadas ou curl em inglês, característica que deu origem ao nome American Curl (Americano encaracolado). Em 1983, Nancy Kiester, criadora e amiga da família, apresentou a gatinha e seus filhotes numa exposição na Califórnia. Como obtiveram bons resultados na competição, no mesmo ano se empenharam em criar esta nova raça.

A mutação auricular deste gato é causada por um gene dominante que pode ser transmitido por um dos progenitores, seja ele de pelo longo ou curto. As lindas orelhas da raça se diferenciam dos demais felinos por sua curvatura única e seu preenchimento interno por pelos abundantes. “O gene responsável por esta característica não causa nenhuma anomalia física ou alteração na saúde dos animais”.

O cuidado maior deve ser mantido com as orelhas nos banhos, pois por serem curvadas ficam mais expostas para entrada de água.
É uma raça carinhosa que gosta de interagir com o dono, ficar por perto dele, lamber, pular no colo e adora brincadeiras!

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Estados Unidos
  • Pelagem: Curto e longo
  • Atividade: Baixa
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Requer poucos cuidados
  • Filhotes: 3 a 5 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 3 a 5 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - pets.webshots.com
American Shorthair
Forte e dócil.

Esta raça descende de gatos domésticos que chegaram à América do Norte através dos primeiros imigrantes do continente. Fortemente presentes nos lares, celeiros e armazéns norte-americanos, mantendo-os livre de ratos pela sua habilidade na caça, estes felinos eram inicialmente chamados de Domestic Shorthair, que significa “Doméstico de Pelo Curto”. A raça como conhecemos hoje surgiu de cruzamentos feitos entre estes gatos domésticos e as raças Bristish Shorthair, Sagrados da Birmânia e Persas.

Apenas em 1966 que a nomenclatura American Shorthair foi adotada em função de sua pelagem curta, mas não se engane! Apesar de curta, sua pelagem é espessa, dando-lhe boa resistência ao frio. Seu porte é forte e atlético, sendo extremamente ágil e brincalhão, ao passo que também se comporta de maneira calma e equilibrada. Como todo bom caçador, é um gato disposto à atividade, ávido por espaços que estimulem o exercício, para que possa correr e brincar para evitar o tédio. Sua reputação é de excelente saltador! Aprecia a vida ao ar livre, mas também se adapta a ficar dentro de casa junto de seus donos.
Não é um gato que mia muito, mas seu ronronar costuma ser mais alto que a média felina

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Estado Unidos
  • Pelagem: Curto
  • Atividade: Baixa
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Requer poucos cuidados
  • Filhotes: 3 a 4 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 3,5 a 7 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - pets.webshots.com
Balinês
Belo e elegante.

Esta raça é uma variação do gato Siamês. Com um porte real e uma beleza aristocrática este felino chama a atenção por sua pelagem sedosa e sua personalidade brincalhona, como a de seu ancestral. O Balinês surgiu nos EUA como resultado do cruzamento entre um Siamês e um Angorá. Com os mesmos olhos azuis, a mesma elegância e o mesmo corpo esguio do Siamês, o Balinês também possui uma pelagem de cor clara com marcações mais escuras nas extremidades. A única diferença física entre os dois felinos está no comprimento da pelagem. Enquanto a do Siamês é curta, a do Balinês é semilonga, o que lhe confere uma aparência pouco mais ‘fofinha’ apesar do corpo ser exatamente igual.

Embora sejam tão afetuosos quanto os siameses, são gatos menos falantes, com uma voz mais suave. É um gato leal e costuma eleger um membro da família a quem se dedicará integralmente. Simpático, inteligente e sociável, convive muito bem com pessoas, crianças e outros animais.
Quando sua família recebe visitas, estes gatos adoram dar boas-vindas e, sobretudo, ser cumprimentados.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Estados Unidos
  • Pelagem: Longo
  • Atividade: Alta
  • Miados: Mia moderado
  • Cuidados: Requer poucos cuidados
  • Filhotes: 4 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 2,5 a 6 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - commons.wikimedia.org
Bengal
Inteligente e selvagem.

O Bengal é fruto do cruzamento entre um felino selvagem, o Felix prionairilus bengalesis e um gato doméstico da raça American Shorthair. Este cruzamento aconteceu há 35 anos pela geneticista Jean Mill na tentativa de criar uma raça que tenha o temperamento dócil de um gato doméstico, mas com a aparência de um felino selvagem.

O Bengal é um gato robusto, de forte ossatura e musculoso. Além da marcação exótica, a textura da pelagem é única. O pelo é curto e extremamente macio ao toque, como um “cashimere”. Devido a esta textura diferente praticamente não soltam pelos.

Para os criadores, o Bengal pode ser comparado a um misto de atleta com superstar. No Brasil, atualmente existem um pouco mais de 20 criadores efetivamente registrados e a raça vem sendo cada vez mais procurada.
É um gato muito ativo, inteligente, companheiro, amoroso e adapta-se muito bem à vida em família.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Estado Unidos
  • Pelagem: Curta
  • Atividade: Alta
  • Miados: Mia moderado
  • Cuidados: Requer poucos cuidados
  • Filhotes: 3 a 5 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 6 a 9 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - Acervo Lupus Alimentos
Bombay
Pantera negra

Esta raça é uma verdadeira miniatura de uma pantera negra. Aliás, a origem deste felino se deu pelo fascínio da norte-americana Nikki Horner, de Louisville, Kentucky pelas panteras negras. A seleção dos Bombay teve início a partir de um American Shorthair preto com olhos acobreados e uma fêmea birmanesa.

O nome da raça foi inspirado no leopardo preto da cidade indiana de Bombay, terra deste incrível felino.

Depois de muitos ensaios e erros, Horner finalmente produziu os resultados que estava procurando: um gato com a pelagem curta e polida como a raça Sagrados da Birmânia e os olhos cor de cobre do American Shorthair de cor preta.

Mesmo sendo uma raça impressionante, ela foi reconhecida apenas em 1976 pelo CFA e pela TICA, em 1979.

O Bombay geralmente combina o temperamento tranquilo e natureza robusta do American Shorthair e o caráter social, curioso, colo amoroso da Burmese.

Muitas vezes podem ser treinados, são felinos que adoram brincar de “jogar” e “buscar” feito cães. São bastante criativos e sempre inventam maneiras diferentes de entreter a si e as demais pessoas com quem convive.

Estes gatinhos são bem agradáveis, inteligentes e se adaptam tanto em apartamentos quanto em casas. Ao passo que são brincalhões, são muitas vezes tidos como preguiçosos. Sua pelagem é curta, lisa e brilhante enquanto sua aparência é de um gato ágil.
Se seu desejo é ter um cão, um gato e um macaco, tenha um Bombay!

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Estados Unidos
  • Pelagem: Curto
  • Atividade: Baixa
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Requer poucos cuidados
  • Filhotes: 4 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 2,5 a 6 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - Acervo Lupus Alimentos
Bosques da Noruega
Lindo e carinhoso.

Felino conhecido como gato encantado das florestas escandinavas, esta raça era chamada de “Fada da floresta” pelos Vikings, já que a silhueta de seus ancestrais era comumente encontrada nas florestas norueguesas desde 1000 a.C. Muitos associam os Bosques da Noruega como descendentes do Angorá Turco, levado para a Escandinávia pelos próprios Vikings, pela semelhança de cores da pelagem.

Apesar de a raça ter sido oficializada em 1930, foi apenas na década de 70 que começou a participar de competições e ganhar viabilidade.

Por ser um animal originário de um ambiente frio, ríspido, chuvoso, com neve e granizo, esta raça desenvolveu uma pelagem impermeável e quase estanque.
Os Bosques Noruegueses são gatos de personalidade brincalhona, dóceis, ativos, aventureiros e de humor estável.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Noruega
  • Pelagem: Médio
  • Atividade: Média
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Cuidados básicos
  • Filhotes: 4 a 6 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 7 a 9 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - Acervo Lupus Alimentos
British Longhair
Docilidade e companheirismo

A British Longhair é uma raça novíssima no Brasil e dá seus primeiros passos no país.

Na Europa ela já é bem valorizada e desenvolvida, mais que sua versão de pelo curto, a British Shorthair.

A história da origem desta raça está associada à da British Shorthair, desenvolvida por volta de 1870 na Grã Bretanha.

Durante os bombardeios das duas Grandes Guerras Mundiais muitos gatos desta raça foram mortos chegando quase à extinção na Europa.

Para que o British Shorthair fosse salvo, alguns exemplares foram introduzidos na criação de gatos de pelo longo, como o Persa, por exemplo, que deu à raça características mais arredondadas e contribuiu para a introdução do gene de pelo longo na linhagem.

Apenas em 2008 foram reconhecidos como raça.
Caracterizam-se como sendo gatos bastante dóceis, sociáveis, brincalhões, curiosos, além de muito apegados à família que o cria.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Pelagem: Médio
  • Atividade: Média
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Requer cuidados básicos
  • Filhotes: 3 a 4 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 3 a 8 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - Acervo Lupus Alimentos / byriels.dk
British Shorthair
Amoroso e brincalhão.

Esta é, provavelmente, a raça de gatos mais antiga da Inglaterra, tendo sua origem nos gatos de rua ingleses. Algumas características da raça e registros históricos apontam para uma possível ancestralidade de gatos na época dos romanos. São bastante resistentes e saudáveis. Esta raça já foi bastante premiada por sua força física e capacidade de caça, mas logo se tornou igualmente reconhecida e valorizada por seu comportamento calmo, resistência e lealdade para com o homem.

Compactos, robustos, com grandes bochechas e olhos redondos, que dão a impressão de que estão sempre sorrindo, sua pelagem deve ser curta e aveludada. Apesar da cor azul ser a mais conhecida e procurada, existem hoje uma infinidade de cores reconhecidas pelas entidades felinas. A raça ganhou popularidade na figura do gato de “cheshire” personagem do clássico infantil “Alice no país das maravilhas”, inspirado em um gato british.

A criação da raça no Brasil, antes tímida, já conta com cerca de 10 criadores.
É sem dúvida uma das raças de gatos mais inteligentes e fáceis de treinar, por isso são muito usados para atuar em filmes e propagandas.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Inglaterra
  • Pelagem: Curto
  • Atividade: Média
  • Miados: Mia moderado
  • Cuidados: Requer poucos cuidados
  • Filhotes: 4 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 3 a 7 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - Acervo Lupus Alimentos
Burmilla
Companheiro e brincalhão.

Esta raça é uma das mais recentes do mundo felino. Surgiu em 1981, na Inglaterra, resultado de um cruzamento acidental entre uma fêmea Burmese lilás e um Chinchila macho da baronesa Miranda von Kirchberg. Cativados pela maciez de seu manto, admiradores da raça rapidamente juntaram forças para que a raça seja reconhecida internacionalmente.

Embora ainda não seja aceito em todos os países, o Burmilla dá já os seus primeiros passos nas exposições felinas. Já é aceito pela Fife, desde 1994, e pelo Governing Council of the Cat Fancy (GCCF), maior órgão de registro de felinos da Inglaterra, desde 1989.

De temperamento companheiro, doce e brincalhão, este gato possui uma grande tolerância para brincadeiras, sendo ótima companhia para crianças. As opções de cor variam entre: preto, azul, chocolate, lilás, canela, silver, vermelho, creme, tartaruga e também as cores do seu ancestral, o Burmês.
Adora interagir com elementos de seu meio, inclusive outros animais.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Inglaterra
  • Pelagem: Curto ou longo
  • Atividade: Média
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Cuidados básicos
  • Filhotes: 5 a 7 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 4 a 7 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - aboutpedigreecats.com
Chartreux
Robusto e calmo.

Embora seja um gato francês por excelência, sua origem é oriental. Os primeiros exemplares chegaram à Europa durante o século XVI, período em que o comércio marítimo se fazia intenso.

A seleção deste felino na França teve início na década de 30 pela senhorita Leger em Belle-Ile-en-Mer, ilha do Mar Atlântico localizada na costa francesa próxima ao sul da Bretanha, onde existia uma colônia de gatos azuis acinzentados com olhos amarelos.

Depois da Segunda Guerra Mundial, a raça foi ameaçada de extinção, sendo necessário para sua preservação o cruzamento com exemplares do British Blue.

Como todo francês que se preze, o Chartreux é um gatinho bastante gourmet, sendo necessário ficar de olho na sua alimentação para que não saia da linha! Este felino tem um temperamento tranquilo, quase não mia, mas é bastante expressivo, se comunicando com o dono através de um simples olhar. Mas não se deixe enganar por sua tranquilidade, pois é um gatinho bem agitado, um verdadeiro bon vivant!
É bastante companheiro e segue seu dono por aonde vai.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: França
  • Pelagem: Curto
  • Atividade: Média
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Requer poucos cuidados
  • Filhotes: 4 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 3 a 8 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - flickr.com
Chinchilla
Nobreza e encantamento.

A melhor hipótese usada para explicar a origem dos gatos persas Chinchillas é a de que teriam se desenvolvido de cruzamentos de gatos de pelo longo, os persas blue, smoke e silver tabby.

O persa Chinchilla não é uma variedade nova, eles surgiram no ano de 1880 na Inglaterra.

Uma das características que o diferencia dos demais persas e os faz tão exóticos é seu aspecto cinza-prateado. À primeira vista a impressão que temos é que o Chinchilla é um gato branco quando na realidade a variedade é dotada de um subpelo 99% branco e 1% da ponta do pelo preto.

Eles possuem olhos, nariz e boca delineados de preto e olhos que variam do verde esmeralda ao verde azulado.

Quanto à personalidade, eles possuem um caráter único, são muito dóceis e companheiros, mas não são gatinhos de vinil. Cobram nossa atenção o tempo todo e são bastante exigentes.
Por possuírem um nariz um pouco mais baixo que os demais persas, não têm dificuldades em respirar, o que lhes confere um temperamento mais flexível.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Pelagem: Longo
  • Atividade: Média ou alta
  • Miados: Mia moderado
  • Cuidados: Requer cuidados especiais
  • Filhotes: 3 a 5 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 2,8 a 4,5 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - aboutpedigreecats.com / Acervo Lupus Alimentos
Cornish Rex
Carinhoso e entusiasmado.

Apesar de ter um tipo físico semelhante às antigas estatuetas egípcias, esta raça não é originária do Egito, muito pelo contrário, seu primeiro exemplar nasceu em 1950 na Cornualha, condado localizado no sudoeste da Inglaterra.

O reconhecimento oficial da raça em seu país de origem se deu em 1967, mesmo ano em que se iniciou um programa de criação de Cornish nos Estados Unidos. Neste processo, foram introduzidos os Siameses e Orientais na linhagem genética, resultando em um animal mais ágil e de cabeça mais oval, diferente do Cornish inglês que é mais pesado e de cabeça mais triangular.

Com aparência original, corpo esguio e pelagem ondulada, densa e curta, este felino possui uma pelagem de toque suave como camurça. Eles chamam a atenção de donos de pets que apreciam animais exóticos e com estilo próprio.

Praticamente não tem troca de pelos. Divertido e bem humorado, o Cornish Rex adora brincar! É comum observarmos gatos já em idade adulta brincando feito um filhote. Possuem o dorso bastante arqueado e a ossatura bastante fina.
A raça é bastante ativa e agitada, sendo um gatinho bem falante e com voz estridente.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Inglaterra
  • Pelagem: Curto
  • Atividade: Alta
  • Miados: Mia muito
  • Cuidados: Cuidados básicos
  • Filhotes: 2 a 5 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 2,5 a 4,5 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - Acervo Lupus Alimentos / free-pet-wallpapers.com
Devon Rex
Sensível e inteligente.

O primeiro exemplar deste felino foi encontrado pelas ruas da cidade de Buckfastleigh no condado de Devon, sudoeste da Inglaterra, pela senhorita Cox na década de 60. Encantada com a pelagem encaracolada, fina e curta do felino, deu início à criação da raça a partir deste primeiro exemplar, batizado com o nome de Kirlee. A diferença principal deste gatinho com o Cornish Rex são suas orelhas pontudas, iguais às de duendes. Devido a esta característica, é conhecido como gato Alien ou ET.

Este gatinho, afetuoso e brincalhão, possui olhinhos curiosos, além de um nariz levemente arrebitado e curto. Inteligentes e simpáticos, eles apresentam um comportamento curioso, como a maioria dos felinos. As novas linhagens da raça têm sido cruzadas com exemplares de American e British Shorthairs, para ampliar e fortalecer o conjunto de gens. A personalidade do Devon pode ser descrita como uma mistura de gato com macaco. Altamente ativos e envolvidos com tudo, são ótimos saltadores e procuram se manter sempre ocupados. Esta raça é uma escolha em potencial para os alérgicos a felinos.
Muitos dos alérgicos suportam os pelos desta raça, mas é aconselhável fazer um teste antes de adquirir um exemplar.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã Bretanha
  • Pelagem: Curto
  • Atividade: Alta
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Requer poucos cuidados
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 2,5 a 4 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - aboutpedigreecats.com
Don Sphynx
Adoráveis mutantes.

Conhecidos igualmente como Donskoy ou Russian Hairless, estes exóticos gatos russos tem muito a ver com os Sphynks de origem canadense, mas possuem um pool genético diferente. O primeiro exemplar da raça foi encontrado nas ruas de Rostov-na-Donu, cidade localizada ao sul da Rússia nas margens do rio Don, em 1987. A gatinha, que se chamava Varvara, apresentava falhas em todo o pelo. Descobrindo que o gen responsável pela alopecia nos Don Sphynx era dominante, foi muito fácil fixar a mutação, ao contrário do que aconteceu nos Sphynx em que o gen era recessivo.

Esta raça possui diferentes tipos de pelagem: o Bald (ou Hairless) é um gato que já nasce sem pelos e permanece assim a vida toda; já o Flocked aparenta não ter pelos, mas possui uma fina e curta pelagem e a textura lembra o “chamois”, aveludada; o Velour nasce com áreas sem pelos na cabeça e no corpo tem uma fina pelagem ondulada, que desaparece no primeiro ano de vida; o Brush nasce com pelagem ondulada e áspera no corpo e possui áreas sem pelo na cabeça e pescoço.

São gatos dóceis, extremamente companheiros e brincalhões. Precisam de banhos frequentes por conta da oleosidade da pele. As orelhas devem ser limpas semanalmente e as unhas devem ser aparadas, para evitar que se machuquem. Precisam evitar o sol entre 10h00 e 15h00 e utilizar protetor solar.

Como todos os gatos, são dorminhocos, especialmente no inverno.
No inverno, nos dias mais frios, devem ser protegidos com cobertores e roupinhas.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Rússia
  • Pelagem: Curto
  • Atividade: Alta
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Requer poucos cuidados
  • Filhotes: 4 a 6 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 2,5 a 5 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - freewebs.com / aleqt.com
Egyptian Mau
Elegante e leal.

O Mau Egípcio é um gato fascinante não só pela sua história passada, mas por causa de sua personalidade agradável e aparência impressionante.

O Mau, cuja palavra egípcia significa ‘gato’, é um felino que foi venerado durante o Antigo Egito e, segundo as lendas, simbolizava os Deuses Rá e Bast. Dizem até que a marca distinta que estes felinos possuem na testa se assemelha ao escaravelho sagrado dos egípcios. Uma prova disto é que ele tem sido claramente identificado na arte deste povo sempre com o desenho deste símbolo na testa dos gatos representados nos murais, papiros e afrescos egípcios.

Sua história na América do Norte começou com a sua importação em 1956 pela princesa russa exilada, Troubetskoy Nathalie, com um exemplar vindo diretamente do seu país de origem.

Animal extremamente inteligente, o Mau coloca uma grande importância à família, tanto humana como sua própria, e é ferozmente leal em sua devoção a eles.

São gatos moderadamente ativos e expressam sua felicidade ‘rindo’ em uma voz suave e melodiosa. O Mau Egípcio se distingui por ser a única raça de gato doméstico manchada naturalmente.
Com expressivos olhos verdes e um andar gracioso, não é à toa que estes gatos fazem o maior sucesso em exposições felinas em todo o mundo.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Egito
  • Pelagem: Curto
  • Atividade: Média
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Requer poucos cuidados
  • Filhotes: 3 a 6 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 2 a 5 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - my-cat.org / en.wikipedia.org
Exótico
Ursinho brincalhão.

O Exótico é um gato criado artificialmente, pensado pelo homem. Tudo começou com o desejo de criadores norte-americanos da raça American Shorthair em obter persas silver com os olhos verdes, bonitos, dóceis, de bom temperamento e de fácil asseio. Como os persas dão trabalho com a escovação de sua pelagem, estes criadores resolveram unir o útil ao agradável e criar uma raça com o temperamento do persa, mas com uma manutenção mais prática. Assim, no início dos anos 60, com o cruzamento do Persa com um American Shorthair. Posteriormente os criadores optaram por cruzar com o Burmese, em função de seu tipo de corpo, além de outras raças como o Russian Blue, pela sua pelagem densa e dupla. Cada geração de outcross depois era cruzada novamente com Persas para manter o padrão.

A pelagem desta raça é curta e densa. Calmos e superpacientes, estes gatos gostam bastante de estar com o dono e de demonstrar seu afeto. Esfregam-se, chamam e puxam as pessoas para chamar atenção e demonstrar carinho. A raça possui diversos criadores no Brasil.
São gatos que dormem bastante e, quando o dono não está em casa, costumam aproveitar para descansar.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Estados Unidos
  • Pelagem: Curto
  • Atividade: Média
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Requer poucos cuidados
  • Filhotes: 1 a 3 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 3 a 4 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - Acervo Lupus Alimentos
German Rex
Encaracolado e exótico.

Tamanho médio, forte e musculoso.

Esta raça ainda é rara no mundo e acredita-se ser o gato de pelagem encaracolada mais antigo.

O primeiro exemplar foi Munk, um macho azul resultado do cruzamento entre um Angorá e um Russian Blue, feito pela Sra. Schneider na cidade de Königsberg, ao leste da antiga Prússia em 1930. No entanto, a raça como conhecemos hoje foi desenvolvida pelo Dr. Rose Scheuer-Karpin que a desenvolveu em 1951.

A pelagem encaracolada foi incorporada às características destes felinos através do cruzamento com gatos da raça Cornish Rex.

São gatinhos bem brincalhões, bem como a maioria dos felinos, além de serem leais aos seus donos e muito amáveis.

Embora tenha uma pelagem encaracolada, seus cuidados são fáceis, sendo necessárias escovações regulares.

Quanto às cores, podem aparecer exemplares de qualquer padrão: existem até German Rex colorpoints, chamados de Si-Rex.
Este felino é bastante ativo, mas possui um temperamento gentil, paciente e um estado de espírito constante.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Alemanha
  • Pelagem: Curto
  • Atividade: Média
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Requer poucos cuidados
  • Convivência: Ótimo convívio
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - commons.wikimedia.org / baranska.org
Golden
Fogo e paixão.

O persa Golden, ou persa dourado, é mais uma variação de persas originários da Grã-Bretanha. Os Goldens surgiram a partir de trabalhos com linhas de criação de Silvers no ano de 1880.

Ainda são raros e pouco conhecidos. Uma das hipóteses de seu aparecimento foi devido entre outros fatores à combinação do Gene Inibidor Branco e o Gene Tabbye a outra é que houve uma mutação genética inexplicável que provocou a mutação do inibidor branco.

Os primeiros Goldens foram registrados e expostos na CFA (Cat Fanciers Association) em meados de 1925. As extremidades de seus pelos apresentam coloração preta e aqui aparece o gen agouti onde cada pelo apresenta bandas de cores mescladas de preto e apricot, conferindo um belo efeito dourado à pelagem.

O queixo, os tufos das orelhas, o peito e a barriga devem apresentar uma coloração creme quente e muito suave, bem mais clara que o subpelo dourado, os olhos verdes contornados de preto, assim como o contorno da boca e focinho.
A variedade possui um pelo longo em sua maioria, mas também já existem Goldens de pelo curto, sendo mais exóticos. Quanto ao temperamento, como todo persa, eles são dóceis, brincalhões e companheiros.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Pelagem: Curto ou Longo
  • Atividade: Alta
  • Miados: Mia moderado
  • Cuidados: Requer cuidados básicos
  • Filhotes: 3 a 4 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 2,8 a 4,5 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - aboutpedigreecats.com / picsicio.us
Havanna Brown
Rara e encantadora

O que chama mais atenção nesta raça é sua cor marrom chocolate que lembra muito a coloração dos charutos cubanos de Havana, capital de Cuba. No entanto, a origem destes felinos não é cubana, mas sim inglesa.

Na Grã-Bretanha, existem gatos marrons desde 1890, mas o primeiro exemplar da raça surgiu apenas durante a década de 50. Variação dos gatos Siameses, o Havana Brown foi aprimorado por criadores britânicos através do cruzamento de gatos das duas raças. No entanto, são bem mais quietos que seus compatriotas Siameses.

Nos EUA, chegaram ainda durante os anos 50 e logo foram reconhecidos como raça pela GCCF, em 1958.

A Havana é uma raça muito extrovertida que adora seguir o seu dono por toda parte. Muito rara, estima-se que existam menos de 1.000 exemplares em todo o mundo.

Sua pelagem é brilhante e lisa, como um vison de luxo. Seus grandes olhos verdes com forma oval e orelhas inclinadas para frente dão ao felino uma expressão de ‘sempre alerta’. Ao passo que possui um corpo firme e musculoso, se mostra elegante e gracioso ao caminhar.

Com uma voz suave, intimista e encantadora, eles são gatinhos bastante expressivos, sendo comum estenderem a pata como forma de fazer contato ou para investigar curiosidades.
Doce e afetuoso, é um gato ideal para quem procura um amigo sociável e inteligente.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Pelagem: Curto
  • Atividade: Alta
  • Miados: Média
  • Cuidados: Requer poucos cuidados
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 2,5 a 6 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - kittykondo.com / pictures-of-cats.org
Himalaia
Doçura e meiguice.

O Himalaia reúne os detalhes mais sedutores do Persa à sofisticação do colorido em dégradé do Siamês. A raça Himalaia é a única variedade de gato Persa não reconhecida como tal por muitos, apesar de terem características físicas de Persas e de se reproduzirem sem perderem esta tipicidade. A questão é que a pitada de sangue Siamês que carrega acabou por causar rebuliço na criação, com reflexos presentes até hoje. Por conta disto, esta raça tem uma história muito confusa.

Ainda existem muitas controvérsias sobre a classificação desta raça. No entanto, os Himalaias são apreciados e reconhecidos por todas as associações de registro de felinos, sendo uma das variedades do gato Persa que mais registra filhotes em todo o mundo.

São gatos muito caseiros, gentis e afetuosos, além de aprenderem tudo muito rapidamente. Embora sejamos dorminhocos, uma vez despertos, são bastante brincalhões e ativos! Gostam de seguir uma rotina diária e de conviver com pessoas da casa, como um membro da família. A raça possui diversos criadores no Brasil, tão bons quanto europeus ou americanos.
Muito companheiros e extremamente carinhosos, muitos os consideram como o companheiro ideal nesta moderna e movimentada sociedade em que vivemos.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Estados Unidos
  • Pelagem: Longo
  • Atividade: Baixa
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Requer cuidados especiais
  • Filhotes: 6 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 5 a 6 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - fantom-xp.com / wikimedia.org
Japanese Bobtail
Afortunados e habilidosos

Fonte de inspiração para os famosos gatinhos de cerâmica japoneses com a pata levantada, os Maneki Nekos, esta raça existe no Japão há pelo menos 1.000 anos. Os Bobtails habitavam os templos sagrados dos nipônicos e eram considerados, durante o século VII, como símbolos da amizade. Importados para os EUA em 1968, apenas no tipo pelo curto num primeiro momento, começaram a participar de campeonatos apenas em 1976.

A característica que mais chama a atenção nesta raça é sua cauda, que se assemelha a um rabo de coelho, medindo apenas entre 8 e 10 centímetros.

É um gatinho bastante simpático, ativo, inteligente e falante. Embora gostem de se comunicar, não são felinos barulhentos e nem possuem um miado alto. No entanto, podem emitir uma incrível variedade de sons.

São gatos fortes e saudáveis, com uma baixa taxa de mortalidade e alta resistência a doenças. Comparado às outras raças, geralmente amadurecem mais cedo que as demais. Adoram carregar coisas na boca e desfrutar de um bom jogo de esconde-esconde.
Mestres na arte de dar o bote, eles gostam de andar sobre os ombros dos donos.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Japão
  • Pelagem: Curto ou longo
  • Atividade: Alta
  • Miados: Mia moderado
  • Cuidados: Requer poucos cuidados
  • Filhotes: 3 a 4 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 2,5 a 4 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - pets.webshots.com / free-pet-wallpapers.com
Korat
Expressivo e afetuoso

Esta raça é conhecida e admirada por amantes dos felinos pelo elegante casaco azul prateado que cobre seu corpo, seu rosto em forma de coração e seus lindos olhos verdes.

Na Tailândia, seu país de origem, eles são chamados de “Si-Sawats” e considerados como “amuletos” de sorte. Para este povo, a cor prata do felino simboliza a riqueza, pois o cinza representa as nuvens de chuva, essenciais para boas colheitas.

De história muito antiga, os primeiros documentos que comprovam o surgimento destes gatinhos remontam ao século 14. Um deles é um livro de pinturas e versos antigos, conhecido como ‘O Gato Livro Poemas’, encontrado na Biblioteca Nacional de Bangkok, na capital do país.

Ao longo de todas estas décadas, Korats nunca foram cruzados com outras raças, não tendo gens de outros felinos em sua linhagem, nem sendo “raça-mãe” de outras raças que surgiram depois deles.

O primeiro Korat foi importando pelos EUA em 1959, sendo reconhecido como raça pela Cat Fancier’s Association (CFA) em 1967.

Felinos inteligentes, enérgicos, companheiros e afetuosos, eles são bastante apegados aos donos. Aliás, a raça foi acarinhada durante séculos pelos tailandeses, o que os torna gatinhos muito gentis.

Gatos que participam de competições devem ser treinados desde filhote para suportarem ruídos.
Dotados de enorme habilidade sensorial, não apreciam barulhos repentinos ou agressivos aos seus sentidos aguçados.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Tailândia
  • Pelagem: Curto
  • Atividade: Média
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Requer poucos cuidados
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 2,5 a 4,5 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - commons.wikimedia.org
La Perm
Exóticos e extrovertidos

Desconhecidos no Brasil, os La Perm têm uma legião de seguidores em seu país de origem, os EUA.

Em 1982, em uma granja no Óregon, EUA, uma gata deu cria e uma das fêmeas nasceu completamente sem pelos. Ela foi batizada de Curly por sua proprietária, a granjeira Linda Koehl. Dois meses depois a gata estava coberta por uma pelagem sedosa e encaracolada. Durante 5 anos, Linda criou muitos gatos de pelo encaracolado que são os ancestrais da raça La Perm, resultado de uma mutação de um gen dominante que produz a estranha pelagem.

Os exemplares de pelo largo costumam apresentar uma cauda impressionante: muito densa que começa a se encaracolar a partir da metade e segue assim até a ponta. Apresentam áreas mais encaracoladas na parte do pescoço, orelhas e laterais do corpo.

Uma curiosidade é que os filhotes nascem sem pelo, mas apresentam marcas do tipo tabby em que já se pode ver onde nascerá o pelo encaracolado.

Ativos e brincalhões, eles são excelentes caçadores, muito extrovertidos e curiosos. Sua voz é doce e suave. Também são muito apegados aos donos. Soltam pouco pelo e uma escovação ocasional é suficiente para a manutenção da pelagem.
Se você é daqueles que gostam de gatos que se esfregam, ronroneiam quando você chega perto e adoram 'amassar pãozinho' na sua barriga, definitivamente a sua raça é a La Perm.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Estados Unidos
  • Pelagem: Curto ou longo
  • Atividade: Média
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Requer poucos cuidados
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 3,5 a 5,5 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - lapermfanciers.com / laperm.wordpress.com
Maine Coon
Gigante e gentil.

Não se deixe enganar pelo seu tamanho. Apesar de ser um grande bichano que impressiona por seu exotismo, é um felino muito dócil.

Uma das raças naturais mais antigas da América do Norte, o Maine Coon é considerado como um nativo do Estado do Maine.

A maioria dos criadores de Maine Coon acredita que a raça originou-se do cruzamento entre gatos domésticos de pelos longos, preexistentes no local, com gatos de pelos longos que atravessaram o mar junto com o homem.

Os Maine Coons estabeleceram-se no Estado de Maine há mais de um século como uma raça forte e amável de gato doméstico, bem “equipado” para sobreviver ao inverno hostil da Nova Inglaterra.

Tudo no Maine Coon favorece para a sua fácil adaptação a um clima áspero. Sua pelagem é lisa, lustrosa, pesada e à prova d’água, não parece com a de nenhuma outra raça e deve ser sentida para ser apreciada. É mais longa na região da barriga e peito para proteger do contato com a neve e mais curta nas costas e no pescoço.

A cauda é longa e peluda e o gato costuma envolvê-la em torno de si quando dorme para proteger-se dos invernos frios.

São brincalhões e dormem menos que as outras raças, pois são mais alertas e curiosos. Todas as cores existentes exceto as ponteadas (Siamês). Existem criadores no Brasil.
Os pés grandes, redondos e com tufos de pelos servem como "sapatos de neve".

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Estados Unidos
  • Pelagem: Longo ou curto
  • Atividade: Média
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Cuidados básicos
  • Filhotes: 4 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 4 a 9 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - Acervo Lupus Alimentos
Manx
Brincalhão e fofo.

A origem da raça remonta há centenas de anos na Ilha de Manque, localizada entre a Inglaterra e a Irlanda. Como todos os navios da rota comercial europeia daquele tempo possuíam gatos, é difícil dizer qual exemplar foi o principal ancestral destes felinos.

Muitos acreditam que a raça teve origem a partir de uma mutação de gatos domésticos da própria ilha.

O que mais chama a atenção neste bichano é a ausência de cauda, sendo a única raça além do Cymric a apresentar esta característica. Atualmente já sabemos que esta característica se dá por uma mutação espontânea destes felinos. Além disso, o Manx também é conhecido por sua aparência robusta e arredondada.

Estes felinos possuem uma cabeça e bochechas bem arredondadas, além de um olhar doce e desamparado o que lhes conferem uma aparência fofa e meiga, mais acentuada nos machos que em fêmeas.

Outra diferença da espécie é seu formato dorsal arcado por suas pernas dianteiras serem mais curtas que as traseiras. Ao correr, o felino se assemelha a um coelho e vai quase aos saltos. São gatinhos brincalhões, afetuosos, inteligentes e fiéis como cães.
Em geral são caseiros, mas possuem ótimos reflexos e caçam muito bem! Não são muito comunicativos e sua pelagem é sedosa e suave ao toque.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Pelagem: Curto ou longo
  • Atividade: Média
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Requer poucos cuidados
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 3,5 a 5,5 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - Acervo Lupus Alimentos / aboutpedigreecats.com
Munchkin
Brincalhão e amável.

Exótico e raro mundialmente, inclusive nos EUA seu país de origem, este gatinho de pernas curtas nunca passa desapercebido!

O Munchkin é o único gato de pernas curtas, cerca de 1/3 do tamanho normal. Esta característica peculiar da raça é decorrente de um gene equivalente aos que existem nas raças de cães Dachshunds e Welsh Corgis.

Muitos estudos giram em torno desta raça para abordar as dificuldades do gato em se coçar e lamber o corpo todo e seu péssimo desempenho como caçador, mas, para quem conhece a raça, seu temperamento amável, dócil, sociável e divertido está acima de qualquer uma destas especulações.

Este gatinho é uma figurinha bem engraçada. Quando anda, sacoleja muito o traseiro, como se estivesse rebolando e, quando quer espiar algo com mais alcance, senta nas patas traseiras e levanta as dianteiras, como fazem os coelhos.
Uma vantagem de se ter um gato com pernas curtas é que o Munchkin não consegue pular em cima das mesas e do fogão para roubar comida. No entanto, este pequenino tem uma maior facilidade para passar em locais baixos e em vãos pequenos.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Estados Unidos
  • Pelagem: Curto ou Longo
  • Atividade: Média
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Requer cuidados básicos
  • Filhotes: 4 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 3 a 5 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - eanimalclassifieds.com / cat-breed-info.com
Napoleon
Pequeno e fofo.

Esta raça pode ser definida em duas palavras: Persa “Toy”. Resultado do cruzamento entre o Munchkin e o Persa, este felino possui características destas duas raças. É dotado das formas arredondadas do Persa e é pequenino como os Munchkins.

Se estiver à procura de um gato brincalhão e que requer poucos cuidados com a pelagem, esta raça é ideal! São gatos muito brincalhões, amáveis, simpáticos e adoram ser acariciados. Sua pelagem, que pode ser curta ou longa, exige apenas uma escovação semanal.

Apesar de suas pernas curtas, possui um andar ligeiro e bem engraçadinho. Não é um gato de grande vocalização e seu nível de atividade é médio. Existe em todas as cores.
Possui uma grande tolerância para brincadeiras e adora crianças e outros animais.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Estados Unidos
  • Pelagem: Curto ou longo
  • Atividade: Média
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Requer cuidados básicos
  • Filhotes: 4 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 3 a 5 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - designercatnetwork.com / the-dwarf-cat-association.com
Oriental
Exótico e enigmático.

Esta raça foi desenvolvida por uma criação organizada na Europa, por volta dos 1950, que tinha o intuito de explorar possibilidades de cores e padrões bem amplas e diversas.

Assim, o Oriental surge do desejo de alguns criadores de produzir gatos com o corpo alongado típico do Siamês, mas que, diferentemente dele, apresentassem outras colorações que não a ponteada. Para tanto, promoveram acasalamentos entre Siameses e exemplares sem raça definida. Não demorou muito até que atingissem o objetivo.

Hoje o Oriental apresenta dezenas de cores e marcações de pelagem. Seu batismo homenageia a região de origem de seu ancestral de raça: o Siamês, que nasceu no Oriente, precisamente no Sião, atual Tailândia.

Da ponta do nariz à extremidade da cauda longa, o Oriental é um estudo de design elegante. Este gato, ao caminhar, desliza graciosamente com suas pernas finas e altas.

Mas não se deixe enganar pelo corpo esbelto, pois não são gatos frágeis.

É um gatinho cheio de energia, tanto que escalar, brincar, saltar e perambular é com ele mesmo! Carinhosos e participativos, eles são daqueles que seguem as pessoas pela casa. É uma raça interativa que gosta de expressar-se, vocalizando seus estados afetivos.
Observadores e perspicazes, estes gatos aprendem diversas habilidades como abrir portas, por exemplo.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Tailândia
  • Pelagem: Curto ou longo
  • Atividade: Alta
  • Miados: Mia moderado
  • Cuidados: Requer poucos cuidados
  • Filhotes: 4 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 2,5 a 4 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - Acervo Lupus Alimentos
Pêlo Curto Brasileiro
Carismática e carinhosa.

A raça surgiu em 1985, com a ideia do criador Paulo Ruschi, que teve como base os gatos de rua transformados em raça: American Shorthair e British Shorthair”.

Paulo observou que os gatos de rua brasileiros tinham uma origem e tipologica bem caracteristica oriunda de gatos vindo com as embarcações portuguesas mais semelhantes ao gato da península Ibérica, diferentemente do gato pelo curto europeu predominante do resto da Europa.

Por isso estes tipos encontrados mereceram um estudo bem aprofundado na época conduzido por Paulo. Hoje passados mais de vinte e dois anos, o Pêlo Curto Brasileiro é reconhecido pela WCF e se firma cada vez mais, sendo bem cotado no Exterior.

Caracteriza-se como um gato de índole dócil, inteligente, adora ser acariciado e não dispensa um bom colo. Chega, muitas vezes, a ser protetor de seu dono. É uma raça brincalhona, adora bolinhas tipo pingue-pongue, bolinha de papel, etc. O macho costuma ser um excelente pai, revezando com a fêmea no cuidado aos filhotes.
No Brasil, em 1998, saíram numa série de selos intitulada Raças Brasileiras, num claro reconhecimento nacional da raça.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Brasil
  • Pelagem: Curto
  • Atividade: Média
  • Miados: Mia moderado
  • Cuidados: Requer poucos cuidados
  • Filhotes: 4 a 6 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: Até 4kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - felineaddiction.com / maisquecuriosidade.blogspot.com
Persa
Tranquilo e glamouroso.

Os primeiros exemplares da raça vieram da Pérsia (atual Irã) para a Europa, onde eram até então desconhecidos.

Através de novos acasalamentos deram origem aos atuais Persas conhecidos mundialmente.

No século XVII chegaram os primeiros Persas na Itália, trazidos por Pietro Della Valle. Tempos depois foram trazidos da Turquia gatos do tipo angorás.

De futuros acasalamentos surgiram os Persas de pelagem longa. Com o tempo, foram aprimorando acasalamentos que valorizavam a longa pelagem e a diversificação de cores e marcações.

A característica marcante do Persa é sua pelagem densa, macia e longa. São felinos com um grau de atividade baixo. Na fase adulta, brincam, são sociáveis, mas nada, nada agitados! Muito mais fácil ver um Persa descansando e enfeitando um sofá do que pulando e saltando sobre os móveis.

Sem dúvida alguma, criadores de Persas representam a grande fatia de criadores de felinos no Brasil. Os valores dos Persas são definidos de acordo com o padrão que o filhote apresenta.
É um gatinho calmo, doce, afetuoso, delicado e extremamente sociável.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Irã
  • Pelagem: Longo
  • Atividade: Baixa
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Requer cuidados especiais
  • Filhotes: 2a 5 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 3 a 5,5 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - Acervo Lupus Alimentos
Pixie-Bob
Companheiro e dócil.

A lendária ancestralidade da raça Pixie-Bob está diretamente relacionada com o cruzamento entre gatos selvagens e domésticos, chamados comumente de Bobcats, nos celeiros e fazendas das diversas áreas geográficas dos EUA.

O surgimento do Pixie-Bob se deu em 1985 quando um pequeno Bobcat Red Coastal cruzou com uma gata polidactia (número de dedos superior ao normal).

Os gatos desta raça são extremamente quietos e muito inteligentes. Muitos se referem aos Pixie-Bobs como cães disfarçados de gatos, já que são facilmente adestráveis, podendo até ser treinado a passear de coleira.

Amorosos e muito dedicados à família, eles preferem estar com seus donos o tempo topo. Estes felinos são perfeitos pets para casas ou apartamentos, pois não possuem hábitos destrutivos e não são muito comunicativos.
É excelente caçador, mas prefere a tranquilidade da casa à aventura

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Estado Unidos
  • Pelagem: Curto ou longo
  • Atividade: Média
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Requer cuidados básicos
  • Filhotes: 3 a 6 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 2,5 a 10 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - pixiebob-blog.com / thegenusgenius.com
Ragdoll
Beleza e alegria.

A história do Ragdoll começou em 1963, em Riverside, na Califórnia, com uma senhora chamada Ann Baker que tinha uma gata tipo angorá branca chamada Josephine. Certo dia esta gata se envolveu em um acidente de carro, sendo levada a um hospital veterinário onde se recuperou sem nenhuma sequela.

Durante seu período de recuperação, Josephine se tornou uma gata mais socializada e confiante.

Após este período, a gatinha passou a ter suas ninhadas na varanda da Senhora Pennel, vizinha de Ann, e seus filhotes passaram a ter um estreito contato com pessoas da família.

Estes gatinhos também foram descritos como sendo grandes, sem disposição para brigas e com uma alta tolerância a dor. Ann se interessou por essas mudanças no comportamento dos gatinhos e começou uma série de cruzamentos com três filhotes de Josephine.

Os valores dos filhotes variam muito com o tipo e marcação do animal. Já existem criadores no Brasil.
É uma raça muito brincalhona e com boa disposição para brincadeiras. Adoram brincar com bolinhas, laser, entrar dentro de caixas, sacos, etc.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Estados Unidos
  • Pelagem: Longo
  • Atividade: Média
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Requer cuidados básicos
  • Filhotes: 4 a 8 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 4 a 7 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - Acervo Lupus Alimentos
Russian Blue
Companheirismo e amor.

Pouco se sabe sobre a história desta raça, mas muitas lendas giram em torno de sua origem. Muitos acreditam que os Russian Blues são descendentes dos gatos criados pelos czares russos, que presenteavam pessoas próximas e queridas com um exemplar. Assim, ter um azul russo era sinônimo de ser próximo à realeza. Rumores dizem que a rainha Victoria, da Inglaterra, tinha um gato da raça.

Depois de muitas guerras e revoluções, a raça foi quase extinta e sua criação foi retomada em meados dos anos 60. No entanto, ainda é uma raça rara e difícil de encontrar. Existem ótimos exemplares sendo criados nos EUA, na Europa e no Japão e, agora, no Brasil.

Esta raça é muito apegada ao dono, é companheira e tem um temperamento bem ativo, adorando brincadeiras de todos os tipos.
É um gato muito prático, pois nunca precisa de banho, a pelagem não embola, cai muito pouco. A única manutenção é cortar unhas e limpar olhos e ouvidos.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Rússia
  • Pelagem: Curto
  • Atividade: Alta
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Requer poucos cuidados
  • Filhotes: 4 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 2,5 a 4 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - Acervo Lupus Alimentos
Sagrado da Birmânia
Companheiro e inteligente.

As lendas que giram em torno de sua origem são muitas. Acredita-se que este gato tenha suas origens na Birmânia e era considerado sagrado, pois era companheiro dos sacerdotes Kittah. No entanto, lendas à parte, é fato que a raça foi salva da extinção na década de 20 pelos franceses.

Assim, atualmente a França é tida como o seu país de origem, visto que não existe um pedigree no mundo que não tenha um ancestral de origem francesa.

É uma raça muito ativa e brincalhona, além de gatos interativos, sendo muitas vezes chamados de “gato-cachorro”.

Toleram bem as brincadeiras e afagos, mas os machos geralmente têm o temperamento mais dócil que as fêmeas, embora quando castrados, ambos apresentam basicamente o mesmo grau de afetividade.
São animais robustos e não se tem notícias de nenhuma doença específica associada à raça.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: França
  • Pelagem: Longo ou médio
  • Atividade: Média
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Requer poucos cuidados
  • Filhotes: 3 a 4 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 3 a 7 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - commons.wikimedia.org / Acervo Lupus Alimentos
Savannah
Alto e exótico.

A raça teve sua origem em meados dos anos 80, nos EUA, no cruzamento do serval africano com uma gata doméstica. Este cruzamento originou uma gata híbrida, cujo nome era “Savannah”, que se transformou num pet muito interessante, pois agregava o visual selvagem ao temperamento doméstico.

Apesar de não ter sido utilizada na reprodução, este pet foi a inspiração para que muitos criadores da época concentrassem seus esforços na criação desta nova raça, que levou seu nome.

São extremamente interativos. Um Savannah é capaz de brincar por muito tempo com o dono e fazer um número excessivo de repetições de um mesmo exercício, quando solicitado.

Convive bem com crianças, outros gatos e outros animais, mas como a raça é mais próxima do selvagem, sugerimos cuidado com relação a aves pequenas. O tamanho e o peso médio da raça dependem da geração de distância do selvagem.
A Savannah F1 “Scarlett's Magic” criada pelo gatil A1 Savannahs é considerada pelo livro Guinness Book of World Records o mais alto gato pet do mundo. Nas gerações seguintes a altura vai diminuindo até ficar próximo ao gato doméstico nas gerações F4 e F5.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Estados Unidos
  • Pelagem: Curto
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Requer poucos cuidados
  • Filhotes: 2 a 5 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 4,5 a 11 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - terradecego.com.br / pictures-of-cats.org
Scottish Fold
Leal e exótico.

Em 1951, uma gata de fazenda, da cidadezinha de Coupar Angus, na Escócia, deu à luz uma gatinha branca, a Susie, que tinha a interessante característica de ter as orelhas dobradas para frente e para baixo. O pastor Willian Ross, apaixonado por gatos, decidiu estabelecer a partir dessa gatinha uma nova raça, a qual foi chamada de “Scottish Fold” (dobra escocesa). Desde então muitos têm se rendido aos encantos dessa característica exótica e peculiar.

Existem duas versões desse gato: os de pelo curto, chamaos apenas de Scottish Fold e os de pelo longo, conhecidos por Scottish Fold Longhair ou Highland Fold.

Quanto ao seu temperamento, são gatos brincalhões, sociáveis e muito apegados ao dono. O principal cuidado que se deve ter com a raça é com as orelhas, limpando-as uma vez por semana.

O custo de um filhote da raça varia dependendo do padrão, das dobras das orelhas e também da cor. No Brasil existem 4 criadores.
Gostam de interagir com humanos e mesmo depois de adultos continuam gostando de brincar.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Escócia
  • Pelagem: Curto ou Longo
  • Atividade: Média
  • Miados: mia pouco
  • Cuidados: Requer poucos cuidados
  • Filhotes: 3 a 4 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 3 a 8 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - Acervo Lupus Alimentos / shanalogic.com
Siamês
Personalidade e beleza.

Esta raça tem fascinado povos ao redor do mundo desde o fim do século XVIII, quando foram exportados de seu país de origem.

Considerados como gatos sagrados no Sião, região que hoje corresponde à Tailândia, não eram vendidos, mas sim dados como presentes a pessoas estimadas. Era uma honra receber este gato como presente de um nobre.

A raça chegou na Europa pela Inglaterra no ano de 1884 quando um conselheiro inglês recebeu um lote de gatos como presente do rei do Sião. Desde então os Siameses se tornaram cada vez mais populares no país e eram muito bem tratados pelo governo da Inglaterra.

Os ingleses têm muito a ver com a história desta raça, pois foram eles que organizaram pela primeira vez, no final do século XIX, a criação de gatos de raça e a primeira exposição de Siameses, que aconteceu no Crystal Palace.

Estes gatos são imbuídos de um temperamento extremamente brincalhão. São gatos que adoram correr, saltar, tendo um grande grau de atividade.
Bastante falantes e muito afetuosos com o dono, são gatinhos bem exigentes.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Tailândia
  • Pelagem: Curto
  • Atividade: Alto
  • Miados: Mia moderado
  • Cuidados: Requer poucos cuidados
  • Filhotes: 4 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 2,5 a 4 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - Acervo Lupus Alimentos
Siberiano
Lindos e cativantes.

Não se sabe exatamente quando e como apareceram os Siberianos, mas acredita-se que seja uma mistura de gatos selvagens do norte da Rússia com outros gatos domésticos vindos da Turquia.

Apesar de só terem ganhado o mundo a partir de 1990, eles existem na zona de San Petersburgo há mais de 1.000 anos. É uma das raças de florestas, juntamente com o Maine Coon e o Bosque da Noruega, que apresentam uma morfologia intermediária entre estes. É um gato forte, grande e muito ágil.

O Siberiano é um gato que adora receber atenção e carinho do seu dono. É meigo, fiel, dócil e paciente com crianças e prefere manter distância das pessoas desconhecidas e se dá bem com outros animais de estimação.

Destemido e brincalhão, dono de um coração enorme, cativa todas as pessoas da família sem o menor esforço.
Também chama a atenção o extremo apego que a raça demonstra ao seu dono e o seu comportamento “canino”, ou seja, de ativa interação com a pessoa de sua preferência.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Rússia
  • Pelagem: Médio ou Longo
  • Atividade: Médio
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Requer poucos cuidados
  • Filhotes: 3 a 6 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 4 a 9 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - Acervo Lupus Alimentos
Silver Shaded
Gato prateado

O histórico dessa raça tem início no século XVII, porém somente no final do século XIX começaram os programas de criação.

Uma das hipóteses mais aceitas por criadores que explica a origem dos Persas Silvers é a de que eles tenham sido desenvolvidos a partir de cruzamentos entre gatos de pelo longo blue, smoke e tabby.

Acredita-se que tenham surgido por volta de 1880, portanto é uma das variantes mais antigas feitas pelo homem, tendo sido reconhecida oficialmente no Palácio de Cristal em Londres em 1894.

A cor prateada associada com lindos olhos blue-green o classifica como uma das cores nobres da raça “Persa”. Uma das características que mais chamam atenção nesta raça é sua pelagem longa, densa e sedosa, com uma cor branca como a neve e pontas pretas, dando um aspecto prateado ou sombreado.

Os Silvers são extremamente inteligentes, carinhosos, dóceis, sensíveis e brincalhões, se expressam das mais variadas formas, mostrando os seus desejos, como se falassem apenas com o olhar.
Sua tolerância para brincadeiras é alta, qualquer coisa torna-se um motivo para diversão!

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Grã-Bretanha
  • Pelagem: Longo
  • Atividade: Baixa
  • Miados: Mia pouco
  • Cuidados: Requer cuidados especiais
  • Filhotes: 3 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 2,5 a 5 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - mcbcats.com / Acervo Lupus Alimentos
Sphynx
Raros e exóticos

Em 1966 um gato doméstico deu à luz um gatinho sem pelos em Toronto, Canadá. A mutação que ocasionou o surgimento de gatos sem pelos é natural e comum em diversos países.

Esta raça, além de possuir características físicas bem diferentes dos demais felinos, é dona de uma personalidade que se parece mais com a de um cão que à de um gato.

O exotismo do Sphynx se dá pela ausência de pelos, que exige cuidados e uma atenção maior do dono. Como a pele tem muita oleosidade, necessita de uma limpeza diária com lenços umedecidos, além de banhos semanais.

Estes felinos são saudáveis, robustos e musculosos. A pele é suave ao tato e sua temperatura interna é mais alta que em outras espécies. Mesmo com esta temperatura mais elevada, é sensível ao frio e adora se esquentar em tudo que pode ser usado como cobertor!

Muito dependente do dono, é muito carinhoso e se derrete todo quando recebe mimos e carinhos.
O Sphynx é extremamente curioso e adora ser o centro das atenções. Executam “gracinhas” para o seu entretenimento e às vezes são completamente desajeitados.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Canadá
  • Pelagem: Ausente
  • Atividade: Alta
  • Miados: Mia moderado
  • Cuidados: Requer cuidados especiais
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 3,5 a 5 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - Acervo Lupus Alimentos
Turkish-Angora
Inteligente e divertido

O Turkish surgiu nas montanhas e florestas da Turquia, onde desenvolveu uma inteligência e resistência que os permitiu sobreviver num ambiente hostil.

Seu corpo e pés longos e delgados permitiram que fugissem do perigo, enganando seus predadores naturais.

Sua pelagem fina, sedosa e abundante mantinha-os aquecidos no inverno rigoroso, enquanto durante o verão sua pelagem se tornava escassa para resistir ao calor tórrido da Turquia.

É uma raça documentada desde meados do século XV e estima-se que tenha sido a primeira raça de pelos longos a chegar à Europa, no final do século XVI.

O Turkish é um grande companheiro. É um gatinho bem falante, principalmente quando necessita de alguma coisa ou quer atenção, mas não mia à toa.

Brincalhão, sem perder o interesse pelos brinquedos mesmo com idade avançada, tolera bem as brincadeiras de cães e demais raças de gatos.
Embora tenha costume de eleger um "dono" preferido, é carinhosa com todos os integrantes da casa, incluindo as visitas, a quem gosta de recepcionar.

CARACTERÍSTICAS

  • País de origem: Turquia
  • Pelagem: Médio
  • Atividade: Média
  • Miados: Mia muito
  • Cuidados: Requer poucos cuidados
  • Filhotes: 3 a 4 filhotes
  • Convivência: Ótimo convívio
  • Peso médio: 4 a 6 kg
Fonte: Texto: fonte - Revista Pulo do Gato - Editora Top.Co.Imagem: fonte - aboutpedigreecats.com / cat-breed-info.com